Home > Notícias

Proteste diz que cobertura 3G no Brasil é muito ruim e precisa melhorar

Associação de consumidores disse que nenhuma das principais operadoras oferece serviço de boa qualidade para celulares e criticou preços cobrados por empresas.

Da Redação

29/07/2013 às 13h29

Foto:

A associação brasileira de defesa do consumidor Proteste avaliou como “muito ruim” a cobertura 3G para celulares no Brasil e lançou uma nova campanha para tentar conseguir melhorias na área.

Chamada de “Em Busca do 3G Perdido”, a nova campanha tem como objetivo que os usuários informem seus problemas com planos 3G no Brasil. Segundo o Proteste, “além da má cobertura, as operadoras também não entregam a velocidade prometida”. Ao acessar a página oficial da campanha, o usuário pode preencher um formulário, informando sua operadora e a qualidade do acesso 3G que consegue no país.

A iniciativa surgiu após uma pesquisa do Proteste, que enviou técnicos para percorrer 12 estados brasileiros, entre 4 de março e 25 de abril, para avaliar a qualidade da conexão 3G no país. 

3G só na cidade grande

A avaliação do Proteste é que só é possível navegar via 3G nas capitais e algumas regiões metropolitanas. Segundo a associação, nenhuma das quatro principais operadoras, Claro, Oi, TIM e Vivo, cobre mais de 51% dos trechos percorridos.

Ainda segundo o Proteste, as operadoras devem oferecer 98% de tentativas com sucesso de acesso à Internet - de acordo com a Resolução nº 575, de 28 de Outubro de 2011. A associação diz que o teste revelou que nenhuma operadora oferece essa cobertura.

Claro aparece como pior

De acordo com a pesquisa do Proteste, a Claro apareceu como a pior avaliada, com 62% de tentativas de conexão sem sucesso pela rede da operadora. A Oi, por sua vez, apresentou resultados ruins no Nordeste, onde teve poucos pontos de boa conexão em quase 2 mil quilômetros rodados, segundo o Proteste.

Já a TIM apresentou sinal fraco em regiões variadas, como litoral paulista e as cidades de Foz do Iguaçu e Florianópolis, no sul do país, e cidades no interior de SP, como Sorocaba e Campinas, de acordo com a associação. Segundo o Proteste, a Vivo foi mal na região sul, com taxas ruins de downloads, além de ter apresentado problemas nas estradas do estado de SP.

Preço alto

De acordo com o Proteste, “no geral, o resultado é muito ruim para todas as operadoras. Há muitas regiões sem cobertura nenhuma e mais ainda com cobertura de baixa qualidade”. A associação também critica o preço alto cobrado pelas operadoras por “acesso teórico” a redes 3G. 

Pesquisa

O Proteste afirma que o teste levou em conta três aspectos para avaliar a cobertura 3G no país: download, upload e latência, tendo avaliado redes 3G (HSPA, HSPA+) e GSM (EDGE e GPRS). Qualquer resultado com upload e download acima de 400 kbit/s foi considerado 3G.

A pesquisa completa estará disponível na edição de agosto da revista da Proteste, ainda não lançada.

Posição das operadoras

Procurada pela nossa reportagem, a Claro enviou o seguinte comunicado: “A Claro informa que está presente com sua rede 3G nas principais rodovias do país. A operadora, que possui a maior população coberta do Brasil, realiza investimentos constantes para a expansão de sua rede e ampliação da capacidade já instalada. Até 2014, serão investidos R$ 6,3 bilhões no país em infraestrutura de rede, sendo parte desses investimentos destinada especificamente para o reforço da cobertura 3G nas estradas do país. A Claro já conta com cobertura 2G na maior parte da malha viária brasileira. Como resultado dos investimentos já realizados e do compromisso em garantir a melhor cobertura para seus clientes, a Claro é a operadora que obteve os melhores resultados nos indicadores de acesso a dados no mês de abril, sendo a única a atingir a meta também para a rede 2G, segundo a última avaliação da Anatel, divulgada no dia 26 de julho. Nos demais indicadores relacionados à voz e dados, a Claro cumpre o proposto pela Agência Reguladora, com números muito próximos à média nacional.”

Aqui, o posicionamento enviado pela Oi: "A Oi informa que está investindo fortemente na expansão da cobertura e da capacidade da rede 3G em todo o país. De janeiro a junho deste ano, a Oi já levou a rede 3G para mais de 170 novos municípios, o que representa um acréscimo de mais de 5 milhões de pessoas no total da população urbana coberta pela companhia. A Oi acrescenta que, em 2012, o número de municípios cobertos pela rede 3G da empresa cresceu 155%. Nesse período, a penetração da rede 3G da Oi na população urbana brasileira aumentou em cerca de 20 pontos percentuais absolutos. Além da expansão da cobertura, a Oi está focada hoje em melhorar a qualidade da experiência dos seus clientes que utilizam a rede 3G com a ampliação da capacidade existente. Neste momento, as estradas são cobertas, principalmente, com rede 2G. Para complementar a rede 3G no país, oferecendo mais uma alternativa de internet móvel para seus clientes, a Oi também investe na rede Oi Wifi – que já ultrapassou este ano o número de 100 mil pontos de acesso em todo o Brasil, consolidando sua posição de líder em wi-fi no Brasil e na América Latina." 

E aqui o comunicado enviado pela TIM sobre o assunto: "A TIM está avaliando os resultados do teste feito pela PROTESTE para verificar oportunidades de melhoria em sua rede 3G ao longo das estradas brasileiras. A companhia já investe fortemente na qualidade dos serviços prestados e acredita que estudos como este podem auxiliá-la no direcionamento das ações de aprimoramento e ampliação da sua cobertura. No triênio que vai até 2015, 90% do investimento de R$ 10,7 bilhões da TIM serão utilizados em projetos de infraestrutura. No primeiro trimestre de 2013, a operadora estava presente com tecnologia 3G em 749 cidades, cobrindo 72% da população urbana, e pretende fechar o ano com 990 municípios cobertos. Vale ressaltar, de toda forma, que as estradas brasileiras são rodeadas por montanhas e outros acidentes geográficos que podem impactar a qualidade da cobertura. O sinal de telefonia móvel, por suas características, está naturalmente suscetível a fatores externos – como áreas de sombra em função de relevo ou construções próximas, condições climáticas ou capacidade de recepção dos aparelhos celulares utilizados – que podem gerar dificuldades pontuais para realização ou recebimento de chamadas e tráfego de dados. A TIM destaca ainda que, de acordo com a regulamentação vigente, é faculdade da operado cobrir estradas fora dos distritos sede dos municípios."

A Vivo, por sua vez, disse que: "Apenas em 2012, os investimentos da empresa totalizaram a R$ 6,1 bilhões. No período 2011-2014, será investido um total de R$ 24,3 bilhões. A rede 3G da Vivo está em mais de 3.100 municípios e é maior que a cobertura das demais operadoras juntas, atendendo a mais de 85% da população do país. A operadora detém, ainda, a liderança de clientes na rede 4G e hoje possui 28 municípios atendidos."

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail