Home > Notícias

Processo contra downgrade do Windows Vista é revisado

Reclamante afirma que Microsoft abusou de poder econômico para impedir que fabricantes de PCs vendessem máquinas com o XP.

Gregg Keizer, do Computerworld / EUA

09/03/2009 às 11h47

Foto:

A californiana que acusa a Microsoft de lucrar com o programa de downgrade do Vista revisou o processo contra a companhia de Redmond. Agora, o processo afirma que a empresa força os consumidores a comprar a versão mais cara do Windows Vista para, só então, fazer o downgrade e trocá-la por uma cópia do Windows XP.

O processo foi enviado a uma corte federal em 11 de fevereiro por Emma Alvarado, uma moradora de Los Angeles. Na semana passada, o processo foi alterado e reenviado à corte. No documento, Emma afirma que a Microsoft violou as leis do Estado de Washington com práticas de negócio injustas e as leis de proteção ao consumidor ao restringir o direito de os fabricantes de PC de venderem o XP com novos computadores após o lançamento do Vista, no começo de 2007.

“Embora muitos consumidores prefiram comprar um novo PC com o Windows XP pré-instalado ou então sem nenhum sistema, a Microsoft usa seu poder de mercado para tirar vantagem da demanda dos consumidores pelo Windows XP ao exigir que eles comprem um PC com uma licença do sistema operacional Vista e ainda paguem mais para ter o sistema revertido para o sistema operacional XP Professional”, alega Emma, no texto do processo.

“Para tornar as coisas piores, a Microsoft exige que os consumidores comprem um PC com uma licença do Vista Business ou Vista Ultimate - que são versões premium e, portanto, mais caras do sistema operacional. Além disso, elas trazem aplicativos específicos que não são necessários nem desejados pelos usuários comuns que querem um computador apenas para uso pessoal e não profissional”, disse Emma, no processo.

De acordo com o documento, os usuários só podem fazer o downgrade para o Windows XP Professional, que também é uma versão mais cara do sistema operacional. Para Alvarado, a Microsoft adotou essas medidas para impulsionar as vendas do Vista.

“Aparentemente, a Microsoft concebeu e implementou o ‘direito’ dos consumidores fazerem o ‘downgrade’ para o XP Professional para poder: (a) manter e/ou inflar suas receitas com o Vista (particularmente o Vista Business e o Vista Ultimate) e (b) recuperar o investimento substancial no desenvolvimento e produção do sistema operacional forçando os consumidores a comprar a versão mais cara para poder fazer o downgrade.”

Em geral, Alvarado afirma que a Microsoft obteve aproximadamente 130 dólares apenas para licenciar o Windows XP Professional em um novo computador. Isso porque os usuários interessados em ter o XP precisam atualizar o Vista para sua versão mais cara, no caso, a Ultimate, que custa, em média, 130 dólares a mais que uma versão comum.

Quando o processo contra a Microsoft foi apresentado pela primeira vez, no mês passado, a companhia veio a público negar que tenha lucrado com o esquema de downgrade. “A Microsoft não cobra nem recebe royalties adicionais se um cliente exerce seus direitos de downgrade”, disse David Bowermaster, porta-voz da empresa. Esses direitos estão disponíveis apenas em algumas versões do Vista, disse o porta-voz.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail