Home > Notícias

Microsoft volta a sofrer processo por monopólio na Europa

Companhia está sendo, mais uma vez, acusada de abusar de sua posição dominante para dominar o mercado de navegadores web.

IDG News Service/Bélgica

19/01/2009 às 8h38

Foto:

A Microsoft foi novamente acusada pela Comissão Européia de abusar de seu poder de monopólio, órgão que fiscaliza e regulamenta a competição no bloco econômico europeu. O problema, dizem as autoridades, é a maneira como o navegador Internet Explorer é integrado ao Windows.

Há nove anos, as autoridades norte-americanas tentaram processar a Microsoft por motivo semelhante, mas não obtiveram sucesso. A Comissão Européia, porém, conseguiu processar a Microsoft em 1,6 bilhão de euros por causa da integração do Windows Media Player - segundo os oficiais europeus, outros programas de música não podiam competir de igual para igual com a Microsoft.

A Microsoft foi oficialmente notificada das acusações na quinta-feira. A companhia agora tem dois meses para estudar o caso e apresentar sua primeira defesa à Comissão Européia.

A nova acusação de monopólio começou com uma denúncia da Opera Software, desenvolvedora norueguesa de navegadores, e levou um ano para ser produzida. O Chief Executive Officer da companhia, Jon von Tetzchner, se mostrou satisfeito com a acusação. “Está claro que eles (a Comissão Européia) está levando o caso a sério”, disse.

Tetzchner, porém, não soube dizer se a Microsoft também será acusada de atuar contra os padrões abertos de internet. “O fato de o Internet Explorer não suportar tecnologias abertas é um problema para companhias como a nossa”, afirmou o executivo. “Isso quer dizer que nosso navegador nem sempre é compatível com todos os sites.”

Hoje, o Internet Explorer ainda é o navegador mais usado da web. Por outro lado, ele não tem mais a mesma homogenia de outras épocas: segundo a consultoria Net Applications, 70% das pessoas usam o browser da Microsoft. Há alguns anos, porém, esse porcentual era de mais de 90%.

Além das acusações de abuso de monopólio no setor de navegadores, é provável que a Microsoft também seja processada por causa do Office, linha de aplicativos voltados para escritórios, e da .Net, plataforma para desenvolvimento de software.

De acordo com Jonathan Todd, porta-voz da Comissão Européia, a empresa também está sendo investigada por não facilitar a interoperabilidade de seus produtos com o de outras empresas. A queixa foi apresentada pelo Comitê Europeu de Sistemas Interoperáveis (Cesi).

De acordo com o Cesi, a Microsoft deliberadamente sonega informações sobre interoperabilidade para criar uma desvantagem competitiva para outras companhias de software.

Para Thomas Vinje, conselheiro do Cesi, as próximas batalhas jurídicas contra a Microsoft devem produzir efeitos mais positivos para os consumidores. No passado, a Microsoft pagou uma multa, mas não modificou seus produtos para que eles fossem mais compatíveis com outros aplicativos. Ele espera que os juízes olhem para isso quando emitirem novas sentenças.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail