Home > Notícias

Prazo dado pela Microsoft termina e acordo com o Yahoo não sai

Proposta de compra do buscador não foi aceita; MS deve decidir agora se vai atrás de uma aquisição hostil ou desiste no negócio.

IDG News Service/EUA

28/04/2008 às 9h25

Foto:

O Yahoo não conseguiu chegar a um acordo para aquisição no prazo determinado pela Microsoft para encerrar negociações, que venceu no sábado (26/04). A Microsoft deve decidir agora se vai partir para uma aquisição hostil – via batalha acionária – ou se vai desistir da compra.

O corpo de gestão da Microsoft indicou o tempo todo que iria tentar comprar o Yahoo por todos os meios possíveis, incluindo a oferta hostil, que substituiria o atual conselho da empresa por membros indicados pela Microsoft.

Mas, na semana passada, o CEO Steve Ballmer e o CFO Chris Liddell amenizaram o discurso, dizendo que desistir do negócio também seria uma possibilidade.

Procurado no domingo, o Yahoo não quis comentar o assunto. A Microsoft respondeu indicando comentários feitos por Liddell na quinta-feira, durante o anúncio de resultados da Microsoft.

“A menos que façamos progresso no sentido de um acordo com o Yahoo neste final de semana, vamos reconsiderar as alternativas. Vamos fazer atualizações na próxima semana. As alternativas incluem levar uma oferta aos acionistas do Yahoo, ou retirar a nossa proposta e focar em outras oportunidades, tanto orgânicas quanto inorgânicas’, disse o executivo.

Citando fontes anônimas, o Wall Street Journal reportou no domingo que a Microsoft, o Yahoo e seus conselheiros mantiveram conversas nas últimas semanas, mas não avançaram o suficiente para bater o martelo no sábado.
++++
A batalha por ações tornaria o processo ainda mais lento e aumentaria a tensão. Mesmo se a Microsoft vencesse, seria um começo com pé esquerdo para a integração das operações.

No meio tempo, o Google não hesitaria em capitalizar as turbulências internas resultantes da fusão.

Desde a oferta inicial da Microsoft – avaliada em 44,6 bilhões de dólares, em 1º de fevereiro -, o Yahoo procura alternativas, tendo conversado com Google (com quem testa um acordo em links patrocinados), AOL, Disney e News Corp, segundo fontes próximas à negociação.

Dez dias depois da oferta, o Yahoo rejeitou a proposta, dizendo que ela subestimava o valor da companhia. No dia seguinte, a Microsoft avisou que não descartava uma oferta hostil.

Em 5 de abril, a Microsoft voltou a ameaçar o conselho do Yahoo com a compra hostil caso não se chegasse a um acordo “amigável” em três semanas, prazo que venceu no último sábado.

A expectativa é de que nesta segunda-feira a Microsoft se pronuncie oficialmente.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail