Home > Notícias

Os perigos de mexer demais no Windows

“Se não está quebrado, não tente consertar”. Fuçar o sistema em busca da solução de um problema pode causar problemas ainda maiores, tenha cuidado e pense antes de agir.

Rick Broida, PCWorld EUA

25/04/2012 às 14h57

Foto:

Este artigo é um serviço de utilidade pública: algumas semanas atrás recebi um e-mail de um leitor muito irritado que tinha decidido rodar um utilitário anti-rootkit sobre o qual escrevi - apesar de sua máquina não apresentar nenhum sinal sequer de infecção por um rootkit. Ele fez isso como precaução, mas infelizmente o resultado foi um sistema que não dava mais boot.

Outro dia recebi um e-mail de uma leitora que queria saber como apagar algumas fontes de seu sistema. Por quê? A fonte padrão do Excel mudou de alguma forma, e ela pensou que apagar a nova fonte resolveria o problema.

Mas hoje ouvi um pedido ainda mais bizarro. Um leitor diz que roda um sistema “básico”, sem papel de parede e com uma simples tela preta como protetor de tela. Portanto, ele não precisa de todos os cursores do mouse e papéis de parede que vem com o Windows e quer apagá-los, mas não consegue. Ele quer saber como conseguir a permissão de administrador necessária para completar a tarefa.

cursores_windows-360px.jpg
Os cursores do mouse ocupam só 2 MB. Deixe-os em paz!

Nota um padrão comum? O Windows é um sistema tão modificável que às vezes os usuários exageram ao lidar com ele.

O primeiro usuário, que já estava rodando uma outra ferramenta de segurança, tentou consertar um problema que não existia. É verdade que o utilitário anti-rootkit não deveria ter danificado o sistema, mas é sabido que software de segurança em excesso pode causar problemas.

A leitora que queria apagar uma fonte poderia ter apagado uma ou mais fontes do sistema, o que teria feito com que alguns programas, ou até partes inteiras do Windows, fossem exibidos incorretamente ou deixassem de funcionar.

E apagar cursores do mouse e papéis de parede? Pra quê? É verdade que os papéis de parede consomem espaço em disco, mas hoje em dia é uma quantidade ínfima e eles não afetam de forma alguma o desempenho do PC. E apagar os cursores, embora seja algo a princípio inofensivo, poderia prejudicar o Windows de formas inesperadas. Há zero motivos para fazer isso.

Depois de anos - na verdade décadas - reparando vários tipos de problemas em computadores, me tornei um defensor ferrenho do velho ditado: se não está quebrado, não tente consertar. A não ser que você tenha um motivo muito específico para isso, não mexa nas fontes, cursores do mouse, arquivos de sistema e afins. É muito provável que você faça mais mal do que bem.

E pelo amor de todos os deuses, faça backups regulares. Você nunca sabe quando um utilitário anti-rootkit - que você nem deveria ter instalado, pra começo de conversa - vai sair de controle e transformar seu PC em peso de papel.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail