Home > Notícias

Primeiras impressões: colocamos as mãos no iPad mini

Apresentado nesta semana pela Apple, novo tablet com tela menor impressiona pela portabilidade e leveza. Design segue linha do iPhone 5.

Dan Moren e Jason Snell, Macworld / EUA

24/10/2012 às 13h29

Foto:

O iPad Mini chega nas lojas apenas em 2/11, mas já conseguimos passar algum tempo com o aparelho após o evento da Apple realizado na última terça, 23/10, na Califórnia, EUA. Nossa conclusão: sim, é um iPad pequeno – mas há mais (e menos) do que isso nele. Confira abaixo nossas primeiras impressões do produto ainda sem previsão de chegar ao Brasil.

Como os executivos da Apple fizeram questão de destacar, o iPad mini é primeiramente um iPad. Claro, quando você o segura na mão, ele é impressionantemente leve e pequeno. Mas a maioria, se não todos, dos recursos que você conheceu no modelo tradicional também estão presentes na nova versão menor – entrada para fone de ouvido, botão On/Off, controles de volume, botão Home, e por aí vai.

Mas apesar dessas semelhanças, é difícil explicar o quão diferente é a experiência do iPad mini em comparação ao modelo tradicional com tela maior. É difícil de acreditar, há apenas alguns anos nós ficamos maravilhados com o tablet da Apple e agora toda a experiência do iPad cabe em um pacote que é muito menor e mais leve.

E o Mini não é menos refinado ou bem-desenvolvido do que seu irmão maior. Esse não é um aparelho que parece barato. É todo feito de metal e vidro e extremamente atrativo. Assim como com o iPhone 5, parece um objeto que prensado, em vez de montado.

O esquema de cores reforça esse sentimento. Assim como o iPhone 5, o iPad mini está disponível em preto (com as bordas e parte traseira escuras) ou branco (com laterais e parte de trás prateadas); esses não são os modelos multicoloridos do iPod Nano ou do iPod Touch.

ipadminihandson01.jpeg

Cabe na sua mão

A Apple criou uma situação de conflito de escolha quando criou o iPad original com tela de 9,7 polegadas: aquele grande (e pesado) display tornou o aparelho muito grande para segurar com uma mão. Ele era e continua sendo um ótimo aparelho para ser usado com as duas mãos (ou um para ser usado com uma mão desde que apoiado em uma superfície), mas não é tão portátil.

O iPad mini é definitivamente portátil. Se você tem mãos pequenas e quer segurá-lo no modo paisagem (horizontal), pode encontrar um pouco de dificuldade. Já na orientação retrato (vertical) a tarefa fica bem mais fácil, como segurar um livro mais ou menos. Com 300 gramas, o iPad mini é tão leve que segurá-lo desse jeito parece algo perfeitamente natural. Ele é tão pequeno e leve que achamos que as crianças vão adorá-lo.

Ao contrário dos iPads anteriores, a borda (margem na tela) do iPad mini não possui o mesmo tamanho em todo o aparelho: no modo retrato, as bordas do lado esquerdo e direito são notavelmente mais finas, assim como no iPhone. Suspeitamos que a Apple pensou que fazer isso era algo aceitável entre os usuários uma vez que o iPad mini é leve o bastante para ser segurado com uma mão. Já na orientação paisagem, as bordas maiores ficam nas laterais, te dando bastante espaço para segurar o aparelho com os polegares.

No entanto, mesmo o iPad mini sendo pequeno e leve o bastante para ser segurado com uma mão, nos questionamos sobre o quão fácil será para usá-lo regularmente com apenas uma mão. Deslizar o dedo e tocar com nos apps e opção com o polegar, como você deve fazer no iPhone, é algo possível mas estranho.

ipadminihandson02.jpeg

Também pensamos se esse espaço mais limitado para movimento no uso do iPad mini com uma mão pode levar os desenvolvedores a redesenharem suas interfaces; um representante da Apple com o qual falamos sugeriu que o novo modo de scrolling continuo do app iBooks (da própria empresa) pode ser ter sido introduzido justamente para facilitar a vida dos usuários do iPad mini na hora de ler sem precisar esticar o polegar para fazer um gesto no sentido de virar a página

O iPad mini é estreito o suficiente para tornar fácil a digitação com o polegar em seu teclado virtual no modo vertical – como um iPhone gigante. A digitação com o polegar no iPad tradicional é muito menos confortável – com exceção para quem joga na NBA. Não testamos a digitação com todos os dedos a fundo, mas por ter uma tela menor, imaginamos que será um pouco mais difícil fazer isso no iPad mini do que no tablet com display de 9,7 polegadas. Mesmo que você já tenha dominado a digitação no iPad, pode ter problemas para fazer o mesmo no novo modelo com tela de 7,9 polegadas.

Tela menor

Qualquer pessoa acostumada a usar um aparelho iOS com uma Tela Retina vai perceber imediatamente que o iPad mini não possui uma: os pixels são claramente visíveis. É uma sensação muito parecida com a de olhar para um iPhone 3GS. É uma tela boa e clara, mas se você é um “fiel” da Tela Retina, não ficará feliz. 

Olhamos fotos e textos na tela, e ambos ficaram com visual bom. Ao manter o mesmo número de pixels dos encontrados no iPad 2, enquanto diminui o tamanho físico da tela, o resultado é uma tela de maior resolução; como resultado, tudo fica com um visual melhor do que na segunda geração do aparelho. Testamos uma variedade de aplicativos e não tivemos problemas em “acertar o alvo” em que queríamos tocar, mesmo com todos os elementos de interface do iPad mini sendo um pouco menores do que no iPad tradicional de 9,7 polegadas.

O que é realmente importante sobre o iPad mini – talvez seu traço mais surpreendente – é que mesmo tendo uma tela maior do que os rivais Android de 7 polegadas, o aparelho é mais leve do que a concorrência. Isso é algo importante, porque significa que o tablet da Apple é vencedor em duas dimensões: de alguma maneira a empresa conseguiu colocar uma tela maior que consegue rodar apps poderosos de tablet em um pacote que pesa menos. (Vale notar também que o aparelho da Apple é mais caro que o Google Nexus 7 e o Amazon Kindle Fire HD, que ficam na faixa de 200 dólares – não dá para vencer todas).

ipadminihandson03.jpeg

Mini Smart Cover

O iPad mini que testamos tinha um produto adicional: uma mini Smart Cover. De forma geral, o acessório funciona de forma mais ou menos parecida com a capa para o iPad tradicional. Sua dobradiça de metal foi substituída por uma que é coberta pelo mesmo material da capa, por isso o design é um pouco mais coerente e ligado. Foi fácil tirar e colocar a casa, e ela é tão pequena que adiciona muito pouco peso ao já portátil iPad mini.

No geral, somos um pouco céticos quanto a cases para aparelhos tão pequenos e leves como o iPad mini, mas a Smart Cover parece ser uma boa combinação para o aparelho. Colocados juntos, parece que você está carregando um pequeno livro. Um case mais pesado poderia “esconder” o design leve e fino do aparelho da Apple.

ipadminismartcover01.jpg

Agora é só esperar

Se você acha que o iPad mini é apenas um iPad pequeno, bom, você não deixa de estar certo. Mas ele realmente precisa ser visto para ser entendido. O aparelho é leve, pequeno, e é muito bem acabado. Sua tela é boa, mas definitivamente não tem a mesma qualidade da tela Retina. Quando você ver um, e segurá-lo, vai saber se realmente quer uma unidade. O aparelho chega às lojas dos EUA e outros países selecionados no próximo dia 2/11.

Fiquem ligados para o nosso review completo em breve. 

ipadminihandson04.jpeg

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail