Home > Notícias

PS3 abandona suporte ao Linux e outros sistemas operacionais

A atualização do firmware, que será lançada no dia 1º de abril, bloqueará recursos aos que não usam a plataforma da Sony.

Matt Peckham, da PC World/EUA

29/03/2010 às 16h44

Foto:

A Sony anunciou nesta segunda-feira (29/3), no blog oficial do Playstation 3, que vai cortar o suporte do console a outros serviços de sistemas operacionais a partir do dia 1º de abril.

Gamers que utilizam Linux ou qualquer outra plataforma terceirizada será forçado a abandoná-la para aceitar a nova atualização de firmware do console.

Quem decidir não atualizar o firmware, para a versão 3.21 (e qualquer outra que vier daqui pra frente) ficará sem grande parte das funcionalidades do sistema e também não poderão acessar a rede Playstation Network, participar de games online ou mesmo acessar servidores de mídia. Além disso, vídeos, games e blu-rays que precisam da nova atualização não poderão ser executados em outros sistemas operacionais.

PS3_LINUX

Diferentemente do Xbox 360 (Microsoft) ou do Wii (Nintendo), o PS3 é fornecido com uma opção que permite carregar nelo outros sistemas operacionais, incluindo distribuições Linux bem populares como o Debin, Fedora, OpenSUSE e Ubuntu. O modelo slim do console, lançado em setembro de 2009, já não trazia tal opção, mas a Sony deixou de fora as versões anteriores do PS3.

A Sony diz que ao desabilitar tal facilidade "estará ajudando a assegura que donos de PS3 irão continuar a ter acesso a um grande número de jogos e conteúdos de entretenimento de uma forma mais segura".

Traduzindo: Você deixe de contar com uma função para continuar tendo acesso ao que você já tem. E não receberá nada em troca, enquanto a Sony fecha as portas para eventuais vulnerabilidades na plataforma. Em outras palavras, o que é bom para a Sony, ela entende que será bom para você também.

Rodar Linux em um PS3 dá a desenvolvedores amadores explorarem o processador do console e até mesmo criarem aplicativos e games "feitos a mão". A funcionalidade também tem sido explorada por pesquisadores para construir supercomputadores de baixo custo capazes de executar simulações científicas que, de outra forma, custariam muito caro.

Mesmo com a permissão, acessar o sistema por meio de Linux não significa uma carta branca. A Sony não dá acesso ao poderos processador gráfico RSX, desenvolvido pela nVidia. Ela faz isso por meio de 'hipervisor", um monitor de máquinas virtuais que executa o sistema operacional cliente em um espaço virtualizado e seguro da memória.

E se chegou a pensar que esta notícia é um troque de 1º de abril antecipado, esqueça; a Sony faz questão de afirmar que está informação é verdadeira.

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail