Home > Notícias

Novo padrão USB 3.2 pode causar ainda mais confusão em usuários de PC

É difícil acreditar que a marca USB se tornou mais confusa, mas aconteceu. Entenda como isso deve gerar mais dúvidas entre os consumidores

Mark Hachman, PC World (EUA)

02/03/2019 às 12h35

Foto: Shutterstock

O padrão USB acaba de ficar ainda mais confuso para os usuários finais. Se você é uma das poucas pessoas no mundo que realmente sabia a diferença entre USB 2.0, USB 3.0, USB 3.1 Gen 1/Gen 2, e assim por diante, agora vem a má notícia: o USB 3.2 foi anunciado, e todos os nomes mudam novamente.

No lado positivo, o USB-IF torna explicitamente claro que a mais recente especificação do USB 3.2 fornece uma enorme taxa de transferência de 20 Gbps. Mas essa é a única coisa simples, porque o USB 3.2 suga as especificações anteriores e as torna parte próprias. A nova e horrível especificação é o USB 3.2 Gen 2x2.

É difícil resumir tudo, mas vamos tentar.

  • USB 3.2 Gen 1 (anteriormente referido como USB 3.0, ou formalmente como USB 3.1 Gen 1): tem uma taxa de transferência de 5 Gbps e é oficialmente conhecido pelo nome comercial SuperSpeed ​​USB;
  • USB 3.2 Gen 2 (anteriormente referido como USB 3.1, ou formalmente como USB 3.1 Gen 2): tem uma taxa de transferência de 10 Gbps e é agora oficialmente conhecido como SuperSpeed ​​USB 10 Gbps;
  • USB 3.2 Gen 2x2 (a última especificação): tem uma taxa de transferência de 20 Gbps e agora é oficialmente conhecido como SuperSpeed ​​USB 20 Gbps.

Observe também que essas novas especificações se referem apenas à velocidade de transferência, não ao cabo ou porta USB físico. Ainda estamos no meio de uma transição gradual de conectores físicos USB-A para USB-C, mas esse é um problema diferente.

O documento em PDF, que descreve as novas especificações, reitera várias vezes o quão importante é para os fabricantes indicar claramente o quão rápido é o dispositivo USB ou a porta. “Ao se referir a um produto baseado e em conformidade com a especificação USB 3.2, é essencial que os fabricantes identifiquem claramente os recursos de desempenho desse dispositivo separadamente de outros benefícios e/ou características físicas do produto”, afirma.

Mas, como outros rapidamente apontaram, não há realmente nada que proíba um fabricante de laptops, por exemplo, de simplesmente chamar um dispositivo de porta “USB 3.2” e não descrever a quantidade de banda que fornecerá ao usuário. Apesar dos pedidos do USB-IF, as únicas restrições parecem estar no uso dos logotipos do USB-IF, o que requer a aprovação do Programa de Conformidade USB.

Por que isso é importante: há um consolo: as novas especificações são compatíveis com versões anteriores, o que significa que você ainda poderá conectar um dispositivo USB mais antigo a uma nova porta USB 3.2. Ainda assim, a marca de tudo isso é um pesadelo absoluto, e é uma dor de cabeça adicional que os compradores de computador e de smartphones não precisam.

Tags


Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail