Home > Notícias

Opinião: por que o app do Google Maps para iPhone é uma boa para a Apple

Lançado na última semana, serviço da gigante de buscas pode representar um tempo de calmaria para a empresa de Cupertino melhor sua própria oferta de mapas.

Lex Friedman, Macworld / EUA

14/12/2012 às 16h25

googlemapsios_435.jpg
Foto:

Apesar de seus feitos estéticos, o aplicativo de Mapas da Apple no iOS 6 deixou os usuários infelizes. Acontece que os anos que o Google passou criando seus dados de mapas foram muito importantes: as informações da Apple – usadas no novo app Mapas – não tinham os testes do mundo real e dos usuários dos quais o Google Maps se beneficia. É por isso que o CEO da empresa, Tim Cook, pediu desculpas aos usuários pelas falhas do app. E é por isso que os consumidores agora estão tão animados em ter o novo aplicativo gratuito de mapas do Google para iPhone. E sabe quem mais gostou do novo aplicativo da gigante de buscas? A Apple.

Por que abandonar o Google?

A Apple não comentou sobre a razão para ter encerrado sua relação com o Google para os Mapas do iOS 6. A explicação mais pública que a empresa ofereceu veio na carta pública de desculpas de Tim Cook, quando ele escreveu:  “Nós queríamos fornecer aos nossos usuários Mapas ainda melhores, incluindo recursos como caminhos passo-a-passo, integração com voz, Flyover e mapas baseados em vetores. Para fazer isso, precisávamos criar uma nova versão do Mapas do zero”.

A implicação aqui – e a conclusão a partir dos rumores sobre o assunto – é que o Google não permitiria a Apple oferecer recursos como navegação passo-a-passo com assistente de voz ou imagens de mapas baseados em vetores, pelo menos não sem aumentar substancialmente as taxas de licenciamento. Algumas pessoas também sugeriram que o Google queria inserir anúncios no app de Mapas, e que a Apple não permitiria esse tipo de promoção em um aplicativo nativo do sistema.

Vamos dizer que é por isso que a Apple se sentiu forçada a lançar seu próprio serviço de Mapas.

Agora, o Google lançou um aplicativo próprio gratuito de Mapas, que obviamente avalavanca os dados de mapas da gigante de buscas. E o app do Google oferece recursos como – você adivinhou – mapas baseados em vetores, direções passo-a-passo, e assistente de voz. E, ao menos até o fechamento desse artigo, não há anúncios publicitários no app.

Em outras palavras, a Apple tirou o Google do seu aplicativo oficial Mapas para iOS porque queria que os seus usuários tivessem acesso a um app gratuito (e sem anúncios) com navegação passo-a-passo e mapas baseados em vetores. E agora, o Google – asism como a Apple,  está oferecendo aos consumidores exatamente o mesmo conjunto de recursos.

Isso não é um grande problema para a Apple.

mapasios6_435

Lançado junto com iOS 6, app de mapas da Apple foi muito criticado por falhas e ausência de serviços essenciais

O que a Apple perde se você usar o Google Mapas

Se uma porcentagem significativa dos usuários de iPhone mudar para o app do Google Maps em vez do app nativo da Apple, o que a empresa de Cupertino vai perder? Não muito.

A Apple já admitiu há uns tempos que agrega dados de localização anônimos (sem identificar os usuários) dos aparelhos iOS. Ela começou a fazer isso muito antes do lançamento do iOS 6. Isso significa que, mesmo que você use um app diferente para buscar direções, a Apple ainda pode presumivelmente reunir dados úteis sobre padrões de tráfego, localizações de hotspots Wi-Fi, e outros dados valiosos baseados em localização.

E o aplicativo de Mapas da Apple é explicitamente não monetizado. Não há anúncios. Por isso, a empresa não está perdendo rendimentos de publicidade lucrativa quando os usuários escolhem usar o Google Mapas no seu lugar. Como a Apple ganha dinheiro principalmente com a venda de aparelhos, em vez de anúncios publicitários ou outros conteúdos, ela já tem o seu dinheiro de quando você comprou o iPhone.

Mas a Apple perde algo com a chegada do Google Maps. Mais especificamente, isso comprova a cada vez maior má reputação que seu serviço de mapas ganhou desde o lançamento no iOS 6. Por outro lado, os usuários novatos e mais experientes entendem a App Store, e qualquer um com um iPhone (ou iPod Touch) compatível pode descobrir como encontrar o app do Google, fazer sua instalação e usá-lo. Isso tira muito o foco do app de mapas da Apple, e dá à empresa um pouco de espaço para respirar enquanto melhora seu serviço.

O que a Apple vai fazer agora?

O Google é um desenvolvedor ativo e inteligente da App Store há tempos. Não há dúvidas de que a gigante de buscas continua a melhorar e refinar o Google Maps. Uma compatibilidade eventual com o iPad parece algo certo de chegar em breve, assim como é provável a integração com seus contatos iOS (para que você encontrar o endereço deles rapidamente, por exemplo), e talvez um suporte para voz no estilo Google Now para solicitar caminhos e direções. Pela maneira que o Google tem criado seu próprio microcosmo dentro dos aplicativos da Apple, parece provável que você poderá solicitar as direções do Google Maps por meio do app de Buscas da empresa e da versão iOS do navegador Chrome.

Mas e quanto a Apple? Se, no final das contas, a empresa de Cupertino conseguir o que queria – um aplicativo de mapas sólido e com bons recursos, mesmo que fornecido separadamente pelo Google – você pode argumentar que a fabricante do iPhone poderia quietamente deixar seu app Mapas seguir o mesmo caminho do Newton, OpenDoc, MobileMe, e Ping para o Grande Céu dos Produtos que Não Deram Certo.

Só que isso não vai acontecer. A Apple não pode e não vai permitir que um recurso importante como os mapas sejam de propriedade e definidos por uma empresa de terceiros, não importa quanto trabalho e luta ainda reste para a empresa criada por Jobs fazer até melhorar seu serviço. Apesar de ser muito improvável, o Google pode chegar um dia e acabar com seu app mapas para iOS. Pensando de forma mais realista, o Google Maps pode receber vários anúncios publicitários, ou integração obrigatória com o Google Plus (rede social da empresa), ou outros recursos que enlouqueceriam a Apple.

Assim, só há um caminho são e inteligente para a Apple seguir: dar as boas-vindas ao alívio muito necessário oferecido pela chegada do Google Maps ao iPhone, e continuar trabalhando nos bastidores para tornar seu aplicativo de Mapas o mais competitivo possível.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail