Home > Dicas

Mude para Mac: diferenças entre o Windows e o OS X

Apesar das semelhanças, os dois sistemas operacionais ainda são extremamente diferentes em termos de operação e filosofia. Veja quais elas são.

David Howell e David Pogue, Macworld/EUA

19/09/2008 às 18h05

Foto:

O Mac OS e o Windows ficam mais parecidos a cada nova versão. Ambos oferecem firewall embutido, compartilhamento de um único cable modem ou DSL por computadores em uma rede e comutação rápida entre contas (todos os programas abertos de um usuário permanecem abertos quando outro dono de conta aparece para fazer um pequeno trabalho). Apesar das semelhanças, os dois sistemas operacionais ainda são extremamente diferentes em termos de operação e filosofia.

Fazendo as apresentações

O OS X não tem menu Iniciar. Você pode reunir os ícones de programas, documentos  e pastas utilizados com freqüência em qualquer uma das muitas “áreas de estacionamento” úteis. Por exemplo, você pode usar o Dock situado na borda inferior da tela (em geral, o Dock está na borda inferior, mas você pode movê-lo para os lados da tela via submenu Dock do menu Apple). Você também pode arrastar ícones para dentro ou para fora da barra lateral Locais no lado esquerdo de qualquer janela Finder.

O Mac OS X também não tem barra de tarefas. Um pequeno triângulo preto aparece abaixo dos ícones no Dock de programas abertos. Se você clica e se mantém sobre um destes ícones (ou clica nele enquanto pressiona control), surge uma lista pop-up das janelas abertas neste programa, como acontece no Windows XP.

Uma convenção comum às duas plataformas é a comutação rápida de aplicativos. No Windows, você pressiona control-tab para alternar entre programas abertos. No Mac, você mantém a tecla Command pressionada junto com tab. Na realidade, no OS X, mais do que nunca antes, Command-tab funciona como control-tab no Windows, exibindo uma grande paleta flutuante com ícones para cada um dos programas abertos. Solte as teclas depois de destacar aquele para o qual você deseja ir e a paleta desaparecerá.

Por falar nisso, eis um recurso bônus do OS X: você pode pressionar Command-til (~) para percorrer cada janela aberta em um único programa.

Mouse mais poderoso

Usuários do Windows estão familiarizados com mouse de dois botões. Portanto, um dos primeiros obstáculos talvez seja o fato de a Apple ter optado pela simplicidade de apenas um botão para ser mais amigável com o usuário. Todos os laptops Mac trazem somente um botão abaixo do trackpad. Se você quiser clicar com o botão direito do mouse, basta pressionar ao mesmo tempo a tecla ctrl e o botão ou plugar um mouse USB com dois botões e clicar com o botão direito. Melhor ainda, o próprio Mighty Mouse da Apple oferece não só a opção de um ou dois botões, mas muitas outras áreas sensíveis ao toque programáveis, permitindo que você personalize conforme desejar.

Teclado
A principal diferença entre os teclados do Mac e do PC está no fato de que a familiar tecla Windows equivale à tecla Command (C) nos lados da barra de espaço. Você usa esta tecla em vez de Control quando usa as combinações de teclas familiares, tal como Command-S para salvar. Outra diferença é a tecla Windows Alt, também chamada de tecla Option no Mac (embora a maioria dos teclados agora tenha Alt escrito nesta tecla e sua função seja a mesma). Fora estas mudanças, o teclado QWERTY padrão funcionará exatamente do mesmo modo.

Saída forçada
Você se lembra do que acontece quando um programa Windows pifa de repente? Se você tiver sorte, conseguirá fechá-lo, mas, em geral, precisa reiniciar o PC e começar de novo. Com um Mac, se um programa pára de funcionar, você pode obrigá-lo a fechar clicando com o botão direito do mouse no ícone do programa no Dock ou pressionando Command-alt-esc e escolhendo o aplicativo problemático na lista para fechá-lo sem atrapalhar sua sessão.

Mudando configurações

O Painel de Controle está vivo e bem no OS X, mas chama-se Preferências do Sistema e aparece no Dock como o ícone de uma engrenagem. Da mesma forma que o Painel de Controle do Windows, as Preferências do Sistema contém configurações para ajustar o relógio do computador, as conexões de rede e as configurações de energia. Você pode ver os ícones destas configurações por categoria ou em uma simples lista alfabética. Quanto a Registro, IRQs, DLLs e Tela Azul da Morte, esqueça. Simplesmente não existem no Mac.

Idiossincrasias das pastas

No Windows, talvez você esteja acostumado a arrastar pastas inteiras para outras pastas e fundi-las. Não é o caso do Mac. Você arrasta apenas o conteúdo de uma pasta para outra. Se arrastar a pasta em si, ela substituirá o conteúdo da pasta alvo, apagando-o. Se você tiver sorte, conseguirá trazê-lo de volta pressionando Command-Z.

Time Machine
Com o Time Machine, agora você pode configurar sua rotina de backup e não pensar mais no assunto. Backups incrementais acontecerão automaticamente no drive que você designou. Se você excluir um arquivo sem querer, não se preocupe, já que pode usar Time Machine para encontrar uma versão anterior. Copie arquivos individuais, pastas ou todo o conteúdo do seu disco rígido, incluindo aplicativos, se quiser, e relaxe, sabendo que seus dados estão em segurança.

Menu
Quando você estiver trabalhando arduamente com um programa, descobrirá que o Mac tem apenas uma barra de menus, sempre presente. Os menus mudam conforme o programa e a janela em uso. Você não encontrará a barra de menus dentro de cada janela que abrir. Ela estará sempre no alto da tela. Mas você sentirá um efeito colateral: ao fechar todas as janelas de um programa, o programa em si não fechará. Você tem que selecionar Arquivo | Encerrar (Command-Q) ou clicar e ficar sobre o ícone do programa no Dock e escolher Encerrar no menu pop-up.

Desinstalação fácil
Eis uma ferramenta do Windows que você não precisa ter no Mac. Normalmente, você não precisa de um aplicativo especial Remover Programas para desinstalar um programa no Mac. Basta abrir a pasta Aplicativos e arrastar o ícone do programa em questão para a Lixeira. Não se preocupe, você não está deixando para trás nenhum fragmento desestabilizador.

Painel de controle de hardware
O Mac não demanda um programa para instalar o driver de um novo gadget externo. Os drivers para quase todos os tipos de impressora, mouse e outros acessórios vêm pré-instalados. Se você plugar um dispositivo e ele não funcionar, é só instalar o driver correto a partir do CD incluído (ou baixar o driver do website do fabricante).

Atalhos 
Atalhos em um PC Windows são uma ótima maneira de economizar tempo ao abrir pastas ou arquivos utilizados com freqüência. No Mac, eles se baseiam em symlink UNIX, que o padrão POSIX do Mac agora suporta. Uma dica útil é que os atalhos são inteligentes. Se você mover o arquivo-alvo para o qual o alias aponta, o link continua funcionando.

Spaces

Não seria fantástico se você pudesse agrupar, em telas personalizadas, todos os ativos necessários para os diferentes tipos de trabalho que realiza no seu Mac? Agora, com Spaces, você pode. Um importante aprimoramento do Leopard, o Spaces representa um grande avanço em termos de usabilidade no Mac. Crie quantos espaços desejar e, sem o menor esforço, passe de um a outro pressionando a tecla F.

Buscas

Um dos maiores problemas dos computadores Windows é tentar localizar um arquivo em discos rígidos grandes. No Mac, o Windows Explorer se transforma em Finder. Agora, com opções de busca ainda mais poderosas, localizar um arquivo é brincadeira de criança. Além disso, você pode usar uma visualização em estilo Cover Flow inspirada no iTunes para percorrer suas pastas.

Exposé

À medida que usar o Mac, inevitavelmente, você abrirá muitas janelas. Fechá-las ou movê-las pela tela é um processo tedioso e demorado. Com Exposé, você pressiona F9 para ver imediatamente toda a área de trabalho, F10 para ver todos os documentos abertos em um determinado aplicativo e F11 para remover todas as janelas da área de trabalho. Você pode personalizar o comportamento do Exposé em Preferências do Sistema e assistir sua eficiência aumentar.

Dashboard
Se você precisa saber que horas são em várias cidades ou como ficará o clima mais tarde, um widget no Dashboard o ajudará. Pressione F12 para abrir o Dashboard e, em um relance, você encontrará o que necessita.

Procure e encontre

O Spotlight, a possante ferramenta de busca do Mac, caminha de mãos dadas com o Finder. Você agora pode estreitar um parâmetro de busca por tempo e localização. As melhorias possibilitam que você use lógica booleana nas buscas, aprimorando extraordinariamente a exatidão.  E o Quick Look permite que você visualize um documento antes de abri-lo para ter certeza de que é aquele que você deseja (pressione a barra de espaços para ver o documento sem precisar abri-lo)3.

Botão Maximizar
No Mac, a coisa mais próxima do botão Maximizar é o botão de zoom (o botão verde no canto superior esquerdo de uma janela). Em vez de expandir uma janela para ocupar a tela inteira, porém, ele faz a janela aumentar ou diminuir o suficiente para acomodar o conteúdo.

Aplicativos no Dock
Em geral, para ativar aplicativos no Windows é preciso ir até o menu Iniciar. Você pode criar atalhos na área de trabalho, mas em pouco tempo tudo fica confuso e sua eficiência diminui. A solução do Mac é o Dock. Você pode colocar aqui todos os aplicativos que mais usa e ativá-los com apenas um clique do mouse.

Obviamente, se você precisar de software como o Microsoft Project, terá que usar o Windows.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail