Home > Notícias

Procurador de NY ameaça Apple e Samsung para que ajudem contra roubo de celular

Roubo de smartphones caros está em ascensão nos EUA, e chefes de polícia e procuradores têm pressionado fabricantes e operadoras a fazer mais para combater o problema

Martyn Williams, IDG News Service

15/05/2013 às 17h41

applelogo_43502.jpg
Foto:

O procurador-geral do Estado de Nova York enviou cartas aos principais executivos da Apple, Microsoft, Google e Samsung, pedindo-lhes ajuda no combate ao roubo de celular e insinuando que ele pode gerar uma ação judicial se não houver cooperação.

O roubo de smartphones caros está em ascensão nos EUA, e chefes de polícia e procuradores estaduais e distritais têm pressionado fabricantes e operadoras a fazer mais para combater o problema. Até agora, tiveram pouco sucesso.

Nas cartas, o procurador-geral Eric Schneiderman cita duas partes da lei estadual que tratam de práticas comerciais enganosas e pede a cada empresa que designe um representante para trabalhar com ele em Nova York.

"Eu gostaria de saber o que a Apple está fazendo para combater este problema de segurança pública crescente", Schneiderman disse em sua carta para a empresa. Ele fez a mesma pergunta para as outras fabricantes.

"Procuro entender por que as empresas que podem desenvolver eletrônicos portáteis sofisticados, como os da Apple, não podem também criar a tecnologia para tornar os dispositivos roubados inoperantes e, assim, eliminar o mercado negro em expansão em que são vendidos", escreveu.

Para muitos legisladores, esta é uma questão fundamental. Smartphones dependem de uma conexão com a Internet, têm medidas de segurança para facilitar o e-commerce e para impedir que usuários não autorizados acessem o telefone, e em muitos casos incluem o posicionamento GPS. No entanto, continua a ser muito fácil roubar celulares, limpá-los e revendê-los.

Bancos de dados
Em reação à pressão do ano passado, a indústria de telefonia celular criou bancos de dados com os números identificação na rede de telefones roubados. Em teoria, um celular roubado é impedido de ser utilizado em qualquer rede dos EUA, mas esses bancos ainda não são universalmente usados e não têm boa cobertura internacional. Então, um aparelho bloqueado nos EUA pode ser usado no exterior.

Schneiderman também divulgou o que cada empresa alega estar fazendo.

"A impressão para o consumidor é que os dispositivos da Apple incluem uma série de características que, em conjunto, garantem a segurança e previnem o uso não autorizado", escreveu. "Isso impulsiona as vendas e cria boa vontade com os clientes. Estou preocupado, no entanto, que a Apple possa ter falhado em viver de acordo com essas representações."

Em Nova York, 11 447 casos de iPhones e iPads roubados foram registrados nos últimos nove meses, aumento de 3 280 em relação ao período anterior. Nesses assaltos, pelo menos uma pessoa foi morta e outras foram esfaqueadas ou violentamente atacadas.

O quadro é semelhante em todos os EUA. Em San Francisco, um quarto dos 579 assaltos que ocorreram entre novembro e abril deste ano envolveram faca ou arma. Metade dos assaltos envolveu força física.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail