Home > Notícias

Plano de banda larga exigirá campanha sobre segurança da informação

Segundo, especialista da Symantec, novos usuários que vão entrar no mundo virtual terão de ser educados sobre riscos na internet.

Edileuza Soares, da Computerworld*

15/04/2010 às 9h06

Foto:

A implantação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) pelo governo brasileiro vai exigir uma campanha para orientar os usuários sobre as medidas de segurança que devem ser adotadas antes de navegar na internet.

O alerta vem do gerente de engenharia da Symantec para América Latina, Paulo Vendramini, um dos participantes da conferência anual Vision 2010, que está sendo realizada pela empresa de segurança da informação, em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Vendramini lembra que pesquisas da Symantec colocam o Brasil entre os cinco primeiros colocados em ranking mundial com botnets, desenvolvimento de códigos maliciosos e distribuição de spams. Esse talento dos crackers do mercado local pode ser aproveitado para atrair novos usuários que entrarão na web estimulados pelo programa de inclusão digital do governo, caso eles não tenham micros protegidos e noções básicas sobre segurança, acredita o executivo.

O executivo da Symantec afirma que é papel do governo e das organizações orientar os usuários sobre como se proteger no mundo virtual. Ele cita o caso das instituições financeiras que estabelecem regras para o uso adequado do internet banking.

Outro exemplo mencionado pelo especialista é o de grandes corporações que estão incentivando pequenas empresas, que são suas parceiras de negócios a adotarem mecanismos de proteção de dados. “Tem de existir um ecossistema de proteção”, adverte o gerente da empresa de segurança da informação.

O vice-presidente da Symantec para América Latina, Wilson Grava, observa que os cibercriminosos não estão mais interessados em atacar hardware, mas sim em roubar dados confidenciais das empresas e dos usuários. No caso do consumidor final, eles buscam informações das contas de e-mails, financeiras e número de cartão de crédito para aplicar golpes com identidade falsa.

“As pessoas precisam ficar atentas às informações que vão colocam nas redes sociais”, diz o executivo. Segundo ele, um dos principais fatores que elevam as estatísticas dos golpes no mundo online é a falta de cuidado dos usuários, que abrem e-mails sem prestar atenção e também por não adotarem medidas básicas de proteção.

Vendramini conclui que a popularização da banda larga e a entrada de novos computadores na web ajudam a aumentar os crimes na rede.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail