Home > Notícias

Para executivo do Google, em três anos desktops serão irrelevantes

Crescimento da venda de smartphones pelo mundo empolga empresa, que pretende reforçar investimento em buscas móveis.

Jeff Bertolucci, da PC World/EUA

04/03/2010 às 10h44

Foto:

Uma coisa é certa: o Google não está exatamente confiante nas possibilidades a longo prazo para desktops convencionais ou laptops. Em relação às buscas online, os computadores tradicionais serão irrelevantes em três anos, segundo o vice-presidente de operações globais da empresa, John Herlihy.

O executivo, que mora na Irlanda, fez suas previsões sobre os desktops durante um discurso na conferência Digital Landscapes em Dublin, de acordo com o serviço de notícias de tecnologia irlandês SiliconRepublic.com. “Em três anos, desktops serão irrelevantes. No Japão, a maior parte dos estudos atualmente  é feita em smartphones, não PCs”, disse Herlihy.

O discurso de Herlihy segue a linha de pensamento do CEO da empresa, Eric Schmidt, que anunciou em fevereiro que o Google ia focar nas buscas móveis, não em desktops, e pediu para desenvolvedores de aplicativos fazerem o mesmo.

Em sua palestra no Mobile World Congress, em Barcelona, Schmidt apontou que as vendas globais de smartphones e outros dispositivos móveis crescem rapidamente e em breve vão superar as vendas de PCs convencionais.

Há poucas dúvidas de que os smartphones estão presentes no mundo inteiro. De acordo com um relatório recente da Organização das Nações Unidas (ONU), cerca de dois terços de toda a população mundial atualmente usa telefone celular, e a revolução dos dispositivos móveis ainda está no começo.

Mas isso significa que os desktops estão com os dias contados?

Certamente, o foco da estratégia do Google na computação em nuvem e na conectividade é visível em cada projeto da empresa, seja em aplicativos de produtividade online, como o Google Docs, ou na sua rede experimental de banda larga via fibra óptica.

Mas é mais provável que os PCs convencionais tenham uma vida mais longa e saudável do que o Google diz. Grandes desktops estão desaparecendo, obviamente, mas isso se deve a novos desenvolvimentos. Laptops menores, mais leves e com maior mobilidade vão ganhar espaço, exceto em lugares que precisam de processamento local máximo para energia e armazenamento.

Os smartphones são ótimos para muitas coisas, mas não são dispositivos para substituir desktops, seja em casa ou no escritório. Novos aparelhos, como o iPad e outros tablets similares, podem ser a ponte entre telefone e desktop. E laptops vão se tornar populares em países em desenvolvimento, principalmente com a queda no preço do aparelho.

Talvez um dia as categorias “smartphone” e “laptop” deixem de ser usadas e tudo seja chamado simplesmente de dispositivo móvel.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail