Home > Notícias

Opinião: como a Apple pode melhorar a App Store

Marco Tabini, Macworld / EUA

08/02/2013 às 12h38

appstore_43501.jpg
Foto:

Adoro a App Store. Em quase cinco anos desde seu lançamento, ela me trouxe apps e games de todos os tipo por preços legais – e com muito mais conveniência – do que qualquer coisa disponível antes. Como um desenvolvedor, penso que a App Store abriu um canal de distribuição realmente igualitário: não há necessidade de lutar por espaço contra softwares de empresas maiores, ou de quebrar a cabeça criando uma loja online por conta própria.

Mas os tempos estão mudando, e, à medida que as App Stores para iOS e Mac alcançam 1 milhão de apps combinadas, parece que uma parte da infraestrutura criada pela Apple está se debatendo para acompanhar o ritmo. O resultado disso é que baixar aplicativos por essas lojas não é mais um processo tão conveniente quanto costumava ser. 

Obviamente que sempre há espaço para melhorias. Nesse espírito, confira abaixo três maneiras pelas quais a Apple poderia realizar mudanças positivas em suas lojas de aplicativos.

Clientes melhores

De certa maneira, os clientes de aplicativos da App Sotre são um pouco incríveis: eles colocam centenas de milhares de softwares ao alcance dos seus dedos, eliminando a necessidade de ir até uma loja física, abrir a carteira e todo o processo sempre que quiser comprar um aplicativo.

Mesmo assim, o cliente de aplicativos que as pessoas usam para acessar a App Store nos Macs e aparelhos iOS está ficando um pouco para trás, apesar da renovação visual instaurada com o iOS 6.

No meu iPad 3, por exemplo, a App Store é dolorosamente lenta. Leva um tempo considerável entre o momento em que toco no ícone do app até que possa fazer qualquer coisa. E o aplicativo às vezes “congela” enquanto espero para que uma tela em particular seja renderizada. Admito que as coisas andas mais depressa no iPhone 5, mas essa não é a experiência que esperava de um sistema que coloca tanta ênfase na resposta e no foco.

A velocidade é um problema menor no Mac, mas navegar a versão para desktop da App Store ainda é frustrante. Por exemplo, a falta de uma interface com abas – um recurso que pareceria perfeitamente em casa no OS X, em que muitos outros apps o implementam – torna a comparação entre vários produtos para compra difícil de ser feita.

Com um único homem agora assegurando para que todos os aplicativos da empresa sigam princípios de design, a Apple tem uma oportunidade de revisar isso e melhorar a maneira como eles interagem com os usuários.

Busca melhor

Obviamente que questões de velocidade e interface gráfica não seriam tão problemática se consegue o aplicativo correto fosse fácil. Infelizmente, a busca da Apple funciona bem apenas quando você sabe exatamente o que está procurando, e é normalmente “enganada” por qualquer coisa que não seja uma palavra chave.

Por exemplo, buscar por “senha” corretamente traz uma variedade de apps de gerenciamento de senhas, enquanto que buscar por “apps para gerenciar minhas senhas” não traz nenhum resultado. Considerando o nível de sofisticação que a busca na web alcançou nos últimos anos, a habilidade de entender uma pesquisa escrita em português (ou inglês) parece um recurso obrigatório.

Outro fato para ilustrar a situação atual. Recentemente estava buscando o excelente app Kaleidoscope. Como não consegui lembrar seu nome de cara, busquei por ele usando o termo “diffs” – bastante comum entre desenvolvedores, que o utilizam para um formato de dados que descreve a diferença entre dois documentos. A App Store não retornou nenhum resultado até eu mudar minha busca para “diff”, quando o Kaleidoscope apareceu como o primeiro resultado. Algum usuários poderia argumentar que diffs é um termos especializado – e, para ser justo, a tela com os resultados incluiu um “Você quis dizer...” que apontava para o resultado correto, mas o Google não teve nenhuma dificuldade em identificar uma palavra no plural e me direcionar para páginas que contém sua forma no singular. Caso não tivesse sido persistente, o pessoal da desenvolvedora Black Pixel teria perdido uma venda sem nenhuma culpa.

Melhor curadoria de apps

Por causa do enorme volume de aplicativos nas suas App Stores, o papel de curadoria da Apple está se tornando cada vez mais importante. O conhecido forte controle da empresa sobre seus canais de distribuição normalmente é fonte muita controvérsia, mas não há como negar que ela promove todos os apps de maneira justa: em uma semana qualquer, o lançamento mais recente de uma gigante da Electronic Arts, por exemplo, por dividir a seção Escolha dos Editores com um aplicativo feito por uma equipe de desenvolvedores tão talentosos quanto, mas desconhecidos do grande público.

Mas a partir da perspectiva de usuário, as recomendações da Apple são, de maneira simples, muito impessoais. A natureza de um review é de que traga inevitavelmente uma “cor” do background pessoal e as preferências de seu autor. Assim, saber quem escreve as recomendações da App Store é uma parte importante para decidir se você pode gostar (ou não) das indicações.

Além disso, ninguém sabe quem são os misteriosos “editores” da App Store. Nem como fazem suas escolhas semanais. Para ser claro, não estou sugerindo a App Store tome o lugar que corretamente pertence às publicações, mas colocar um rosto humano em seu processo de editores o tornaria mais relevante para todos que fazem uso dele.

Ainda nessa linha, uma maior interação social poderia ajudar nessa curadoria da App Store. Com tantos aplicativos disponíveis, seria muito bom ter em mãos, de maneira fácil, as recomendações e ideias de amigos e colegas de trabalho. 

Apesar de o esforço anterior da Apple nas redes sociais, com o Ping, não ter dado nada certo, isso não significa que a empresa deveria deixar esse segmento de lado. Ainda mais porque buscar recomendações de apps em serviços como Facebook e Twitter não é uma tarefa fácil.

Para mais um milhão de apps

A App Store continua sendo um dos meus produtos favoritos da Apple nos últimos dez anos. O serviço soprou vida nova na comunidade de desenvolvedores independentes, levando-a para a vanguarda da maior revolução na computação desde os anos 1970, e permitiu que milhões de pessoas possam ter acesso a programas de alta qualidade por preços acessíveis.

É razoável pensar que a Apple está trabalhando duro para melhorar suas lojas online de apps, e refinando essas áreas citadas – clientes de aplicativos, busca, e curadoria – a companhia vai avançar um longo caminho no sentido de preparar a sua presença no mercado de software online à espera do próximo milhão de apps, que podem muito bem chegar bem antes do que o primeiro.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail