Home > Notícias

Quatro integrantes de importante grupo de crackers são presos pelo Deic

Criminosos podem ficar até 12 anos na prisão por enviar 150 mil phishings e roubar R$ 450 mil de contas bancárias em 2 dias.

Lygia de Luca, repórter do IDG Now!

10/04/2008 às 18h28

Foto:

Quatro integrantes de um grupo de crackers, considerado um dos principais do Brasil, foram presos na quarta-feira (09/04), por policiais da Delegacia de Repressão a Roubos e Extorsões do Deic (Departamento de Investigação Sobre Crime Organizado).

A quadrilha enviou mais de 150 mil phishings em nome de instituições financeiras e órgãos públicos, por meio dos quais capturou dados de 10 mil usuários, sendo que as contas correntes de 3 mil foram efetivamente invadidas.

Série Segurança Digital:
> Diário de um vítima online
> Entenda o que são worms e vírus e proteja-se
> Aprenda a identificar um phishing
> Descubra como ignorar os spams
> Feche a guarda aos cavalos-de-tróia
> Saiba como desmascarar os rootkits
> Proteja-se dos softwares espiões

O Deic avaliou que em 2 dias a quadrilha conseguiu tirar 450 mil reais das contas. Entre as vítimas, estava a senadora Heloísa Helena.

O golpe, segundo o assessor do caso, Maurício Rodrigues, era efetuar pagamentos com o número das contas correntes invadidas, sem tirar dinheiro delas. No geral, eles compravam carros vendidos com dívidas e transferiam o dinheiro ou pagavam IPVA e multas pendentes, sem efetuar saques.

Para capturar todos os dados, os e-mails continham uma mensagem falsa e um anexo malicioso, que monitorava o acesso da máquina contaminada ao bankline e roubava as informações sensíveis.

Os protocolos de segurança bancários nunca foram rompidos, segundo Rodrigues. Quando os criminosos se deparavam com uma solicitação inesperada dos bancos, ativavam um pop-up na máquina da vítima quando esta acessava sua conta bancária novamente para obter o dado que faltava.
++++
O delegado Alberto Pereira Matheus Júnior, responsável pelo caso, prendeu o grupo por furto, fraude e formação de quadrilha. Os crackers podem ficar até 12 anos na prisão.

A quadrilha, que atuava desde 2007 e era investigada desde janeiro deste ano, foi detida na quarta-feira (09/04), em um  apartamento na Vila Curuçá, na Zona Leste de São Paulo.

Além disso, o Deic apreendeu dois notebooks e dois desktops, que continham os dados sensíveis de todos os usuários - incluindo senhas e extratos bancários -, além de informações sobre o procedimento das transações.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail