Home > Dicas

Os seis desastres mais comuns com o iPhone

Mergulhos na máquina de lavar, sobrecarga no carregador veicular, quedas no asfalto... Confira acidentes corriqueiros e saiba como evitá-los

CIO/EUA

02/10/2009 às 15h27

Foto:

Este ano, surgiram alguns casos de iPods e iPhones que explodiram ou superaqueceram. Na maioria das vezes, porém, o aparelho é enviado para a assistência técnica não por conta de falhas de fabricação, mas por conta de problemas causados por seus proprietários.

Aaron Vronko, diretor-geral da Rapid Repair, uma loja especializada em reparos de iPods e iPhones, e autor de um guia sobre consertos para iPhone, preparou uma lista com os principais motivos que deixam o aparelho à beira da morte (e alguns conselhos para evitá-los).

1) “Meu iPhone foi parar na máquina de lavar”
Líquido é o inimigo número um do iPhone. Um leitor da PC World americana disse que a Apple recusou o conserto do aparelho por encontrar uma linha vermelha próxima à base do aparelho. Segundo a atendente da Apple, a marca vermelha é uma espécie de indicador que marca a submersão em líquidos, o que leva à perda de garantia.

Quando o iPhone cai na máquina de lavar, é perda quase certa. "Esse tipo de acidente tem uma alta taxa de mortalidade do aparelho, por conta da penetração do líquido e dano nos compoentes", destaca Vronko. Ou seja: verifique bem os bolsos antes de colocar a calça na máquina.

2) “Liguei meu iPhone no carregador do carro e ele começou a soltar fumaça”
Provavelmente os circuitos internos do iPhone foram queimados. O sistema elétrico de 12 volts dos veículos, usado principalmente para os faróis e luzes interiores, não foi projetado para dar conta da grande variedade de gadgets que são conectados simultaneamente aos carros, como equipamentos de som possantes e smartphones. “É comum termos oscilações de energia porque sobrecarregamos um sistema de pequena capacidade”, explica o especialista.

A boa notícia é que problemas como esse têm conserto. O conector dock do iPhone funciona como uma camada protetora para a placa principal. Uma oscilação baixa poderá queimar apenas o conector dock, exigindo sua substituição.

Vronko recomenda o uso de acessórios para o iPhone de marcas confiáveis, pois eles têm fusíveis melhores - o que protegem o aparelho.  Alem disso, é importante desconectar o carregador veicular no momento que o carro é ligado ou desligado. De acordo com Vronko, são nesses momentos que ocorrem os maiores picos de energia.

>Confira a galeria de iPhone destruídos

3) “Deixei o iPhone cair e a tela rachou”
Com um design fino e carcaça de plástico escorregadia, fica fácil derrubar o iPhone no chão quando ele é retirado do bolso. Caso ele caia em um tapete, nada como uma película protetora para dar conta do recado, mas se for no concreto, torça para não ver a tela trincada.

Mas telas rachadas são substituíveis. “No caso do iPhone 2G, o usuário deverá substituir o módulo do LCD com o digitalizador (digitizer, que reconhece e identifica os comandos de toque na tela), já no iPhone 3G e 3GS geralmente é necessário substituir apenas o digitalizador”, falou Vronko.

4) “Meu iPhone não carrega”
Geralmente este problema está associado às pessoas que forçam o conector dock na posição incorreta ou tentam conectar um cabo errado. Você pode danificar o próprio conector dock e ter de fazer a sua substituição. O conselho é simples: conecte com cuidado os cabos no iPhone e certifique-se que está utilizando o cabo correto. 

Em alguns casos, as pessoas se queixam que a bateria não carregou 100%. O que pode causar esse problema é a sincronia incorreta entre o chip da bateria com o do aparelho, pois o iPhone pode entender que a carga esteja completa, quando na verdade não está. Nesse caso, Vronko aconselha que os proprietários do iPhone gastem toda a carga do aparelho e façam uma nova carga completa. Isso trará a sincronia correta novamente.

5) “Tentei consertar meu iPhone e agora ele não funciona mais”
A pessoa que tenta desmontar o iPhone geralmente volta para a assistência com um punhado de peças por não saber montá-lo novamente (e com mais danos no equipamento). São grandes as possibilidades do problema piorar caso você tente abri-lo, pois é um equipamento bem delicado.

6) “Meu filho diz que nada aconteceu, mas ele parou de funcionar”
Vronko diz: “há dois tipos de pais, os que acreditam no filho adolescente e os que conhecem seus filhos”. Segundo ele, é uma boa aposta acreditar que o filho ou a filha tenha deixado o iPhone cair na água,  no chão ou ainda tenha encaixado o conector dock de forma errada e não quer contar.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail