Home > Notícias

Omate e Nuance mostram um relógio realmente inteligente

Aparelho roda Android, responde a comandos de voz, faz e recebe chamadas e não precisa de um smartphone para funcionar.

Mark Hachman, TechHive

09/01/2014 às 13h22

Foto:

Combine um dos melhores assistentes digitais do mercado com um smartwatch (relógio inteligente) que pode funcionar por conta própria e o resultado será o Omate TrueSmart, um aparelho que aponta a direção na qual toda a indústria dos smartwatches deve seguir.

Os modelos atuais tem um problema: precisam de um smartphone para funcionar. Mas se dependem de um smartphone, acabam se tornando uma solução cara para o “problema” de tirar o telefone do bolso para ver quantas mensagens você tem. A Omate atacou o problema levantando US$ 1 milhão em uma campanha no Kickstarter para criar o TrueSmart (US$ 199 nos EUA), um poderoso, embora grandalhão, smartwatch que pode receber um SIM Card para fazer e receber chamadas, enviar e receber mensagens, acessar a internet via 3G, tem 4 GB de memória interna, uma câmera de 5 MP, roda Android 4.2.2 e ainda tem autonomia de bateria suficiente para aguentar um dia inteiro de uso. 

O aparelho já está sendo entregue aos patrocinadores, e durante a CES 2014 a Nuance anunciou que irá adaptar seu assistente digital, o Dragon Mobile Assistant, para a plataforma da Omate. Sean Brown, diretor de inovação da Nuance, nos deu uma demonstração da tecnologia durante a feira e ficamos impressionados com sua simplicidade e eficácia: é possível fazer chamadas, criar compromissos na agenda e fazer buscas na internet simplesmente “conversando” com o relógio.

omate_truesmart-580px.jpg
Omate TrueSmart: smartwatch dispensa um smartphone e responde a comandos de voz

As demonstrações foram realizadas localmente, usando o poder de processamento do próprio relógio, sem conexão a um smartphone. Basta tocar na tela para “acordar” o assistente da Nuance e dizer comandos como "Send a text message to James Hendrix: 'Let's get together on Friday at 5 and jam.'" (“Envie uma mensagem de texto para James Hendrix: ‘Vamos nos encontrar na sexta às 5 pra tocar’”). Ou então “Remind me to call my mother at 7pm." (“Lembre-me de ligar pra minha mãe às 7 da noite”). É possível até fazer buscas na web com perguntas como "How tall is the Empire State Building?" (“Quão alto é o Empire State Building”) e obter resultados fornecidos pelo “sistema de conhecimento” Wolfram Alpha.

O painel de controle Dragon Dashboard também foi integrado ao relógio, fornecendo acesso rápido à agenda do usuário, placar dos jogos de seus times favoritos, cotações de ações, recomendações de restaurantes (baseadas na localização do usuário), previsão do tempo e mais, bastando deslizar o dedo sobre a tela.

O produto da Nuance também se integra ao Gracenote para identificação de músicas e à API Hue, da Philips, para o controle de lâmpadas inteligentes. É possível até mudar a cor delas. O relógio também pode ser usado para navegar na internet e até como um diminuto GPS de pulso, desde que você tenha os mapas de sua região instalados.

E se você não quiser ditar mensagens e e-mails, poderá usar o Swype, o teclado virtual com digitação por gestos que é incrivelmente popular entre os smartphones, e que foi adquirido pela Nuance no ano passado. Por enquanto a Nuance mostrou o Swype rodando em um Galaxy Gear, da Samsung. Apesar da tela diminuta o app pareceu funcionar bem, seja digitando em inglês, coreano ou chinês.

É claro que o relógio da Omate não é perfeito: é grandalhão, algo compreensível dado todo o hardware necessário para que funcione, não roda “Angry Birds” e podem haver problemas de usabilidade ocultos pela demonstração e que só serão visíveis no dia-a-dia. Mas tudo isso pode ser resolvido com o tempo. Por enquanto, parece que finalmente temos um smartwatch como deveria ser: capaz de funcionar por conta própria, e fazer tudo o que pedimos a ele.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail