Home > Notícias

O iPhone vai matar o Kindle? Achamos que não

Existem vários motivos para continuar apostando que o Kindle, leitor de eBooks da Amazon com nova versão, vai sobreviver ao iPhone.

Robert Strohmeyer, PC World/EUA

11/02/2009 às 16h39

Foto:

Não é segredo nenhum de que eu sou um convertido ao Kindle da Amazon. E agora que a Amazon anunciou a segunda geração do aparelho, eu estou ainda mais impressionado com ele do que já estava. Mas há quem diga que o Kindle não se compara à maravilha tudo-em-um da Apple, o iPhone. Eu vou provar agora porque eles estão errados.

1 - É bom de olhar. E não, não estou falando do design do aparelho. O display E-Ink de 6 polegadas do Kindle tem uma resolução cravada de 600 x 800 que quase empata com o visual de uma página impressa. E como a largura é semelhante à uma brochura padrão, há espaço suficiente na página para aumentar o tamanho da fonte até que ela fique grande e confortável enquanto mostra mais de cinco palavras na tela.

Críticos dizem que falta uma luz de fundo ao Kindle, mas eles não sabem de nada: a falta de luminosidade do E-Ink é um fator importantíssimo para a leitura fácil. A tela com luz clara do iPhone pode até servir para alguns tipos de livros infantis com figuras, mas para nós que realmente gostamos de passar dias inteiro imersos em um romance clássico, o iPhone praticamente nos cegaria. Claro, eu gostaria que o Kindle tivesse algum tipo de iluminação embutida para que eu pudesse ler no escuro sem ter que pregar uma lâmpada à sua capa, mas luz de fundo não é a melhor solução.

2 – Controle com uma mão. Quando eu peguei meu Kindle pela primeira vez, não gostava tanto da posição dos botões. Mas quando terminei de passar pelo meu primeiro título baixado, eu já estava vendido. Os controles do Kindle tornam fácil de segurar o aparelho com uma mão e passar para a próxima página com um movimento simples de dedo da outra mão, não importando qual delas você escolheu para segurar o aparelho. Isso é um ponto em que o Kindle bate tanto iPhones quanto livros de papel da velha-guarda.

3 – Baixo custo. Sim, o Kindle por si só custa 359 dólares, mas uma vez que você aplica esse dinheiro, nunca mais vai gastar com ele. E mais, o preço dos livros é irrisório. Novos títulos normalmente custam 9,99 dólares, mesmo quando as versões de árvores mortas só estão disponíveis em capa dura por 30 dólares ou mais. E muitos outros títulos são muito mais baratos, incluindo uma grande variedade de clássicos por 99 centavos.

4– Bateria com vida absurdamente longa. O display E-Ink do Kindle “gasta” bateria tão eficientemente que pode ficar dias a fio sem recarga, então é perfeito para levar o aparelho para viagens longas, onde você não terá acesso fácil à energia elétrica. E por mais que o iPhone tenha uma bateria que dure bastante para um telefone, não joga no mesmo time – nem na mesma divisão – que o Kindle. Considerando que o iPhone vai inevitavelmente gastar a maior parte do seu tempo como telefone, há pouca garantia de que ele ainda tenha pique quando chegar a hora da leitura.

Concluindo, o iPhone é um ótimo smartphone, e eu não estou tentando diminuí-lo por isso. Mas comparado com um dedicado leitor de eBooks como o Kindle, ele vira apenas um aparelho portátil com tela colorida. O iPhone pode até passar a aceitar o formato dos livros do Kindle, e eu agradeço. Quanto mais aparelhos aceitarem o formato da Amazon, melhor para todos os leitores de eBooks.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail