Home > Notícias

Por que a Microsoft sonha em matar o iPad

CEO da Microsoft tem dito que acabar com o tablet da Apple é "questão de urgência". Saiba o motivo

InfoWorld/EUA

30/07/2010 às 21h00

Foto:

Em vez de construir um sistema operacional melhor com o Windows 8, fortalecer os
esforços da empresa em cloud computing ou entregar uma plataforma móvel capaz
de fazer brilhar os olhos dos usuários, o CEO da
Microsoft, Steve Ballmer, tem dito que sua “questão de urgência” é matar
o iPad.

A declaração de Ballmer equivale a ouvir Akia Toyoda, CEO da
Toyota, dizer que a prioridade número um de sua empresa é construir um carro
capaz de matar o Porsche 911.

Claro que a Microsoft não está sozinha em sua obsessão pelo
iPad. Parece que todo fabricante – Dell, RIM, HP, LG, Samsung e Lenovo – quer agora
fazer um rival para o iPad. O desespero dessas empresas torna-se
particularmente evidente quando se vê como eles se apropriaram da fórmula “X-pad”,
produzindo marcas risíveis como “LePad”, “InterPad” e até “BlackPad”.

Mas as empresas mencionadas são fabricantes de hardware. A
Microsoft é (principalmente) uma empresa de software, o que torna a obsessão de
Ballmer com o iPad ainda mais curiosa. Só nos resta imaginar algumas possíveis
razões pelas quais o CEO tem apontado seu arpão para essa baleia branca.

1:: Steve Ballmer pode estar se deixando levar pelas demandas
de Wall Street.
Agora que a Apple é a empresa mais valiosa do mundo tech,
Ballmer e sua equipe devem estar sentindo todo tipo de pressão de investidores,
analistas e conselheiros para ser mais como a Apple, em vez de continuar a emular
a Microsoft da era Bill Gates.

A História mostra que a empresa faz melhor quando se atém ao
seu nicho de softwares de produtividade e sistemas operacionais, em vez de
tentar ser a rainha de todas as coisas, da busca na web aos videogames.

2:: Steve Ballmer pode estar sob pressão dos fabricantes de
hardware.
HP, Dell e outros fabricantes de hardware estão sentindo a pressão de
Wall Street para entregar um matador de iPad, mas carecem de uma plataforma competitiva.

O Android é certamente um concorrente sério nesse campo e
tem angariado mais reconhecimento e adoção a cada dia – mas também tem sido
vítima de resistência em alguns círculos. A RIM pode ter algo excepcional a
caminho, também capaz de desafiar o iPad.

Mas apenas o sobrenome Microsoft poderia gerar um tipo de
burburinho forte o bastante para levar um tablet a desafiar o iPad em vendas. A
cada dia que os fabricantes esperam por uma plataforma tablet da Microsoft, as
vendas do iPad crescem mais, bem como o preço das ações da Apple. Aí, eles enviam
mais e-mails e fazem mais telefonemas tensos a Ballmer, exigindo algo
igualmente brilhante e com uma tela sensível ao toque - o mais rápido possível.

Talvez até Michael Dell tenha começado a aumentar sua
pressão, com ameaças como “se você não nos der um WindPad OS logo, nós
passaremos a apoiar o Ubuntu em vez do Windows em nossa página principal”.

3: Steve Ballmer pode ser um gênio. O tablet PC não é nada
novo. A Microsoft já garimpou nessa mina, mas nunca obteve grande aceitação a
não ser em nichos específicos. Mas talvez a hora do tablet tenha enfim chegado,
e Ballmer prevê que os usuários de PC de todo o mundo substituirão seus
computadores, monitores, teclados e mouses por tablets com teclados virtuais e
uma tela sensível ao toque.

Ballmer sabe disso – e sabe também que a Microsoft pode construir
o tipo de plataforma que dominará este lucrativo filão.

Para mim, o formato de tablet não lembra tanto “produtividade
e entretenimento” quanto “entretenimento com potencial limitado de
produtividade”. Não posso me imaginar preenchendo uma planilha eletrônica ou
elaborando uma apresentação PowerPoint sem usar o mouse ou numa tela bloqueada
parcialmente por um teclado virtual. Mas, ei, não sou assim um gênio tech.

4:: Steve Ballmer pode ser um pouco insano. Este não é um
diagnóstico clínico. Mas um homem que atira cadeiras em pessoas e finge
pisotear os aparelhos eletrônicos de seus próprios empregados diante de várias testemunhas
pode estar perto disso. A falta de descanso pode também contribuir para
atrapalhar a clareza no pensamento. Estou certo que isso não é sinal de incompetência
ou fanfarronice. Uma leve insanidade, combinada com a privação de sono, poderia
muito bem levá-lo a fazer da morte do iPad a prioridade máxima de seu império.

Agora é sério: Steve Ballmer só precisa relaxar. A Microsoft
já é a rainha do "Unpad".

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail