Home > Dicas

Nove dicas para deixar o Leopard mais leve e rápido

Enquanto o Snow Leopard não chega, deixe o seu Mac OS X mais veloz e ocupando menos espaço no disco rígido. Veja o que fazer.

Ryan Faas, Computerworld/EUA

16/01/2009 às 18h32

Foto:

A Apple não falou muito sobre o Snow Leopard, a próxima geração do Mac OS X que deve ser lançada ainda na primeira metade deste ano. Só que uma coisa surpreendeu a muitos: a companhia já informou que o novo sistema operacional vai conter um número limitado de novos recursos.

Em vez de seguir a rota do Leopard, que trouxe mais de 300 novidades, o Snow Leopard está sendo criado para aprimorar o desempenho do sistema. O resultado, segundo a Apple, será um sistema operacional que aproveita melhor os processadores multicore, utiliza de maneira eficiente o poder de processamento de placas de vídeo e amplia a compatibilidade em arquiteturas de 64 bits. O resultado final será um aumento de performance em relação ao Leopard.

Ao mesmo tempo, relatos indicam que o Snow Leopard irá reduzir o código do Mac OS X e seus aplicativos instalados, ajudando também a liberar mais espaço no disco rígido.

Menos espaço em HD, mais desempenho: esse parece o sonho de qualquer usuário de computador. Então, para que esperar pelo Snow Leopard? Existem maneiras de reduzir as gordurinhas e acelerar sua máquina agora.

Embora as dicas a seguir não devam trazer as melhorias dramáticas que esperamos ver no Snow Leopard, elas podem fazer uma boa diferença, principalmente em Macs mais antigos e aqueles que precisam liberar espaço no HD. 

Alerta: algumas dicas requerem modificar o sistema ou seus aplicativos. Faça backup antes de mexer na sua máquina, caso um problema ocorra ou você precise restaurar certos recursos depois.

1) Se livre dos idiomas que não usa

O Mac OS X fala muitas línguas. Toda a interface do sistema – menus, caixas de diálogo, arquivos de ajuda etc. – foram localizados para diversos idiomas e incluídos nos arquivos de sistema do Mac OS X automaticamente durante a instalação (exceção feita a idiomas asiáticos, na maioria). Isso torna fácil mudar o idioma usando o painel Internacional nas Preferências de Sistema.

E, como o Mac OS X, muitos aplicativos são feitos para mais de um idioma, mostrando o idioma preferido do usuário junto com o do sistema. O painel Internacional ainda permite ordenar os idiomas favoritos, caso o aplicativo não exista no seu idioma (como o Microsoft Office 2008 para Mac) – a opção seguinte surge como padrão.

Só que as chances são de que você entenda dois ou três idiomas (português, inglês e espanhol, por exemplo). Você não precisa de italiano ou francês ocupando espaço no seu HD – e pode apagar o que não usa ao remover esses arquivos de localização.

Esse processo pode ser feito manualmente, ao selecionar aplicativos no Finder e usar o comando Obter Informações (command-I). Na janela de informações, expanda a opção Idiomas. Para remover os idiomas que não precisa, selecione os que desejar e clique no botão remover (o sinal de menos) logo abaixo da lista – vale lembrar que é algo que leva tempo.

Uma outra opção é usar ferramentas que fazem a tarefa de remover os arquivos de localização dos aplicativos e do Mac OS X. São eles o Xslimmer (13 dólares), o TinkerTool System  (9,75 dólares) ou o Monolingual (gratuito).

2) Reduza as bibliotecas do iLife
Suas coleções de mídia são as mais famintas por espaço no disco rígido do Mac. O iLife cria bibliotecas para o iTunes, iPhoto e iMovie, e elas ocupam bastante espaço – e não adianta apagar as músicas, vídeos e fotos que você gosta (e usa). Existem outras opções a considerar.
Primeiro, se tem um disco rígido externo, considere mover sua mídia para lá. Você fica com acesso rápido aos arquivos e libera espaço no HD. A dica serve para todas as bibliotecas, mas é mais efetiva para vídeo.

Se você usa um notebook, considere criar bibliotecas separadas para o HD interno e externo. Isso dá acesso a todos os arquivos quando a máquina está ligada ao disco externo em casa ou no trabalho, e você consegue manter uma coleção reduzida de músicas ou vídeos quando está viajando, por exemplo. Ferramentas como o Syncopation (25 dólares) ou o iPhoto Library Manager (gratuito; versão avançada custa 20 dólares) ajudam a lidar com bibliotecas duplas.

Outra opção de organização e economia de disco para iTunes e iPhoto é buscar por arquivos duplicados. Os programas têm recursos que fazem isso de maneira básica, mas programas como o iTunify (15 dólares) e o iSweep (15 dólares) trazem busca avançada de duplicados no iTunes, e o Duplicate Annihilator (8 dólares) faz isso pelo iPhoto.

3) Limpe os arquivos de log
Arquivos de log são gerados por diversos processos do Leopard e por aplicativos, que mantém seus próprios logs ou gravam itens ao arquivo system.log do Leopard.

Scripts de manutenção do sistema costumam arquivar e comprimir esses logs de tempos em tempos. Mas removê-los ajuda a liberar algum espaço em disco.

A maioria dos logs (aqueles que gravam eventos de componentes e aplicações do sistema de todos os usuários do computador) costumam ficar na pasta Biblioteca | Logs no HD do Mac e logs de usuários ficam sob pasta do usuário | Biblioteca | Logs.

4) Remova programas sem uso
É algo simples, mas que vale mencionar. Remover programas que não são mais usados – alguns que vêm no Mac OS X, outros que vêm em pacotes comerciais ou shareware – ajuda a economizar espaço em disco.

E não são apenas programas. Alguns componentes como descansos de tela, widgets do dashboard e painéis de preferência sem uso só ocupam espaço.

Componentes do sistema ficam armazenados na pasta Biblioteca na sua pasta Home (se instalados apenas para um usuário) ou no nível raiz do disco rígido (se instalados para todos) – veja conforme o nome do que pretende remover para apagar os itens (widgets estão na pasta Widgets, fotos do desktop em Desktop Pictures e assim por diante). O utilitário de 30 dólares Print Therapy faz um bom trabalho para remover os drivers de impressoras.

Além de remover aplicativos e arquivos de componentes, remova também os arquivos de suporte e suas preferências, que costumam ocupar mais espaço que o próprio programa.

Aplicativos gravam arquivos de suporte na pasta Biblioteca | Application Support na sua pasta Home ou no disco rígido. Arquivos de preferências não costumam ocupar muito espaço, mas se quiser, remova-os também.

E, finalmente, alguns programas criam pastas em outros locais da sua pasta Biblioteca. Como remover cada item pode ser um tanto problemático, use o AppZapper, de 13 dólares (teste gratuito), que apaga o programa e tudo relacionado a ele.

5) Reduza os itens de login
Reduzir o número de itens de login do Leopard melhora sua performance. Os itens de login são aplicações e processos de ajuda para componentes de sistema e aplicativos, abrem automaticamente e tipicamente rodam em segundo plano enquanto você trabalha.
Para fazê-los parar de aparecer quando você liga o Mac, vá ao painel Contas nas Preferências do Sistema e clique na aba Itens Login.

Selecione o item que quer remover e clique no botão de menos abaixo da lista. (Clicar apenas no botão Ocultar não irá impedir o item de funcionar, mas você não verá nenhuma indicação de que ele está sendo aberto; é o caso típico de processos ou aplicativos de ajuda, como o iTunesHelper)

Se você descobrir depois que remover um item de login cria problemas com um aplicativo ou componente, para resolver basta abrir o item manualmente (ou o aplicativo associado). Para restaurar o item, você precisa localizar o arquivo no disco rígido e arrastar de volta para a caixa de Itens Login nas Preferências de sistema, ou clicar no botão de mais para adicionar por meio de uma caixa de diálogo.

6) Faça sem 3D e animações

A interface do Leopard traz diversos efeitos 3D e animações – do dock 3D aos ícones do Stacks, à barra de menu translúcida e diversas outras animações do Finder, o Leopard é cheio desses gastadores de recursos de vídeo. Se você tem um Mac mais antigo, seu Leopard fica lento.

Uma solução é desabilitar um ou vários deles, com ferramentas como o TinkerTool ou o LeoColorBar (gratuitos, para o dock), desligar a barra de menu translúcida no painel Mesa e Protetor de Tela nas Preferências do Sistema e mostrar pastas no Dock  como pastas, não como pilhas (control-clique em cada pasta do Dock e escolher Mostrar como Pasta). O TinkerTool também remove efeitos de animação do Finder.

7) Remova fontes sem uso
Remova ou desabilite fontes usando o aplicativo Catálogo de Fontes que vem com o Mac OS X. Desabilitar uma fonte vai aumentar o desempenho (já que ela será ignorada pelo computador) sem removê-la completamente. Apagar a fonte libera espaço e aumenta desempenho. 

Para desabilitar a fonte, selecione-a na lista e clique no botão abaixo da lista que parece uma caixa de marcação (ou vá ao menu Editar | Desativar). O mesmo botão serve para reativar a fonte. Para apagá-la, pressione a tecla delete no teclado.

Lembre que fontes são organizadas por coleções e famílias. Uma família contém uma ou mais variações (regular, itálico, negrito...) de uma única fonte. Remover apenas um membro da família não apaga todas as versões da fonte. As coleções de fontes são grupos organizados de fontes que você usa para localizar fontes específicas.

8) Encontre e remova grandes arquivos e pastas
É o meio mais óbvio para recuperar espaço. O truque é encontrar os arquivos grandes. Algumas ferramentas ajudam na tarefa, como a Disk Inventory X (gratuita), WhatSize (13 dólares), GrandPerspective (gratuita) e o OmniDiskSweeper (gratuita, versão avançada por 15 dólares). Elas servem para varrer seu HD como um todo e te dão uma idéia do uso do disco.

Uma vez que encontrar os arquivos grandes, você pode apagá-los, movê-los para um disco externo, guardá-los como uma imagem de disco comprimida ou arquivá-los como um arquivo .zip.

9) Aumente a RAM
Essa é a dica mais conhecida para qualquer usuário de computadores que quer aumentar o desempenho: instale mais memória RAM. Qualquer máquina funciona mais rápido e melhor com mais RAM, com mais espaço de trabalho para o sistema operacional e aplicativos.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail