Home > Notícias

Na China, usuários de celulares terão de informar seus nomes reais

Governo estabeleceu um prazo de três anos para que os usuários cadastrem seus nomes reais junto às operadoras. Caso não o façam, seu serviço será desativado.

IDG News Service (Pequim)

01/09/2010 às 13h56

Foto:

O governo chinês passou a exigir que usuários de celulares usem sua verdadeira identidade na hora de se cadastrar junto a uma das operadoras locais. O ato tem como objetivo reduzir o anonimato entre os 800 milhões de pessoas que utilizam um telefone móvel no país.

Segundo Xu Fei, porta-voz da China Telecom, todas as operadoras terão de adotar o sistema de registro dos nomes reais de seus clientes a partir deste mês. Dentro de três anos, as empresas do setor também devem registrar a identidade real de todos os usuários existentes.

"Se os usuários existentes não registrarem seus nomes verdadeiros, seus serviços, provavelmente, serão interrompidos", afirmou Xu, que disse ainda que a venda de cartões SIM em bancas de rua na China também passa a ser proibida.

As operadoras chinesas já têm algumas políticas em vigor para garantir que usuários registrem seus nomes reais. Mas, alguns analistas dizem que a maioria da população daquele país pode ter se registrado no serviço de telefonia móvel sem a identificação real. Muitos deles contam com serviços pré-pagos, o que facilita a prática. Já os planos pós-pagos exigem tal registro.

“Implementar um sistema de nomes reais de usuários de celulares produzirá desafios logísticos para as operadoras do setor, além de criar temores na questão da política de privacidade”, disse Mark Natkin, diretor da Marbridge Consulting, em Pequim. Além disso, números de telefones não-identificados também poderiam se tornar um produto muito popular no mercado negro chinês. “Isso fará com que alguns consumidores hesitem em comprar um novo número, caso eles achem que seja possível encontrar outro número similar e que não esteja registrado”, completou Natkin. 

No entanto, alguns usuários de celulares na China acham que a nova medida é bem-vinda. Para eles, o registro permitiria a recuperação remota de dados armazenados em um celular roubado ou perdido.

A nova política de identificação chinesa vem pressionando também os usuários de jogos online para que eles registrem seus nomes oficiais. Em agosto deste ano, eles tiveram de adotar esta prática, que se destina a proteger os menores da dependência da Internet e de conteúdos impróprios. Até mesmo o uso da Internet pode exigir um cadastro do gênero.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail