Home > Notícias

Primeiras impressões: Safari 4 Beta acelera a navegação na web

Com mais de 150 novos recursos, alguns deles chamam a atenção, como o Top Sites, que reúne miniaturas dos sites visitados em uma só página, e o histórico com buscas e visualização em Cover Flow.

Rob Griffiths, Macworld/EUA

25/02/2009 às 16h28

Foto:

A Apple lançou ontem (24) um beta público do Safari 4 para Mac OS X e Windows, afirmando que a nova versão vem com mais de 150 recursos, muito deles novos. O Safari 4 representa uma avanço técnico em relação à versão anterior do navegador. Veja o que mudou.

Velocidade máxima

A grande notícia por trás do Safari 4 é a introdução do Nitro Enigine, um mecanismo rápido que executa JavaScript até 30 vezes mais veloz que o Internet Explorer 7, e três vezes mais rápido que o Firefox 3. Para dar uma idéia do aumento de velocidade, rodei um teste rápido com o SunSpider JavaScript Benchmark em nosso iMac de 2,66 GHz com 2 GB de RAM. Rodei o teste no Safari 3, Safari 4 Beta e Firefox 3.0.6 para dar uma idéia da diferença entre os browsers.

Os resultados foram dramáticos: o Safari 4 completou os testes em 757 milissegundos, contra 2.970 ms para o Safari 3 e 3.028 ms para o Firefox 3.0.6. Rodei o teste também no beta do Firefox 3.1, que tem seu próprio mecanismo JavaScript avançado. Foi notavelmente mais rápido que o Firefox 3.0.6, a 1.419 milissegundos, mas ainda bem atrás do Safari 4.

Além do novo mecanismo JavaScript, o Safari 4 parece carregar sites muito rápido, embora seja algo difícil de medir em uma rede em alta velocidade. E ele passou no teste Acid3, que checa a compatibilidade de um browser com certos padrões da web, com uma nota máxima (100).

O Safari 4 também já adotou novas tecnologias, como compatibilidade de mídia com HTML 5 (tornando mais fácil inserir áudio e vídeo a sites) e compatibilidade offline (para aplicativos na web que podem rodar mesmo sem conexão à web), além de efeitos em CSS (para rodar animações sem códigos complexos ou o uso de Flash) e carregamento “especulativo” (que carrega os arquivos necessários para ver uma página antes que você precise deles.)

Top Sites

Uma das mudanças mais perceptíveis no Safari 4 é a página Top Sites, que atua como página inicial no navegador (pode ser desabilitada nas preferências do Safari, se não gostar dela). Como o Speed Dial no Opera, a extensão Speed Dial para Firefox e o recurso Most Visited no Google Chrome, o Top Sites mostra uma página com miniaturas dos sites, tornando fácil visitar uma página com apenas um clique. No modo Edit do Top Sites, você pode ainda usar um alfinete e prender os sites em determinadas posições na tela.

E dá para escolher três tamanhos de ícones para o Top Sites: o modo Large mostra seis sites, o Medium mostra 12 e o Small, 24 sites distintos. Esse recurso não serve apenas para mostrar uma prévia dos sites: o Safari avisa, com uma “dobra” e uma estrela branca, que aquele site foi atualizado.

safari-topsites
Top Sites no Safari 4: até 24 miniaturas de sites em uma só janela

Outro recurso do Top Sites é uma caixa de buscas para seu histórico de navegação. Clique na caixa e você verá uma visualização estilo Cover Flow dos sites que visitou. Conforme digita o termo, o número de sites mostrados diminui, por conta do filtro de buscas. O Safari 4 não busca apenas o título ou a URL do site que você procura; qualquer termo na página funciona também.

safari-historico
Histórico do Safari 4: buscas com visualização em Cover Flow, como no iTunes.

Mudanças na interface
Se você usa abas, uma mudança visível - e aparentemente irritante para os usuários - é que elas mudaram de lugar: sairam da parte inferior da barra dos favoritos e foi para o topo da janela, acima da barra de endereços.

Ao colocar as abas em um local onde a maioria das janelas de sites mostra um título, os desenvolvedores do Safari abriram mais espaço para as páginas da web - uma consideração importante para quem usa notebooks.

Os campos de endereço e de buscas no Google ficaram mais “espertos” nesta versão do Safari. Conforme você digita o endereço de um site, o Safari mostra um menu drop-down com o que ele acredita ser a melhor resposta - pressione Return e visite a página. Isso também vale para a caixa do Google, com opções de sugestões de busca.

Ferramentas para desenvolvedor

Se você cria sites, o Safari 4 oferece diversas novas ou melhoradas ferramentas de desenvolvimento para ajudar a criar sites mais eficientes. Um inspetor completo de web permite ver a estrutura da página, debugar JavaScript e otimizar o desempenho. Um inspetor de elementos mostra o CSS e faz mudanças que podem ser vistas em tempo real. Um painel de recursos mostra a ordem de carregamento e tempo para cada elemento da página, mostrando onde podem ocorrer possíveis gargalos.

No Windows
Quem usa o Safari no Windows pode usar todos os recursos discutidos aqui, e ainda conta com algumas mudanças exclusivas para essa plataforma. Até agora, o Safari no Windows parecia muito com sua versão de Mac - interface, botões e até fontes vindas direto do Mac OS X. Embora o Safari pareça perfeitamente “em casa” no Mac, ele ficava deslocado no Windows XP ou no Vista, com um visual diferente de todo o resto nesses sistemas (exceto o iTunes, claro).

O Safari 4 Beta resolve esse problema ao adotar um visual nativo do Windows, incluindo renderização de fontes nativa do Windows (que pode ser alterada para fontes do Mac nas preferências do aplicativo). Agora, o Safari parece se integrar melhor ao sistema operacional.

safari-windows

Safari 4 no Windows: agora se integra melhor ao visual do sistema operacional

Primeiras impressões
O Safari 4 Beta traz novos recursos bastante úteis - tanto para usuários finais quanto para desenvolvedores - a um navegador que já era muito bom. Embora leve algum tempo para se acostumar às abas no topo da janela, o Safari 4 tem como grande diferencial sua velocidade e eficiência. Temos ainda que esperar pela versão final para um review completo, mas baseado no que vimos até agora, essa versão é bastante impressionante.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail