Home > Notícias

Oi quer 2 milhões de clientes em SP até dezembro; já tem 1 milhão

Com 1 milhão de chips vendidos no Estado em 20 dias - 500 mil já ativados - operadora quer 5% do mercado ainda este ano.

Fabiana Monte, do COMPUTERWORLD

24/10/2008 às 12h01

Foto:

A Oi informa ter vendido, desde o dia 2 de outubro, 1 milhão de chips pré-pagos no Estado de São Paulo, o dobro da expectativa inicial da empresa. Na capital, a operadora conta, atualmente, com 500 mil SIM Cards ativados na rede.

Segundo Luiz Eduardo Falco, presidente da Oi, o ritmo de vendas foi mais rápido do que se esperava. Mantendo este desempenho, o executivo afirmou que "é possível chegar a 2 milhões de clientes em São Paulo até o final do ano", o equivalente a 5% de market share na região.

Nesta sexta-feira (24/10), a operadora começa a venda dos planos pós-pagos no Estado, em condições agressivas, conforme COMPUTERWORLD antecipou nesta quinta-feira (24/10). "Tenho que agradecer aos meus concorrentes que deixaram uma reserva de mercado para nós", provocou o presidente da Oi.

Na análise do executivo, o mercado paulista é o que oferece a menor competição nos serviços de telecomunicações, o que, segundo Falco, pode ser comprovado pela taxa de penetração do Estado, 15% menor que a do Rio de Janeiro.

A operadora prevê investimentos de 1 bilhão de reais para a primeira fase de lançamento de seus serviços em São Paulo.
"Gostaria de investir muito em São Paulo. Não temos restrição de investimento, se os clientes chegarem vamos aumentar a rede", declarou Falco, garantindo que a infra-estrutura da companhia está preparada para suportar este volume de usuários. "Estamos preparados para toda São Paulo, se toda São Paulo quiser vir".

Em relação à crise financeira que afeta os mercados do mundo inteiro, o presidente se mostrou despreocupado. Segundo o executivo, o orçamento para 2009 da empresa está mantido e, quando os mercados voltarem a operar normalmente, não vão faltar fontes de recursos para financiamento. "O mundo mudou, não dá para negar, mas somos uma empresa de investimento de longo prazo", declarou.

No caso da compra da Brasil Telecom, de acordo com Falco, a crise também não deve atrapalhar, uma vez que 85% dos recursos necessários para concluir a negociação já estão em caixa.

O orçamento só será revisto, segundo o presidente, em 2010, caso a crise financeira continue por mais 12 meses, o Falco não acredita que vai acontecer. "Os investimentos para 2009 estão mantidos porque o dinheiro já está em casa e achamos que em 12 meses a economia volta a circular. Se não voltar, vamos repensar os investimentos para 2010", garantiu.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail