Home > Notícias

Por que o iPad 3G deve derrubar a rede da AT&T

A operadora, que tem exclusividade da oferta do aparelho no mercado norte-americano, não está preparada para o volume de dados que deve ser utilizado

Mike Elgan - Computerworld / EUA

05/05/2010 às 11h26

Foto:

Finalmente o iPad 3G está entre nós. E com ele também chegaram alguns problemas.

Acredito que tanto as vendas do novo modelo do tablet quanto a utilização de dados irão superar as expectativas, o que significa que mais pessoas estarão usando mais dados do que a AT&T, maior operadora de telefonia móvel dos Estados Unidos, planejou atender.

Pior, outros aparelhos que utilizem a rede podem cooperar com a gula de dados do iPad para sobrecarregar a capacidade de banda larga móvel da AT&T, resultando em redução da velocidade e possivelmente até panes.

Agora a AT&T está investindo para melhorar sua rede de banda larga móvel, mas sua capacidade de largura de banda não são é publicamente conhecida. Também não sabemos exatamente como serão as vendas do iPad. Mas o que sabemos não é tranqüilizador.

O problema com o iPad
Por mais US$ 130 sobre a versão do iPad apenas com Wi-Fi, o novo modelo do tablet com 3G também se conecta de qualquer lugar em que a rede de telefonia celular da AT&T esteja disponível.

Esse preço mais alto apenas dá ao norte-americano a  habilidade técnica de se conectar. Na verdade, a conexão custa uma taxa mensal. Por cerca de US$ 15 ao mês, é possível fazer o download de até 250 MB durante trinta dias. Pelo dobro do valor, o usuário pode desfrutar de dados ilimitados. Não é exigido nenhum contrato. É possível iniciar ou encerrar o plano de dados quando quiser, diretamente do iPad.

Se você escolhe o plano de 250MB e atinge o limite, o tablet pergunta se você quer comprar mais 250 MB, ou mudar para o plano ilimitado. Os usuários do plano limitado serão constantemente convidados para a elevação, e muitos provavelmente a farão.

image_preview.jpg

O uso de dados do recém-lançado modelo 3G deve  sobrecarregar a já limitada rede da operadora

É razoável esperar que os usuários avançados vão precisar de mais dados do que os novatos, baseado no que sabemos sobre como as pessoas usam laptops e telefones celulares. Mas só porque isso faz sentido, não quer dizer que seja fato.

O iPad é diferente. Porque ele é o aparelho de consumo de mídia insuperável, pessoas com menos conhecimento técnico tendem a usar mais dados.

Então enquanto nós, nerds, iremos navegar na Web, checar e-mails e jogar games multiplayer, usuários menos técnicos irão assistir a filmes e programas de TV, olhar fotos no Facebook e realizar outras tarefas que utilizam a banda de forma intensiva. E haverá um grande número de usuários “não técnicos” com o iPad 3G.

Muitas pessoas (idosos, estudantes e público em geral) irão substituir muito do seu consumo de mídia (ou todo ele) com o uso do novo tablet.

Porque a AT&T pode não estar preparada
Como muitos usuários norte-americanos de iPhone podem dizer, a rede de dados da AT&T melhorou no último ano, mas ainda está se debatendo. Mensagens de textos muitas vezes chegam ou são enviadas com atraso. E a navegação na Internet pode ser lenta.

O chefe de Mobilidade da AT&T, Ralph de la Vega, disse, em novembro de 2008, que o tethering, o uso de uma conexão em banda larga móvel de celular para fornecer acesso à Internet para outro aparelho, chegaria “logo” ao iPhone. A Apple também promove a tecnologia como um grande recurso do aparelho. Então por que a AT&T ainda não liberou o tethering? No Brasil já é possível fazer isso.

Nesta semana, a empresa disse a razão exata ao site Engadget: a rede não está pronta para o aumento de tráfego em que isso iria resultar. Espera aí, a AT&T não consegue suportar tethering mas consegue lidar com o iPad Wi-Fi + 3G?

O número de usuários de tethering seria certamente menor do que o de usuários de dados do iPad 3G que estão por vir. E a quantidade de dados por usuário provavelmente será bem maior no novo aparelho da Apple.

A opção de tethering seria cara para os usuários – provavelmente pelo menos US$ 30 por mês além do custo da banda larga móvel – o que pode ser um desincentivo para adoção em massa. O melhor panorama para o tethering é dobrar o custo para o pacote de dados ilimitado do iPad. 

Normalmente tethering não é algo especialmente intensivo, no uso de banda larga. Os usuários plugam seus laptops nos aeroportos para baixar e-mail antes dos voos, ou navegar um pouco pela Web.

Por outro lado, quem usa o iPad vai realizar streaming (transmissão de dados sem necessidade de armazenamento) de programas de TV em apps como ABC Player, ou de filmes pelo Netflix (note que informações recentes sugeriam que o ABC Player exige uma conexão Wi-Fi, e que os filmes do Netflix ficam com qualidade mais baixa na conexão 3G – evidência da tensão entre a experiência que a Apple quer dar e a que a AT&T pode entregar). Além disso, um tsunami de apps irá elevar a demanda por banda, de uma maneira nunca vista.

Estou prevendo que o iPad 3G será um dos presentes de maior audiência para pessoas mais velhas no Dia das Mães e dos Pais. E elles vão direto para TV, filmes e vídeos – as atividades mais intensivas para a largura da banda.

E quando as festas de final de ano chegarem – pode esquecer. O tablet será dado para pessoas de todas as idades, incluindo crianças e adolescentes, que irão se aproveitar dos planos ilimitados de dados.

Então o que nós sabemos sobre tethering? Em primeiro lugar, a AT&T não consegue lidar com o tráfego para o iPhone. Segundo, o tethering será implantado em algum ponto desconhecido do futuro, quando os planos ilimitados do iPad 3G já estiverem sobrecarregando a rede.

A AT&T se comprometeu a fornecer dados para todos os aparelhos iPad 3G e a todos os clientes que escolherem sua futura opção de tethering. É uma quantidade enorme de dados – e possivelmente mais do que a empresa consegue entregar.

Espere! Ainda fica pior
Enquanto isso, demandas adicionais estão vindo de outras partes. O mundo do iPhone não está exatamente parado. O número de usuários do aparelho continua crescendo, assim como o uso de dados por usuário.

E em breve a Apple deve tornar a vida da AT&T ainda mais desafiadora. Nós aprendemos, por exemplo, que Steve Jobs pode estar preparando uma próxima geração do iPhone com uma segunda câmera frontal, para videoconferência ou chat, o que envolve fazer upload de um vídeo em streaming de um telefone e fazendo o seu download em um segundo aparelho. Com o plano ilimitado da AT&T, muitos usuários podem apenas fazer uma conexão de vídeo e continuar rodando-a como uma webcam.

Também existe especulação sobre uma future câmera frontal para o iPad.

Essas câmeras podem ser restritas apenas para uso em rede Wi-Fi. Ainda assim, tenho certeza que a Apple gostaria de ver esse recurso funcionar suavemente via banda larga móvel.

Enquanto isso, as já sobrecarregadas redes da AT&T ainda não sofreram com a demanda futura dos usuários de telefone Android. No entanto, a companhia anunciou, em janeiro, que irá lançar cinco handsets Android na primeira metade deste ano. E nós aprendemos nos últimos meses que o uso de dados para Android está crescendo ainda mais rápido do que a demanda para iPhone.

É claro, até a AT&T admitiu que o monopólio do iPhone (e presumivelmente do iPad) não irá durar para sempre. Mas mesmo que amanhã fossem anunciados novas operadoras de iPhone, o fato é que a esmagadora maioria dos usuários já está na AT&T. O seu crescente uso e os aparelhos futuros ainda irão forçar muito a rede da AT&T.

Não deixe ninguém lhe dizer que sabe o que vai acontecer com as vendas do iPad 3G ou com o uso de dados. É um novo mundo, e ninguém pode ter certeza sobre que tipo encargo essa nova plataforma irá colocar sobre a rede de banda larga de dados móvel da AT&T. O que nós sabemos é que a AT&T não está pronta para o tethering que foi prometido.

E quando você combina tethering com planos ilimitados para iPad 3G, crescente uso de dados no iPhone, uma nova linha de aparelhos Android que irão exigir muito da largura de banda e a próxima geração de videoconferência por streaming, é difícil prever como tudo isso junto será administrado por um suporte que não consegue lidar sozinho com um simples tethering.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail