Home > Dicas

Foto digital: saiba como o polarizador corrige defeitos comuns

As pessoas acreditam tanto nas mágicas da fotografia digital. Saiba como usar filtros polarizadores em fotos de objetos.

PC World (EUA)

09/05/2008 às 11h48

Foto:

fix_photo_150As pessoas acreditam tanto nas mágicas da fotografia digital que já é comum achar que o computador resolve qualquer tipo de problema.

Quer corrigir o ajuste do tempo de exposição? Vá em frente. Melhorar a nitidez de uma foto? Fácil. Arrastar um elemento de uma foto para outra completamente diferente? Moleza.

Mas tem um efeito que simplesmente não dá para imitar no computador: o efeito de um polarizador.

O que faz um polarizador

Um polarizador, também chamado filtro polarizador, soa como algo pelo qual só um físico se interessaria. Quando a luz atinge um objeto, ela tende a ser refletida de forma um tanto irregular, ou seja, as ondas de luz refletidas irradiam em múltiplas direções. Um polarizador faz com que apenas as ondas de luz alinhadas a determinado eixo passem pelas lentes da câmera, barrando todas as outras formas erráticas de irradiação.

Bem, essa é a explicação científica. Há outra, mais simples: luz não-polarizada é a ruína das grandes fotos. Por causa dela se vê reflexos na água e no vidro, além de céus sem contraste nem profundidade. Com o uso de um polarizador, é possível eliminar tais reflexos e tornar as fotos do céu mais vivas, de tal maneira que seria impossível obter o mesmo resultado com um software de edição.

Beabá do polarizador

Curioso? Para entrar na brincadeira, você vai precisar de um polarizador. A maioria dos filtros polarizadores se encaixa nas lentes das câmeras por rosqueamento. Será preciso descobrir o diâmetro de suas lentes (essa informação vem geralmente marcada na própria lente, e é medida em milímetros). Faça uma pesquisa no Shopping IDG para conhecer as opções.

Se a lente de sua câmera não tiver rosca para encaixe, o uso de um adaptador pode ser uma saída; consulte o manual da câmera para saber se isso é possível.

Existem dois tipos de polarizador: linear e circular. Deixe de lado os polarizadores lineares; eles confundem o medidor automático de exposição da câmera, o que significa que sua câmera usará o tempo de exposição errado. Os polarizadores circulares não têm esse problema.

Se você já tem algum filtro na câmera (como os de luz natural, UV, ou de névoa), tire-o. Combinar filtros não é uma boa idéia, porque pode provocar um efeito chamado vignetting. Em outras palavras, o tubo formado pelos vários filtros torna-se tão longo que acaba aparecendo na foto, causando manchas escuras nas bordas da imagem.

O polarizador não é o tipo de filtro que deve ser deixado na câmera o tempo todo. Ele reduz dramaticamente a quantidade de luz que chega ao sensor, por isso não é aconselhável usá-lo em fotos de ambientes fechados ou com pouca luz. Mas pode ser útil como um filtro de “densidade neutra”, permitindo que se aumente a exposição mesmo em paisagens com luz intensa, ou que se tire fotos com velocidade menor de abertura para captar efeitos borrados, que dão a sensação de movimento, sob o sol do meio-dia.

Usando um polarizador

Chega de teoria – vamos à prática. Um polarizador tem duas partes: uma base que se enrosca nas lentes da câmera, e um aro móvel que deve ser ajustado com os dedos na hora de tirar a foto. Fique de olho no visor enquanto gira o aro do filtro e você notará seu efeito. No ponto de polarização mínima, a cena parecerá inalterada, como se nem houvesse filtro. No entanto, gire o filtro por 90 graus e você verá o efeito aumentar. Continue a girar o filtro, e o efeito diminuirá. A idéia é girar o filtro tanto quanto for preciso, parando assim que se encontrar o melhor efeito.

Vale lembrar que o efeito será melhor se a posição do fotógrafo for perpendicular (90 graus) ao sol. Fotos tiradas de frente ou de costas para o sol não serão beneficiadas com o filtro, não importa o quanto se gire o polarizador.

143571-polarizer_sky

Como já foi dito, o efeito do polarizador varia. Na posição mínima, você terá os mesmos resultados que teria se ele não estivesse instalado. A foto acima, à esquerda, mostra um céu chapado, de azul tímido.

Antes de tirar a foto à direita da mesma paisagem, o polarizador foi rotacionado em cerca de 90 graus. Boa parte da imagem permaneceu igual, mas o céu ganhou relevo – há mais contraste entre o céu e as nuvens, e o azul é mais profundo e expressivo.

143571-polarizer_glass

O mesmo truque ajuda a reduzir reflexos em vidro e água. Note o vidro da porta na foto acima, à esquerda. Este é o tipo de reflexo que vemos quando tentamos fotografar uma cena através de uma janela ou vitrine.

Com o polarizador, contudo, esses reflexos desaparecem. Na foto à direita, a janela tornou-se opaca porque o interior da casa estava escuro, mas o polarizador também poderia ajudar a ver através do vidro se o ambiente interno estivesse bem iluminado.

O polarizador pode, por exemplo, remover os reflexos de uma vitrine de joalheria. Na praia, você poderá eliminar os reflexos na superfície do mar e tirar fotos dos elementos submersos, como peixes e corais. Só não esqueça que, para o polarizador funcionar bem, você precisa posicionar a câmera em um ângulo de cerca de 30 graus em relação à superfície do vidro ou da água.

Uma última dica: polarizadores não são capazes de eliminar o reflexo de superfícies metálicas, como capôs de automóvel.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail