Home > Dicas

O que um Symbian open source pode significar para o mercado

Como a entrada da plataforma no mundo do código aberto pode mexer com a indústria, desenvolvedores e até usuário final.

Tony Bradley, da PC World/EUA

05/02/2010 às 12h25

symbian_message_150.jpg
Foto:

symbian_message_150O Symbian, sistema operacional para dispositivos móveis está ganhando uma nova vida agora que a Fundação Symbian o está transformando em open source. Isso irá revitalizar a plataforma e deve trazer benefícios para a Nokia, desenvolvedores de aplicativos, terminais (celulares e smartphones) com Symbian e, claro, usuários destes equipamentos.

Com toda atenção voltada para o iPhone nos últimos tempos - antes, claro, do fenômeno Android - muita gente esquece que o Symbiam é o sistema operacional para smartphone mais usado no mundo. A plataforma possui quase a mesma participação de mercado que todo o resto da concorrência junta, incluindo o iPhone, totalizando mais de 330 milhões de smartphones em uso no mundo todo.

Então, por que a notícia por si só já não é motivo de comemoração? Se a plataforma é dominante, por que a Nokia resolveu fazer um spin off dela e por que a Fundação Symbian agora irá torná-la uma plataforma de código aberto?

A resposta para isso é que o Symbian é um sistema operacional do passado. Ele pode ser dominante, mas está em declínio. Embora tenha uma forte presença global, a RIM (dona do BlackBerry OS) e a Apple (com o iPhone OS) estão fazendo um trabalho. Comparado à nova geração de sistema operacionais, como o iPhone OS e Android, o Symbiam é um tanto geriátrico.

Ao decidir se tornar open source, a plataforma Symbian irá se beneficiar sobre vários aspectos. Listamos abaixo cinco coisas que podem ocorrer:

Nokia
A fabricante de celulares finlandesa irá se beneficiar dessa transição para o modelo open source porque isso deve injetar sangue novo na plataforma sem que a Nokia precise fazer qualquer tipo de investimento. Assim, enquanto a Nokia se movimenta para desenvolver dispositivos na plataforma Maemo, baseada em Linux, ela ainda ganha em marketing pelo seu relacionamento com o Symbian e sua contribuição decisiva para o desenvolvimento da plataforma.

Fabricantes de smartphones
A disponibilidade do Symbian como um sistema operacional open source dá as fabricantes uma alternativa ao Android, do Google. O sistema operacional de código aberto criado pelo gigante de buscas demonstrou que a uma plataforma opensour para dispositivos móveis pode ser muito eficiente, possibilitando aos fabricantes de celulares customizarem o sistema e desenvolver dispositivos robustos e de baixo custo (ou com margem de lucro maior) já que não dependerão do pagamento de taxas associadas a licenciamento de software. Muitos fabricantes podem estar interessandos em adotar uma plataforma open source, mas estão relutantes em fazer parceirias tão próximas com o Google. E mesmo quem já abraçou o Android pode olhar com bons olhos para alternativas, principalmente depois de o Google ter entrado no mercado com seu próprio smartphone, o Nexus One.

Desenvolvedores
Criar aplicativos para o Symbian disponível como open source abre aos desenvolvedores uma enorme oportunidade de mercado. É provável que o Symbian não alcance o sucesso da App Store, loja de aplicativos para o iPhone, mas não dá para ignorar um mercado potencial formado por 330 milhões de usuários. Baseado em uma economia de escala, mesmo uma aplicação medíocre pode se tornar bem lucrativa.

Negócios
Se olharmos o que os desenvolvedores podem ganhar de outra forma, empresas de todo tipo podem se beneficiar da possibilidade de customizar a plataforma e, assim, desenvolverem aplicações que possam integrar smartphones com Symbian ao ambiente corporativo e a processos de negócios. Para empresas que já investiram em smartphones baseados no sistema operacional, uma vez que ele se torne open source pode estender a vida útil dos dispositivos e permitir às organizações maximizarem os investimentos que já fizeram em vez de alocar mais recursos na atualização destes equipamentos.

Usuários
Os mais de 330 milhões de donos de smartphones com Symbian em todo o mundo também ganham com o anúncio de que a plataforma agora é open source. Conforme mais desenvolvedores abracem a causa e comecem a criar aplicativos inovadores para seus celulares, os equipamentos devem ganhar novas funcionalidades sem que isso signifique que eles precisem comprar um iPhone ou um Nexus One.

A transição para o mundo open source não é necessariamente um mar de rosas. À medida que desenvolvedores levam o código para diferentes direções, há o risco de a plataforma ficar “diversificada” demais e dar origem a confusões para saber que Symbian funciona com qual smartphone Symbian.

Tornar o Symbian uma plataforma aberta pode ajudar a estancar a hemorragia que o sistema operacional vinha passando em relação a outras plataformas e isso pode ser a garantia de que o software terá ainda uma grande sobrevida. Contudo, ele ainda é um sistema operacional de uma geração anterior e com data marcada para morrer. Só que esta data, agora, foi adiada.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail