Home > Notícias

Opinião: Já temos muitos jogos multiplayer

Games com modos online continuam sendo lançados e não serão jogados; 'Call of Duty', 'Halo' e 'Gears of War' já dominaram o mercado.

GamePro / EUA

23/07/2010 às 19h43

Foto:

O multiplayer agora é o padrão. Alguns estarão satisfeitos ao admitir o fato, outros o farão de má vontade. Mas, quer você goste ou não, o multiplayer não só chegou para ficar como está em todo lugar. Curioso, não? E não há nenhum problema com isso – pelo menos até você perceber que o tempo é finito, a vida é temporária e os gamers não têm tantos fins de semana para se dedicarem aos jogos.

Graças ao interesse dos desenvolvedores e dos consumidores, o modo multiplayer se tornou condição obrigatória para que os gamers não considerem o jogo um produto inferior. Essa foi uma das principais reclamações quanto ao BioShock e muitos ficaram insatisfeitos com o Red Steel 2 pelo mesmo motivo. Será que nós realmente queremos o multiplayer nesses jogos ou estamos simplesmente choramingando sem ao menos pensar no que pedimos?

Não há muito espaço no mundo do multiplayer e jogos como Call of Duty, Gears of War e Halo já ocupam grande parte dele – o resto luta pelas sobras. Quando você pensa sobre isso, uma vez que já tenha um desses citados, você, de fato, sente falta, ou tem tempo, para outro? Caso já possua o Halo 3, por que iria querer mais um que faz exatamente as mesmas coisas que o Halo se propõe a fazer? De quantas maneiras diferentes você conseguirá capturar a bandeira antes que o game fique velho?

Em geral, os usuários se dedicam a um ou dois títulos. Parte da diversão do multiplayer é ficar craque no game, saber de cor os mapas, praticar com diversas armas e, finalmente, se tornar um exterminador. Uma coisa é certa: não dá para conseguir isso enquanto se joga online 15 jogos de tiros diferentes.

As pessoas estão implorando por mais games multiplayer sem mesmo considerar que elas não os jogarão. Quando a Sega lançou Streets of Rage 2 e Golden Age para Xbox Live Arcade, pensou que faltava um componente online. Pois bem, se conecte a um deles e veja quantos estão lá se divertindo. Exato: está igualzinho à semana de lançamento. Ninguém quer jogar Streets of Rage 2 online, mas, se não houvesse a opção, já estariam tacando pedras.

No atual contexto, desenvolvedores tascam multiplayer em seus jogos sem se importar se alguém irá se interessar em jogá-los online. É como se eles simplesmente preenchessem uma tarefa pendente com um visto e se sentissem aliviados. Quantos de vocês já jogaram Dark Sector pela internet? Ou o Overload? Céus, quantos de vocês ao menos sabem que existe essa opção no Overload?

gamesshutter_625.jpg

A indústria do vídeo game chegou a um ponto em que os consumidores não estão jogando jogos construídos inteiramente sobre uma plataforma multiplayer, muito menos aqueles que foram adaptados de última hora. Section 8 e Shadowrun são exemplos notáveis de games para se jogar online com os quais ninguém se importa. Eles não são ruins, mas atraíram um número suficiente de jogadores porque, novamente, uma vez que você tenha jogado Gears of War, não se sentirá instigado a partir para outro. Muitos games multiplayer estão surgindo e fracassando porque nós já temos tudo o que precisamos.

O meu ponto não é que os desenvolvedores devem desistir de tentar competir com Halo e Call of Duty. Nós nunca teríamos nenhum desenvolvimento na indústria se houvesse competição. Os fabricantes de games, entretanto, deviam pensar cuidadosamente sobre o que eles desejam para seus produtos e, mais importante, os gamers também devem pensar o que eles querem. Se um desenvolvedor quiser superar o Halo, que coloque todos seus esforços na construção de um multiplayer que tenha algo que seu concorrente não tenha. A Rebellion, por exemplo, obteve grande sucesso com o seu Aliens vs. Predator, devido, principalmente, ao seu modo online diferenciado, mesmo que cheio de falhas.

Da mesma forma, se o foco de sua companhia será o modo single-player, reflita sobre a possibilidade da não adicionar o multiplayer, em vez de colocá-lo de qualquer forma, depois um grande, e inútil, empenho. Apenas dê uma olhada no BioShock 2: a 2K contratou a Digital Extremes para a criação de uma história completamente distinta para sua opção online. Ninguém o está jogando na rede. Um bom game single-player não deveria perder seu tempo em desenvolver um modo multi-jogador, que ninguém ira usar, simplesmente porque um mercado que não sabe o que quer assim o exige. Agora, por favor, alguém poderia ir jogar Golden Age?

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail