Home > Notícias

Nvidia GeForce GTX 780: um “Titã” para todos nós

Nova placa é baseada na mesma tecnologia da poderosíssima GeForce GTX Titan, mas com custo 30% menor, além de menos ruído em comparação às gerações anteriores.

Mark Hachman, PCWorld EUA

28/05/2013 às 19h40

Foto:

Quando a Nvidia anunciou a poderosíssima GeForce GTX Titan, em Fevereiro, muitos olhos se arregalaram: tanto pelo desempenho da placa quanto por seu preço, US$ 999 (nos EUA). Felizmente a Nvidia agora oferece a mesma tecnologia em uma placa menos poderosa, a GeForce GTX 780, que tem um preço 30% menor: US$ 649 (novamente, nos EUA).

A Nvidia começou a entregar na última semana o “design de referência” da nova GPU a seus parceiros, que irão modificá-lo de acordo com suas necessidades. São estas versões produzidas por terceiros que chegarão às lojas, no exterior, em cerca de um mês, segundo Justin Walker, gerente do programa GeForce na Nvidia.

gtx780_geral-360px.jpg
A GeForce GTX 780

Segundo a empresa a GTX 780 terá desempenho gráfico em média 35% superior ao da GTX 680, que foi lançada há um ano. A Nvidia diz que sua nova placa também supera a AMD Radeon HD 7970 (que custa US$ 400) em cerca de 30 a 35%, embora esta seja uma placa lançada no final de 2011. Gamers que não tem um limite de gastos podem combinar duas GTX 780 no modo SLI para ter um ganho de desempenho de 75% em relação a uma única placa, diz a Nvidia.

Basicamente a Nvidia está posicionando a GTX 780 como uma placa para os gamers entusiastas que estão dispostos a gastar em um equipamento superior, com qualidade de imagem e resolução máximas e altos níveis de anti-aliasing. A 780 tem suporte tanto à “tesselação” usando o DirectX 11.0, recurso que aprimora a exibição de objetos em 3D, quanto ao sistema de simulação de física PhysX, desenvolvido pela própria Nvidia.

A Nvidia promete que a GTX 780 será mais silenciosa que os modelos anteriores, graças a um sistema mais eficiente para gerenciamento dos ventiladores que compõem o sistema de refrigeração da placa. Mas para situações onde muito desempenho é necessário a Nvidia adicionou a versão 2.0 da tecnologia GeForce Boost, que acelera a placa ao máximo possível dentro de um limite de temperatura.

Quanto ao número de pessoas dispostas a gastar US$ 649 em uma placa de vídeo (em vez de em um PC novo) o analista Jon Peddie, da Jon Peddie Research, diz que o mercado de placas de vídeo para entusiastas continua saudável: cerca de 3 milhões de unidades foram vendidas no ano passado. O número, entretanto, inclui placas que custam US$ 250 ou mais, então é provável que os modelos de US$ 600 sejam apenas uma pequena fração deste total.

Peddie disse que ficou bastante impressionado com o desempenho da nova placa. “Nossa opinião é bastante favorável”, disse ele, por causa do desempenho e dos 3 GB de RAM. “Com certeza será uma grande competidora neste mercado”.

Filha de um Titã

A GTX 780 tem 12 unidades SMX com 2304 núcleos CUDA. O subsistema de memória consiste em seis controladores de memória de 64-Bit (com uma largura de 384 bits no barramento de memória) e 3 GB de memória GDDR5 a 6008 MHz. A Nvidia configura a placa com um clock base de 863 MHz, com a capacidade para aumentá-lo a até 900 MHz usando a tecnologia GeForce Boost. O consumo é de 250 Watts.

E o que tudo isso significa? Bem, ainda não fizemos um teste oficial na GTX 780, mas seu desempenho não deve ficar muito longe da Titan, ainda mais considerando o preço. A GTX tem 384 núcleos CUDA a menos que a Titan, e “apenas” 3 GB de memória contra os 6 GB de sua irmã maior. Mas lembrem-se de que a Titan é uma das bases do “Titan”, um supercomputador instalado no Laboratório Nacional Oak Ridge, nos EUA, que é o mais rápido do mundo.

A GTX 780 tem 26.6 cm de comprimento, duas portas DVI dual-link, um conector HDMI e um conector DisplayPort.

Boost 2.0 e melhorias no software

Na nova placa a Nvidia aprimorou a tecnologia GeForce Boost, para que a placa possa rodar o mais rápido possível sem superaquecer. Versões anteriores desta tecnologia eram essencialmente a mesma coisa que tecnologias como a Intel Turbo Boost e outras técnicas de overclock usadas na indústria: elas elevavam o clock da placa o mais rápido possível, dentro de uma faixa de temperatura, o que significa que exceder o limite de potência poderia elevar a temperatura dos chips a níveis perigosos.

Com a Boost 2.0 a Nvidia usa sensores de temperatura integrados ao chip para uma medição mais precisa. As versões 1.0 e 2.0 são essencialmente as mesmas, mas a Nvidia substituiu o limite de potência por um limite específico de temperatura, 80º C. Se a lógica embarcada no chip pela Nvidia pensar que a temperatura poderá exceder este limite em breve, a GPU reduz seu próprio clock até que alcance um ponto seguro.

gtx780_geforceexperience-360px.jpg
GeForce Experience: otimização automática dos
jogos para melhor desempenho e qualidade gráfica

A Boost 2.0 também inclui novas ferramentas para o ajuste fino do desempenho da GTX 780. Os usuários podem ampliar o limite térmico para elevar ainda mais o desempenho. A Nvidia disse que não irá permitir um segundo tipo aumento de desempenho, conhecido como “overvolting”, em suas próprias placas. Placas de terceiros, entretanto, poderão inclui este recurso, que permite que os usuários aumentem a voltagem entregue ao chip, e com isso os multiplicadores que controlam o clock. Mas o uso deste recurso traz o risco de danos à GPU, e os usuários precisam confirmar que estão cientes disto antes que possam utilizá-lo.

Usuários de longo prazo das placas da Nvidia irão apreciar o fato de que a empresa fez um esforço para reduzir o ruído vindo dos ventiladores. A GTX 780 tem o mesmo tipo de dissipador de calor que a Titan, um câmera evaporadora de cobre, e um dissipador de alumínio com aletas duplas além de um ventilador que “sopra” o ar quente para longe da placa. No geral o nível de ruído é de 43 dbA, contra os cerca de 48 dbA da GTX 680. Em parte o ruído menor é devido aos sensores de temperatura incorporados ao chip, que ajudam a manter o ventilador ligado quando o chip precisa de refrigeração e desligado quando não precisa, minimizando o ruído.

Os usuários também irão apreciar uma nova versão do GeForce Experience, um utilitário que em seu período Beta foi baixado mais de 2.5 milhões de vezes. O software analisa automaticamente seu hardware e os jogos instalados, e tenta otimizar ambos para a melhor qualidade gráfica e desempenho. Atualmente mais de 70 jogos são suportados. Ele também é capaz de gerenciar o download e instalação de novos drivers para a placa, que geralmente contém melhorias de estabilidade e desempenho.

gtx780_works-360px.jpg
WaveWorks e FaceWorks: tecnologia para líquidos e rostos mais realistas

A Nvidia também disse que irá lançar um utilitário chamado ShadowPlay que irá gravar automaticamente os últimos 20 minutos de uma partida, para que o jogador possa enviar clipes para seus amigos e rivais. É um recurso similar ao que Sony e Microsoft estão incluindo em seus consoles da próxima geração, o Playstation 4 e Xbox One, respectivamente.

A GTX 780 também foi projetada para acelerar tecnologias que a Nvidia chama de WaveWorks e FaceWorks, com técnicas aprimoradas para a renderização de superfícies líquidas, como oceanos, e faces humanas, respectivamente. A empresa espera que jogos futuros tiram proveito destas tecnologias.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail