Home > Notícias

Psystar acusa Apple de inserir código de proteção no Mac OS X

Fabricante de clones de Mac afirma que Apple abusa da lei de direitos autorais ao bloquear o Mac OS X com um código de proteção.

Computerworld/EUA

12/12/2008 às 11h03

Foto:

A Psystar, fabricante de clones de Mac, acusou a Apple nesta semana de abusar da lei de direitos autorais e bloquear o Mac OS X ao hardware com um código que impede computadores que não sejam da Apple de inicializarem corretamente, de acordo com documentos do tribunal.

As novas acusações fazem parte de uma nova estratégia da Psystar, que teve seu processo de antitruste rejeitado pelo juiz William Alsup, responsável pelo caso.

As recentes alegações apontam que “a Apple está tentando usar direitos autorais do Mac OS, não para impedir a produção não-autorizada de qualquer elemento de possível registro de direitos autorais, mas para evitar que concorrentes desenvolvam sistemas de hardware que trabalhem com o Mac OS”.

“Com o uso de uma anti-fraude e do DMCA, lei de direitos autorais/digitais norte-americana, (do inglês Digital Millennium Copyright Act), a Apple está tentando influenciar o monopólio limitado de direitos autorais na reprodução do Mac OS dentro de um amplo monopólio em um mercado de hardware separado”, continua a descrição do processo.

A também Apple retificou o processo original incluindo a acusação de que a Pststar violou o DMCA por ter enganado as tecnologias de proteção de cópia da Apple utilizadas na proteção do Mac OS X. Nesta semana, a Psystar disse essencialmente que a afirmação da Apple é falsa.

A Psystar afirmou que a Apple incluiu um código que checa o hardware no tempo de reinicialização e provoca um “erro fatal” ou “infinita repetição de grupos de comandos”, caso um sistema que não seja da Apple seja identificado.

A acusação da mensagem de “erro fatal” já estava no processo anterior, a de repetição de grupos de comando foi incluída nessa nova ação.

“O código que causa um “erro fatal” e/ou “infinita repetição de comandos” não faz parte da medida de proteção de direitos autorais de tecnologia”, afirmou a Psystar.

A Psystar tem vendido computadores pré-configurados com o Mac OS X da Apple desde abril, por 555 dólares, um valor bem menor comparado aos Macs.

No início de julho, a Apple acusou a Psystar de quebrar múltiplos copyrights e leis de licença de software. Um mês depois, a Psystar se defendeu acionando judicialmente a Apple sob a alegação de violação de leis antitruste.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail