Home > Notícias

Para analistas do Gartner, o Windows está entrando em colapso

Falta de modularidade, burocracia para atualização e licenciamento ruim representarão sérios problemas à MS em médio prazo, diz Gartner.

Computerworld/EUA

11/04/2008 às 9h50

Foto:

Classificando a situação de "insustentável" e descrevendo o Windows como "em colapso", dois analistas do Gartner afirmaram nesta quinta-feira que a Microsoft deve fazer mudanças radicais em seu sistema operacional caso prefiram manter a dominação de mercado.

Em uma apresentação em uma conferência organizada pelo Gartner em Las Vegas, os analistas Michael Silver e Neil MacDonald afirmaram que a Microsoft não apenas não respondeu às exigências do mercado como também está "queimada" por quase duas décadas do seu legado de decisões e códigos fechados e vem enfrentando competição séria em todas as frentes que farão o Windows murchar caso a empresa não tome atitudes.

"Para a Microsoft, seu ecossistema e seus clientes, a situação é insustentável", afirmaram Silver e MacDonald na apresentação, chamada de "O Windows está em colapso: como a próxima jogada ocorrerá".

Entre os problemas da Microsoft, afirmaram, está a mudança rápida na base de códigos do Windows, o que torna virtualmente impossível criar uma nova versão com mudanças substanciais. Isto foi provado com o Vista, afirmaram, quando a Microsoft - frustrada pela falta de progresso durante os cinco anos de desenvolvimento - apertou o botão "reset" e apelou para o código do Windows Server 2003 como a fundação do Vista".

"Esta é grande parte da razão pela qual o Windows Vista é vendido primordialmente como um apanhado de melhorias", diz a dupla. Por outro lado, esta é também uma das razões pelos clientes corporativos adiarem seus planos de adotar o Vista. "A maioria não entende os benefícios do Windows Vista ou não o vê como algo melhor o suficiente que o XP para justificar o custo e sofrimento de uma migração".

Outros analistas vêm alertando para a migração lenta do Vista. Em março, o Forrester afirmou que, até o final de 2007, apenas 6,3% dos 50 mil clientes corporativos entrevistado estavam trabalhando com Vista no primeiro ano após seu lançamento.

A natureza monolítica do Windows - mesmo que a Microsoft fale em modularidade no Vista - não apenas dificulta a publicação de atualização como também ameaça a Microsoft em médio e longo prazo.
++++
Usuários querem um Windows menor que rode em hardware de baixo custo. E, cada vez mais, usuários trabalham com aplicativos sem relações diretas com sistemas operacionais, afirmaram ambos. Enquanto deverá demorar até que a Microsoft construa a próxima versão do Windows, a companhia será ultrapassada por rivais na arena da inovação e no futuro, talvez até nos próximos três anos, haverá problema de competição com aplicações online e pequenos aparelhos.

"A Apple introduziu seu iPhone rodando Mac OS X, mas a Microsoft precisa de uma produto diferente entre portáteis para o Vista, dado seu tamanho, o que faz o desenvolvimento de aplicativos, suporte e experiência do usuário mais difíceis", de acordo com Silver e MacDonald.

"O Windows como conhecemos será substituído", afirmaram.

O conselho para a Microsoft é apostar em virtualização. "Prevemos um mundo muito modular e virtualizado. Um sistema operacional, no caso do WIndows, rodará sobre a aplicação de virtualização, mas será menor e mais modular do que é hoje. Até a API do Win32 deve ser um módulo que pode ser integrado para manter o suporte a aplicativos tradicionais do Windows em alguns aparelhos".

A dupla ainda sugeriu que a Microsoft facilitasse a migração para novas versões do Windows, repensasse o sistema de licenciamento do Windows e apresentassem uma versão modular do Windows que poderiam aumentar ou diminuir conforme necessário.

A Microsoft já tomou algumas medidas destacadas pelo Gartner, como o aumento do suporte do Windows XP Home para que fabricantes de ultraportáteis possam usar o sistema operacional em laptops mais leves e baratos até 2010.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail