Home > Notícias

Na Câmara, Abrafix se opõe à rede pública de banda larga

Para presidente da entidade, José Fernandes Pauletti, não é papel do governo atender ao usuário de telecomunicações.

Redação do IDG Now!

30/03/2010 às 17h25

Foto:

Em audiência na Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados para discutir o Plano Nacional de Banda Larga, na terça-feira (30/3), o presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado (Abrafix), José Fernandes Pauletti, afirmou que não é papel do governo atender o usuário final de telecomunicações. “Isso deve ser feito pela iniciativa privada”, ao defender o uso da infraestrutura já instalada pelas operadoras no projeto de universalização de internet em alta velocidade.

Um dos pontos em discussão no governo federal é a possibilidade de o Executivo intervir no mercado com a reativação da Telebrás. O presidente da Informática de Municípios Associados (IMA), Pedro Jaime Ziller, defendeu que a Anatel realize uma consulta pública sobre o tema. “A operação das redes pode ser privada ou pública, mas deve ser fiscalizada pela Anatel”, observa.

Para o secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, as empresas de telefonia precisam receber incentivos para ampliar o acesso à banda larga no Brasil. Segundo Santanna, com a banda larga, os usuários passarão a usar a tecnologia gratuita VoIP (voz sobre IP), reduzindo a receita das operadoras com serviços de voz – que chegou a 100 bilhões de reais em 2008. Ele acredita que “é preciso que o Brasil se antecipe a essa mudança tecnológica para ficar entre os países desenvolvidos”. Atualmente, o País ocupa o 38º lugar no acesso à banda larga, entre 42 nações. No dia 8/04 será realizado novo debate sobre o tema.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail