Home > Dicas

Ouça formatos que o iTunes não toca

MP3 e AAC são os formatos mais populares reconhecidos pelo iTunes. Mas o que fazer quando você se depara com músicas em Ogg Vorbis ou FLAC?

Kirk McElhearn, Macworld/EUA

12/11/2008 às 8h36

Foto:

O iTunes é um tocador de áudio compatível com diversos formatos de arquivo, incluindo MP3, AAC, AIFF e WAV, além do proprietário Apple Lossless. Mas, conforme você explora a internet, encontra outros com nomes como FLAC, SHN, Monkey's Audio, Ogg Vorbis e por aí vai.

Embora o iTunes não reproduza esses formatos, outros programas fazem a tarefa. Ou você pode convertê-los para formatos amigáveis ao iTunes (e, por consequência, ao iPod e iPhone). Veja como fazer isso.

Como o MP3 e o AAC levam a maior atenção da mídia, a maioria dos usuários do iTunes e do iPod nunca ouviram falar de alguns formatos que falamos aqui. Formatos sem perda de compressão (lossless, em inglês) como o FLAC (Free Lossless Audio Codec) e o SHN (Shorten) são apreciados por fãs de música que procuram por maior fidelidade de som. Dá para encontrar esses formatos em sites de artistas, como o Grateful Dead e o Nine Inch Nails, ou em sites como o Nugs.net ou Live Music Archive, do Archive.org.

Os formatos sem compressão não descartam nenhuma informação musical – como ocorre no MP3 e no AAC. Ao reproduzi-los, eles soarão de modo igual como seus originais. Mas a qualidade tem seu preço: arquivos lossless são bem maiores que AAC ou MP3 – cerca de cinco vezes maiores que seus primos com compressão. Se um AAC ou MP3 comprimido a 128 Kbps ocupa 3,7 MB, um FLAC da mesma faixa pode variar entre 15 MB e 25 MB, dependendo da música.

Você pode encontrar ainda outros formatos, como WavPack e Monkey's Audio, além do popular e open-source Ogg Vorbis. Veja os principais formatos de arquivos de áudio e suas extensões:

tabela-formatos

++++
Como reproduzir
Já que o iTunes não entende o FLAC, SHN e Ogg Vorbis, você precisa de ferramentas adicionais para ouvi-los. Para o FLAC, o gratuito Fluke é um AppleScript que permite importar e reproduzir o formato no iTunes (mas sem conseguir enviar para o iPod). Abra os arquivos com o Fluke e deixe o programa trabalhar – ele adiciona os arquivos à biblioteca do iTunes em alguns segundos. Infelizmente, o Fluke está cheio de bugs.

Se você não quer adicionar os arquivos FLAC à biblioteca do iTunes ou se quer tocar outros formatos de arquivo, diversos programas podem ajudar, como os gratuitos Play 0.3 e o Cog 0.07. Ambos reproduzem  FLAC, Ogg Vorbis, WavPack, Monkey's Audio e os demais formatos compatíveis com o Core Audio do OS X (AAC, MP3, Apple Lossless). Ambos permitem reproduzir concertos ao vivo sem interrupções, e o Play deixa o usuário criar uma biblioteca com listas de reprodução.

play-interna

Play 0.3

Um reprodutor de música inusitado é o Toast Titanium 9, da Roxio (100 dólares). Além de gravar CDs e DVDs, ele também reproduz e converte FLAC e Ogg Vorbis – e pode gravar esses formatos em CD.

Converta para algo conhecido
Reprodutores de mídia são bons se você está na frente do Mac, mas você provavelmente quer levar esses arquivos para o iPod ou iPhone. O iPod reproduz apenas AAC, MP3, WAV, AIFF e – em todos os modelos, menos no shuffle – o Apple Lossless. Demais formatos precisam de conversão – e boas ferramentas gratuitas estão disponíveis para a tarefa.

O X Audio Compression Toolkit (ou xACT) 1.64 converte SHN, FLAC, Monkey's Audio e outros formatos em WAV ou AIFF (depois você converte novamente para MP3 ou AAC no iTunes selecionando as músicas e indo ao menu Avançado | Converter Seleção para formato). O xACT também consegue criar arquivos FLAC, SHN, Monkey's Audio e WavPack dos seus CDs. E até criar arquivos MP3, usando o encoder open source LAME.

xact-interna

xACT 1.64

Já o Max 0.8.1, também gratuito, vai um pouco além, convertendo os arquivos diretamente para qualquer formato compatível com iTunes, economizando um pouco de tempo. Ele converte de e para diversos formatos, sendo uma boa solução para lidar com a maioria dos arquivos de áudio no mercado. Também pode ripar CDs, criar tags nos arquivos, entre outros.

Outra ferramenta gratuita é o XLD, ou X Lossless Decoder, que tem como principal vantagem o fato de lidar com listas cue (arquivos de texto que gravam informações sobre o começo e o final de faixas para álbuns ripados como um arquivo único, e são usadas para evitar intervalos nos arquivos MP3).

E, finalmente, se você tem o já mencionado Toast 9, pode usá-lo para converter os arquivos FLAC ou Ogg Vorbis que tiver. Abra o Toast e clique no botão Convert na barra de ferramentas. Depois, clique na opção Audio Files e arraste os arquivos a serem convertidos para a janela principal. Clique no botão vermelho no pé da página e selecione o formato a ser gravado na caixa de diálogo que aparecer. Em Options, você define as configurações de exportação (bit rate, entre outras).

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail