Home > Notícias

Primeiras impressões do iPod nano (quarta geração)

Novo visual é só o começo para as mudanças do novo player da Apple - o mais fino até hoje.

Dan Frakes, Macworld/EUA

18/09/2008 às 15h41

Foto:

Em termos de aspecto físico, o iPod nano apresentou as mudanças mais radicais quando a Apple lançou a linha iPod reformulada. O novo nano deixa para trás o modelo de terceira geração (3G) com formato mais curto e largo para abraçar o perfil mais alto e esguio dos nanos de antigamente — ele é até mais esguio, na realidade. Mas, junto com o novo formato, o iPod nano de quarta geração (4G) incorpora novos recurso de hardware e novo software.

Os dois modelos nano 4G dobram a capacidade de seus predecessores, oferecendo 8 GB de memória flash a 549 reais, e 16 GB por 699 reais. A Apple também retomou o revestimento de alumínio anodizado do nano 2G, aumentou o número de cores disponíveis de seis para nove — preto, prata, rosa, vermelho, laranja, amarelo, verde, azul e púrpura — e tornou-as muito mais vívidas. Todos os modelos estão disponíveis nas nove cores. No Brasil, os modelos começam a ser vendidos em outubro, menos o modelo vermelho.

O mais fino
A mudança mais óbvia do iPod nano 4G em relação ao modelo anterior é o “retorno do alto”.  Com 90,7 mm de altura, 38,7 mm de largura e só 6,2 mm de espessura, o novo nano relembra os tempos dos modelos de primeira e segunda gerações, embora seja ligeiramente mais comprido, mais estreito e mais fino do que estes modelos.

nano-coresComparado a modelos “altos” anteriores, o formato do novo nano o faz parecer ainda mais fino do que suas dimensões indicam: a frente e a traseira curvas produzem uma forma oval que se aninha na mão e afina gradualmente nas bordas. O nano 4G também tem a tela mais leve do todos os iPods, apenas 36,85 gramas -- perceptivelmente mais leve na mão do que os 49,32 gramas da geração anterior.

Achei o formato mais curto e mais largo e as bordas arredondadas do iPod nano 3G apropriados para bolsos e mais confortáveis de segurar do que os nanos anteriores e, por isso, não fiquei empolgado imediatamente com o novo (velho) formato. Mas, tomando como base os comentários que ouvi, creio que sou minoria. Desconfio que muita gente apreciará o novo design. Conforme você verá, o novo formato realmente tem vantagens. Por outro lado, as extremidades superior e inferior do nano 4G retomam as bordas aflitivamente pontudas da segunda geração (2G). Na realidade, são ainda mais pontudas por causa do formato estreito.

Outra mudança perceptível instantaneamente é a tela vertical, necessária em função do formato mais alto e mais estreito. Entretanto, a tela tem exatamente o mesmo tamanho e a mesma resolução do iPod nano 3G: duas polegadas (diagonal), 320 por 240 pixels, e 204 pixels por polegada. A Apple simplesmente girou a tela 90 graus em comparação ao modelo anterior.

Por fim, se a Click Wheel do novo nano parece ligeiramente mais larga do que a do modelo predecessor, não é pura ilusão. Embora o tamanho do botão do centro não tenha mudado, o novo anel da Click Wheel é um pouco maior. Pode não parecer muito, mas descobri que, ao rolar longas listas, meu dedo não escorrega acidentalmente para fora da Click Wheel tanto quanto acontecia com o modelo anterior.

A tela

A orientação vertical da tela do iPod 4G exigiu algumas mudanças na interface com o usuário. Quando você navegar por menus, verá que a visualização em modo Ken Burns foi transferida para baixo (ficava do lado direito da tela mais larga do nano 3G). O resultado é que, apesar de ter uma tela mais estreita, o novo nano possui aproximadamente 50% mais espaço horizontal para menus e quase o mesmo volume de espaço vertical.

nano-main-menu

A Apple se beneficiou deste espaço horizontal adicional aumentando (sabiamente) o tamanho da fonte de menu. Você vê menos linhas de texto na tela em comparação aos menus do nano 3G (sete versus nove, respectivamente), mas o texto é mais fácil de ler. E, pelo menu Definições, você pode aumentar ainda mais o tamanho do texto. Você também pode desabilitar totalmente a área de visualização para ganhar duas linhas adicionais de espaço para menu e aumentar a responsividade do menu.

Se a tela do nano 4G é vertical, como é possível ver vídeos? Em geral, eles são mais largos do que altos. A resposta é que os vídeos sempre executam horizontalmente no nano, exigindo que o dispositivo seja girado 90 graus. A qualidade, essencialmente, é a mesma do nano da geração anterior.

E quanto a outros tipos de conteúdo widescreen, como as fotos horizontais? A Apple acrescentou um acelerômetro, similar ao do iPhone e iPod touch. Gire o iPod 90 graus para a esquerda ou direita — em outras palavras, torne-o horizontal— e o visor muda para o modo widescreen a fim de acomodar melhor este conteúdo.

A Apple fez bons usos do acelerômetro. Primeiro, em vez de ter que acessar o modo Cover Flow por meio de um item de menu, você o habilita girando o nano 90 graus para a esquerda ou a direita enquanto navega pelos menus principal ou Music. (O Cover Flow não está disponível para mídia não-musical.) Então você usa a Click Wheel do iPod para percorrer capas de álbuns. Clicando no botão do centro, você exibe as faixas do álbum selecionado no momento. Ao selecionar uma faixa e pressionar o botão do centro novamente, você executa esta faixa. Um acréscimo interessante ao Cover Flow: quando você rola as capas rapidamente, surge na tela uma grande letra, que é a primeira letra do artista que você está vendo naquele instante. Assim fica bem mais fácil encontrar um artista específico. Uma desvantagem desta abordagem de rotação 90 graus é que os controles da Click Wheel não giram de acordo. Por isso, Menu e Play/Pause foram posicionados nos lados da Click Wheel quando você navega via Cover Flow.
++++
Mas talvez o uso mais excepcional da detecção de movimentos seja a funcionalidade shake-to-shuffle (sacudir para mudar de música): quando você está ouvindo música, basta dar uma sacudida vigorosa no nano da esquerda para a direita a fim de ativar o modo Shuffle Songs. Cada sacudida subseqüente faz pular para a música seguinte. Executivos da Apple me disseram que a sacudida precisa ser forte para que a música não seja trocada acidentalmente quando você estiver correndo com o nano. O recurso shake-to-shuffle é desativado sempre que a chave Hold é ativada ou que a tela apaga. E você pode desabilitá-lo totalmente pelas definições do iPod (em português de Portugal, virou “abano”).

Além do novo layout da interface com o usuário, a Apple fez mudanças nos próprios menus do nano. Algumas são apenas estéticas (por exemplo, o visual de algumas barras deslizantes) e outras puramente organizacionais (mover todas as configurações relacionadas à execução para um novo menu de reprodução e agrupar muitas configurações diferentes sob um novo menu Geral). Mas determinadas alterações revelam recursos novos.

nano-fonte-menu

Você pode, por exemplo, ativar crossfade (transição suave) de áudio, que funciona surpreendentemente bem. Agora há também a opção de Inglês do Reino Unido e, conforme mencionei acima, você pode desativar o painel de previsualização e aumentar o tamanho da fonte de ’menu. Também foi adicionado o recurso de Economia de Energia que, segundo o guia do usuário do iPod nano, “amplia o intervalo entre cargas da bateria ao desligar a tela do iPod nano quando os controles não estão em uso”. Em outras palavras, a tela inteira é desligada, não apenas a iluminação traseira.

Entre os dois recursos novos mais significativos está o Spoken Word Menus, projetado para tornar o iPod mais acessível aos portadores de deficiência visual. Por incrível que pareça, você só encontrará esta opção nos menus do iPod quando habilitar o recurso pelo iTunes. Ao fazê-lo, o iTunes gera um arquivo de áudio — usando a funcionalidade de texto-para-fala do próprio OS X— para cada nome de faixa e de artista sincronizado com o iPod, bem como para cada nome de menu, e copia estes arquivos de áudio para o iPod. (Ele utiliza a voz e fala que você escolheu em Preferências do Sistema do Mac OS X ou em Painel de Controle do Windows.)

Quando você navega pelos menus do iPod, os nomes de menu e item são “pronunciados em voz alta”, proporcionando controle quase total sem a necessidade de ver a tela do iPod. É um recurso extraordinário que finalmente torna o iPod acessível para deficientes visuais. (Também é útil para quem não quer tirar o iPod do bolso ou da bolsa para usá-lo.) Obviamente, já que os arquivos de som são gerados pelo recurso de texto-para-fala do OS X, alguns se saem melhor do que outros na “leitura” correta do nome de um artista ou de uma faixa em especial, mas, de modo geral, são próximos o bastante para permitir a identificação.

Estes arquivos de som ocupam espaço no iPod. Portanto, você não vai querer habilitar este recurso se não for utilizá-lo. Além disso, os tempos de sincronização são mais longos com o recurso ativado porque o iTunes tem que gerar arquivos de som adicionais toda vez que novos itens são acrescentados ao iPod. Dito isso, achei razoáveis o espaço e o tempo necessários: para um nano com 144 músicas, a geração inicial e a sincronização de arquivos de som levaram apenas um minuto e meio e os próprios arquivos de som utilizaram apenas 2 MB de espaço no meu iPod. (Se estes valores escalassem proporcionalmente, os arquivos de som para uma biblioteca de 5 mil músicas exigiriam cerca de 70 MB de espaço e levariam cerca de 52 minutos para serem gerados a partir do zero.)

++++

Gênio?
O outro recurso novo fantástico é o Genius, uma versão, no iPod, do recurso carro-chefe do iTunes 8. Presumindo que você já tenha configurado o Genius no iTunes — um processo que carrega detalhes sobre sua biblioteca de músicas em servidores da Apple e depois baixa em seu computador dados agregados sobre as bibliotecas de outros usuários — o iTunes sincroniza estes dados no seu iPod, tornando-os disponíveis para os próprios  algoritmos do Genius no nano.

A ativação do Genius cria uma nova playlist com música similar à faixa selecionada. (Ele pesquisa bibliotecas que incluem a faixa selecionada para descobrir de que outras músicas estas pessoas gostam e compara os dados com outras faixas do seu iPod.) Se você gostar de uma playlist Genius específica, pode salvá-la no seu iPod. Ela aparece no menu Playlists com o nome da faixa na qual a playlist se baseou. A playlist salva também será transferida de volta para o iTunes da próxima vez que você sincronizar.

Embora o Genius apareça nos menus do iPod, ao escolher este item do menu você obtém apenas instruções para usá-lo. Existem duas maneiras de acessar realmente o recurso. Enquanto uma música é executada, pressione o botão do centro repetidamente até a opção Genius aparecer. Ou enquanto a música é executada ou quando está selecionada nos menus do iPod, mantenha o botão do centro pressionado para invocar um novo menu que possui um comando Start Genius. (Este menu também traz opções convenientes para acrescentar a faixa corrente a uma playlist On-The-Go, para navegar por álbuns ou para pesquisar artistas.) Em ambos os casos, a faixa que está selecionada ou executando no momento é usada como base para a playlist Genius.

nano-geniusVocê também pode renovar uma playlist Genius que salvou no seu iPod. Isso obriga o iPod a criar uma nova playlist de músicas similares. Uma pequena – ou até mesmo grande – parte do conteúdo será igual, mas, se você tem muitas músicas no iPod, haverá algumas diferenças.

Visto que o recurso Genius é novo, ele baseia recomendações nas compras feitas na iTunes Store. Ou seja, qualquer música que não esteja disponível na iTunes Store não pode ser usada como base para uma lista Genius. Isso deverá mudar à medida que mais usuários do iTunes empregarem o recurso, permitindo que você crie playlists Genius baseadas em qualquer faixa.

Games também
O nano 4G vem com três games: Klondike e Vortex, já incluídos no nano anterior, e um novo, Maze, que se beneficia do acelerômetro do iPod nano ao fazer com que você incline o iPod para guiar uma bola por um labirinto na tela. Mas a Apple também reformulou o Klondike e o Vortex acrescentando um modo “retrato”. Quando o iPod está na horizontal, o game fica exatamente como no nano 3G. Quando está na vertical, você obtém uma versão mais estreita e comprida.

Os games do iPod nano mais antigo também funcionam no nano 4G, mas somente em modo paisagem, o que traz um problema: estes games foram projetados para um iPod com a Click Wheel sob a tela, Menu no alto e Play/Pause embaixo. Quando você está jogando no nano 4G, a Click Wheel está 90 graus fora do eixo. Para simplificar, sempre que você ativa um game antigo, o nano exibe uma tela com a Click Wheel rotacionada 90 graus (e os botões Menu e Play/Pause nos lados), chamando atenção para um “novo layout de botões para este game”.

nano-maze

Quando você joga games mais antigos, é interessante poder escolher se quer a Click Wheel — por conseguinte, os controles do game — à direita ou à esquerda da tela simplesmente girando o iPod. (A Apple acha que você deve jogar games no iPod nano com um único dedo polegar; é praticamente impossível usar dois polegares ou dois outros dedos no modo paisagem.)

O nano 4G suporta os mesmos formatos de áudio e vídeo e as mesmas opções de saída de vídeo e áudio do modelo anterior. Há uma entrada estéreo padrão de 3,5 mm para fones de ouvido e uma saída de áudio e vídeo via porta do conector dock. (Vídeo componente e vídeo e composto são compatíveis pelo cabo ou dock cradle apropriado, vendido à parte.)

Enquanto os iPods mais antigos permitiam gravação de áudio com o conector dock de terceiros apropriado, e o iPod classic original e o iPod nano 3G até suportavam gravação estéreo, o nano 4G (assim como os modelos iPod classic e iPod touch atualizados) suporta gravação de áudio usando os novos fones de ouvido com controle remoto e microfone da Apple (US$ 29). Similares aos do iPhone, eles oferecem uma cápsula de controle para ajuste de volume e controle de execução e microfone. Ao serem plugados, ativam o recurso de gravação do iPod e permitem gravar notas de voz sem acessório extra.

nano-controle-game

Por outro lado, o iPod nano 4G dá um passo atrás em autonomia da bateria. Embora a Apple estime as mesmas 24 horas de execução de áudio do nano 3G, a execução de vídeo estimada é de 4 horas, contra 5 horas do modelo anterior. Testaremos a duração da bateria na análise oficial que Macworld fará.

Primeiras impressões
De um modo geral, o novo iPod nano parece um sólido upgrade, apesar da duração ligeiramente menor da bateria para assistir a vídeos (um retrocesso para alguns de nós). Talvez mais importante — da perspectiva da Apple, pelo menos — o novo design, com visual mais delgado, tela vertical e cores mais vibrantes, evoca a reação “Quero um agora” mais forte dentre todos os iPods não-touchscreen já lançados. Fique ligado porque em breve postaremos a análise oficial.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail