Home > Notícias

Processador Nvidia Tegra K1 poderá ser usado em servidores

Versão de 64-Bit do chip estará disponível na segunda metade deste ano, e poderá competir com produtos da AMD, AppliedMicro, Samsung, Cavium e outras.

Agam Shah, PCWorld EUA

09/05/2014 às 18h57

Foto:

A versão de 64-Bit do processador Tegra K1, da Nvidia, poderá ser usada em microservidores, o que levaria a empresa a competir com outros fabricantes de processadores ARM nesse mercado.

O Tegra K1 será usado em tablets, smartphones e sistemas automotivos e embarcados, e servidores ainda são uma possibilidade, disse o CEO da Nvidia, Jen-Hsun Huang, em uma conferência com acionistas nesta quinta-feira.

“Acredito que estamos vendo muito interesse em colocar algo como o Tegra em micro servidores, mas um passo de cada vez”, disse Huang, de acordo com uma transcrição do evento no site SeekingAlpha.

A Nvidia é conhecida por seus processadores gráficos, e vem planejando um chip para servidores há anos. Em 2011 a empresa anunciou o desenvolvimento de um novo chip de 64-Bit chamado Project Denver, que também seria usado em servidores. No mesmo ano, a Nvidia afirmou em uma entrevista que estava estudando combinar processadores Tegra com GPUs em servidores, mas estes planos ainda não se materializaram. O Centro de Supercomputação em Barcelona, na Espanha, chegou a anunciar um supercomputador baseado no processador Tegra 3 mas posteriormente mudou o foco para os processadores Exynos, também baseados na arquitetura ARM, da Samsung.

Embora o processador ARM seja importante, a Nvidia está apostando seu futuro nos mercados de mobilidade e servidores em GPUs para acelerar a computação. O Tegra K1 tem 192 núcleos de processamento gráfico baseados na arquitetura Kepler, que é usada no segundo supercomputador mais rápido do mundo, batizado de Titan. A Nvidia também criou projetos de referência para GRID Servers, que combinam GPUs Nvidia e processadores x86 para fazer o streaming de jogos e desktops remotos. A IBM, HP e Dell vendem servidores baseados no design da Nvidia.

Mas podem haver desafios à entrada da Nvidia no mercado de servidores. Servidores de baixo consumo basedos na arquitetura ARM estão atraindo interesse para o processamento e entrega de conteúdo web, mas não para supercomputação. Aplicativos de alto desempenho como bancos de dados e sistemas de ERP são projetados para trabalhar principalmente em processadores x86 ou arquiteturas RISC como a SPARC, da Oracle. A Nvidia também enfrentará competição acirrada de empresas como a AMD, AppliedMicro, Samsung e Cavium, que planejam produzir processadores ARM de 64-Bits.

blackfriday50889ciodgf.jpg

A Nvidia está procurando por novos mercados onde vender o Tegra à medida em que perde participação no mercado de smartphones e tablets para empresas como a Qualcomm, Intel, MediaTek, Allwinner e outras. A Nvidia já afirmou que não está interessada em smartphones de baixo custo, e seu processador Tegra 4 foi considerado um fracasso.

Uma versão de 32-Bit do Tegra K1 já está disponível e é usada na placa Jetson K1, que começou a ser entregue aos desenvolvedores na semana passada. A CPU e a GPU tem um desempenho total de 300 Gigaflops. A versão de 64-Bit do Tegra K1 estará disponível na segunda metade deste ano.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail