Home > Notícias

Previsão: o que a Apple deve lançar em 2013

Nossos editores contam seus palpites para lançamentos da empresa neste ano. Lista inclui iPad mini 2, iPhone 5S, novo Mac Pro e fim do MacBook Pro sem tela Retina.

Dan Moren e Lex Friedman, Macworld / EUA

21/01/2013 às 11h03

appleprevisao2013_43501.jpg
Foto:

Após um ano em que a Apple cedeu aos rivais com o lançamento do iPad mini, não param de surgir rumores sobre a mesma estratégia ser adotada para o iPhone em 2013. Será mesmo? Confira abaixo nossas previsões para as principais linhas de produtos da empresa de Cupertino neste ano que está só começando.

iPad mini 2

A história mostra que a Apple gosta de atualizar seus principais produtos iOS ao menos uma vez por ano. Por isso, nós dois esperamos que a empresa revele um iPad mini atualizado ainda este ano, e provavelmente uma nova versão do iPad original também. No entanto, não concordamos nas especificações do tablet.

ipadmini_435

Lex Friedman: Estou convencido pelo site AnandTech que 2013 não será o ano em que o iPad mini ganhará a tela Retina. Tenho certeza que veremos esse display no tablet menor da Apple um dia – e que vou instantaneamente comprar um. Mas se você olhar para a história do iPhone e do iPad tradicional, a Apple espera pelo menos até a terceira geração de um aparelho iOS para levar essa gloriosa tela para o aparelho.

Dan Moren: As pessoas tem tido reações extremamente positivas quanto ao iPad mini, mas quase todas também concordam que uma tela Retina é algo que está faltando ao aparelho. Claro, nenhum outro aparelho iOS ganhou o display de altíssima resolução tão rápido, mas quando você tem uma melhoria tão clara que pode ser feita, fico pensando se a Apple vai resistir.

Lex: Ah, acho que a Apple quer uma tela Retina no iPad mini o mais rápido possível (para a Foxconn também, que monta os aparelhos da empresa). Mas acho também que o custo deve ser proibitivo. Algumas pessoas já ficaram surpresas ano passado pelo fato de a Apple não ter conseguido vender o iPad mini por um valor um pouco menor (o preço de entrada é de 329 dólares nos EUA). Por isso, suspeito que adotar a Retina muito rápido seria um golpe muito duro para as margens de venda do mini.

Dan: Certamente que o custo é a questão, mas a Apple produz muitas telas Retinas atualmente (não diretamente); eles estão muito melhores (e provavelmente com um melhor custo-benefício) nisso do que estavam quando o iPhone 4 foi lançado (primeiro aparelho a ter tela Retina). Por isso, não acho que seja algo desmedido. Mas vamos ver.

Um novo iPad tradicional

Já vimos dois novos iPads full-size nos últimos doze meses: o modelo de terceira geração, que estreiou em março de 2012, e seu sucessor de quarta geração, que foi anunciado em outubro. Assim, dependendo de como você encara a situação, podemos estar à espera de um novo modelo revisado dentro de um intervalo de seis meses; ou por um período de “descanso” um pouco maior enquanto a quarta geração segue seu caminho no mercado.

ipad4_435

Dan: Imagino que será a segunda opção. As pessoas já ficaram bravas o bastante com a chegada do iPad 4 apenas sete após o lançamento da terceira geração. E esse tablet é um produto maduro o bastante que não consigo imaginar nenhuma renovação que não seja algo mais do que evolucionária. Por que a pressa? Os upgrades mais revolucionários estão no lado do software (sistema) – o hardware é bastante sólido atualmente.

Lex: Certo. Acho que no caso dos iPads, a Apple não precisa se preocupar com os consumidores achando que a companhia está ficando para trás dos rivais em termos de recursos. Mas sabe onde acho que a Apple talvez precise acelerar o passo?

Dan: Nos 100 metros sem barreiras?

Lex: Agora vejo por que nos damos tão bem. Mas não. Acho que a Apple pode ficar com um ciclo de um ano para lançamentos do iPad, mas pode se sentir obrigada a acelerar seu ciclo de lançamentos do iPhone para dois ao ano.

Dan: O que???????

O iPhone 5S

Assim como outubro sucede setembro, muitos novos iPhones substituem modelos antigos nas prateleiras da Apple. Não é uma questão de “se a Apple vai lançar um iPhone novo”, mas sim sobre se teremos apenas um novo aparelho nesta temporada.

Em virtude dos iPhones anteriroes, os recursos mais esperados para o possível iPhone 5S seriam as melhorias de sempre, na câmera, na velocidade do processador e no suporte Wi-Fi do aparelho. Além, é claro, do iOS 7.

iphone5_435

Lex: O iPhone 3G foi seguido pelo 3GS, assim como o iPhone 4 foi sucedido pelo iPhone 4S. Penso que um iPhone 5S chegar depois do iPhone 5 é algo inevitável – mas não acho que será o único lançado pela Apple em 2013.

Dan: Concordo que o iPhone 5S parece mais provável do que um iPhone 6 completamente novo. A esse ponto, a Apple parece ter estabelecido um padrão muito claro de renovações significativas a cada dois anos mais ou menos, com melhorias complementares no intervalo. Mas não sei se consigo embarcar nessa história de “mais de um iPhone no ano”.

Lex: Por alguma razão – ingenuidade, provavelmente – estou disposto a atribuir alguma verdade a esses rumores de um “iPhone mais barato”. Sim, você consegue pegar um iPhone 4 “de graça” nos EUA atualmente (no Brasil, isso está bem longe de ser verdade), mas você precisa de um contrato de dois anos com a operadora para isso. Penso que a Apple quer se sair melhor no mercado pré-pago, onde você tem seu telefone sem nenhuma obrigação contratual. Atualmente, a única maneira de você comprar um iPhone 5 sem contrato da Apple é desembolsando 650 dólares (ou 2.400 reais aqui no Brasil). Se a Apple conseguir encontrar uma maneira de criar um iPhone menos caro para focar nesse mercado, especialmente em outros países, não vejo por que eles não fariam isso.

Dan: Para mim, isso não “encaixa” com a filosofia da Apple de criar produtos dos quais possa ter orgulho. Penso que oferecer os iPhones anteriorees por preços menores parece uma solução bastante razoável. Concordo que a companhia iria gostar de entrar no mercado de vender telefones independentemente das operadoras, mas penso que agora que está para ter disponibilidade em todas as grandes operadoras dos EUA, assim como continuar expandindo sua cobertura em outros países, ela tem as opções que precisa no momento.

Lex: Talvez ele será o “Mac Mini dos iPhones”. Eles fornecem o telefone, e você a tela. Mas falando sério: minha opinião é que se a Apple puder fabricar um iPhone com partes mais baratas – um chip mais antigo e lento, menos alumínio, qualquer coisa desse tipo – sem sacrificar a qualidade do produto de forma geral, eles vão fazer isso. Sei que parece heresia dizer isso, mas talvez um iPhone mais barato possa até vir sem uma tela Retina.

Dan: Claro, e eles poderiam chamá-lo de iPhone 3GS. Apenas não vejo a Apple voltando para iPhones sem telas Retina – ela quer as pessoas seguindo para frente, não retrocedendo. E em termos de preço, ela quer empurrá-los para cima, não lateralmente. Acho que teremos de concordar em discordar nessa questão.

Lex: Eu não concordo.

Dan: Boa, muito boa Friedman.

Lex: Obrigado! Agora, quanto ao iPhone 5S, minha aposta de um novo recurso que eles podem adicionar em uma ferramenta já disponível no smartphone: um rastreador de passos (para exercícios). A Fitbit, a Jawbone, e a Nike possuem acessório que rastreiam os seus passos, e isso parece o tipo de tecnologia que a Apple poderia embutir diretamente no iPhone para consciência em termos de saúde. Você coloca o iPhone no seu bolso, e ele registra os passos caminhados, quantidade de metros, e talvez até quantos andares você subiu.

Dan: A Apple tentou isso com o Nike+ anteriormente, e era algo incompleto. Definitivametne podem ser feitas melhorias nessa área, mas não tenho certeza se a Apple tem tanto interesse assim em fitness.

Macs

Apesar de informações ocasionais que sugerem o contrário, a Apple não se esqueceu do Mac. Na verdade, no meio de 2012, o CEO Tim Cook foi notícia ao dizer para um consumidor desapontado que o Mac Pro finalmente veria um update “realmente ótimo” em 2013. Também já vimos renovações para o iMac e Mac Mini, o que significa que provavelmente não veremos nada além de atualizações menores para essas linhas. E, é claro, o MacBook Pro acabou de entrar no mundo da tela Retina.

macbookproretina1501_435

Lex: Sobre o update do Mac Pro, algumas atualizações são óbvias: Thunderbolt, suporte para Fusion drive, e coisas do tipo. Mas será que o Mac mais poderoso finalmente terá um novo visual?

Dan: Acho que já passou da hora. A parte externa do Mac Pro atual é lá da época do Powermac G5, que, acredite ou não, estreiou há 10 anos. É hora de mudar.

Lex: Minha previsão? Um cubo.

Dan: Sua e do Picasso.

Lex: Em outra nota, atualmente temos MacBooks Pro com telas Retina, outros MacBook Pro sem Retina, e MacBooks Air também essas telas de altíssima resolução. Acha que neste ano a linha de laptops da Apple ficará apenas com tela Retina?

Dan: Ainda pode ser muito cedo para a Apple lançar telas Retina para o Air – atualmente, eles são os modelos com preços menores na linha MacBook. Meu palpite é que eles querem que os MacBooks Pro tenham o recurso com exclusividade por mais um tempo. Mas digo o que não me surpreenderia: o adeus final dos MacBook Pros sem tela Retina.

Lex: Concordo com o fim dos MacBooks. E ainda acho que poderemos ver um MacBook Air Retina neste ano – a Apple gosta muito desse display. Mas enquanto isso é um palpite, sabe o que é certo para o Mac em 2013, Dan?

Dan: Que eu terei um aumento?

Lex: Boa, mas não. Penso que é uma aposta segura que veremos outra sequência na já longa lista de upgrades do OS X com temas felinos. Vale lembrar que a Apple liberou o primeiro preview do Mountain Lion (versão mais recente) em fevereiro do ano passado. Quem sabe como o update desse ano será chamado?

Dan: Mac OS X 10.9 Cuddly Ocelot.

Lex: Algo do tipo. E suspeito que o sistema dos Macs vai continuar a empresas muita coisa do iOS, abraçar o iOS ainda mais, e – um recurso que já está na minha lista de desejos – ganhar algum tipo de suporte para o Siri também.

Dan: Todas boas previsões. A isso, adiciono que espero que o iCloud receba alguns recursos de colaboração, para competir com rivais como o Google Docs. E se eles adicionarem suporte de verdade para dois monitores no modo tela-cheia, vou até Cupertino dar um abraço em cada um dos funcionários da equipe do OS X. 

Todo o restante

A Apple possui algumas outras linhas de produtos, obviamente: o iPod, a Apple TV, AirPort. Além disso, há a sempre popular categoria “produtos completamente novos”.

appletv_43501

Lex: Pelo lado da Apple TV, honestamente penso que o trabalho da empresa em hardware está quase feito. Agora, a companhia precisa de atualizações de software (e conteúdo) mais do que qualquer outra coisa.

Dan: Então você é da opinião que a Apple não vai fazer nada além das set-top boxes que fez até então?

Lex: Eu não disse isso exatamente. Estou apenas falando que o set-top box parece bem encaixado tecnologicamente atualmente. Sobre se a Apple pode lançar um aparelho de TV algum dia – cara, eu não sei. Os rumores sobre o assunto tão tantos que é impossível ignorar a possibilidade, mas faço parte da minoria que não foi convencido que esse é um mercado que a Apple deveria entrar.

Dan: Sei que tentei ignorar (os rumores). E falhei nisso. E concordo, não acho que um aparelho de TV em si seja algo iminente para a Apple. Mas espero que a companhia continue melhorando a Apple TV atual. Tenho uma que uso frequentemente, só que ela poderia certamente ter mais conteúdo, uma interface mais rápida, e uma arquitetura mais amigável para os desenvolvedores.

Lex: Tudo isso dito, acho que não espero nenhum novo produto revolucionário da Apple neste ano.

Dan: Pois é, concordo com você quanto a novas linhas.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail