Home > Notícias

Red Hat atualiza plataforma e avança na virtualização de PCs

Red Hat Enterprise Virtualization suporta programas que permitirem aos clientes rodar uma infraestrutura virtual de desktopsa.

IDG News Service

30/03/2010 às 13h14

Foto:

A Red Hat atualizou sua plataforma de virtualização, a Red Hat Enterprise Virtualization (REV), para incluir suporte a virtualização de desktops. A versão beta do REV 2.2 incluirá diversos novos programas que permitirão aos clientes rodar uma infraestrutura virtual de desktops (VDI). "Ela permitirá implantar um desktop RHEL [Red Hat Enterprise Linux), Windows XP ou Windows 7 em uma plataforma hypervisor segura e de alto desempenho", afirma o gerente sênior de produtos de marketing, Andrew Cathrow. "Usando um VDI, você move o [sistema operacional] do aparelho do usuário final para o data center, onde é mais fácil mantê-lo e gerenciá-lo".

O REV reúne diversas e diferentes aplicações da Red Hat integradas para oferecer recursos de virtualização para empresas. Ele vem com um console de gerenciamento de virtualização, bem como o hypervisor Kernel-Based Virtual Machine (KVM), que também é incluído no Red Hat Enterprise Linux (RHEL). O REV pode rodar hospedada em Linux ou Windows. Esta versão do REV inclui o SPICE (Simple Protocol for Independent Computing Environments) para renderização remota de desktops. A Red Hat adquiriu este software em 2008, com a compra da Qumarenet.

Anteriormente, os recursos de desktop estavam disponíveis como uma oferta à parte do REV, mas com a versão 2.2, as edições para servidor e desktop foram reunidas em uma única oferta. "Acreditamos que é importante ter uma plataforma comum. Os usuários não querem ter uma ferramenta para desktops e uma para servidores", diz Cathrow.

Além da virtualização de desktops, o REV 2.2 traz diversas outras funcionalidades. A principal delas é a capacidade de importar máquinas virtuais de plataformas, como as oferecidas por VMWare, Citrix e Microsoft. Para isso, o REV usa o Open Virtualization Format (OVF), um padrão aberto para imagens de máquinas virtuais.

Esta também é a primeira versão a incluir o V2V - software de conversão de máquina virtual -, que pode converter máquinas virtuais VMWare ou Xen virtual criadas em máquinas Red Hat Enterprise Linux ou KVM. A empresa também planeja incluir uma funcionaldiade que permitirá a conversão de máquinas virtuais construídas na plataforma Windows.

Nesta versão, o REV também inclui um data warehouse para monitorar desempenho e uso das máquinas virtuais, dados a partir dos quais podem ser canalizadas a maioria das ouras ferramentas de negócios baseadas em SQL.

Apesar de ter chegado tarde ao mercado de virtualização, a Red Hat vem investindo recursos para ganhar espaço no segmento, esperando que seus custos atraiam clientes dos líderes de mercado. "Essencialmente, se você está rodando RHEL, o hypervisor é gratuito. E nossa suíte de gerenciamento tem um custo dramaticamente inferior do que o de nossos competidores", afirmou o CEO da empresa em dezembro, ao IDG News Service.

Recentemente este mês, a IBM anunciou que usaria o REV como parte de sua oferta de cloud computing, para testes.

Segundo Cathow, a versão final do 2.2 deverá ser lançada "no fim da primavera" (no fim de junho, no Brasil). Ele não divulga preços da oferta baseada em assinantes, mas ressalta que a precificação do REV 2.1 é 499 dólares por soquete para suporte padrão e 749 dólares por soquete para suporte premium. Os assinantes da versão 2.1 terão a opção de fazer upgrade para a 2.2 sem custos.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail