Home > Notícias

Rede de 50 mil PCs zumbis ataca sites do governo dos EUA e da Coreia do Sul

Botnet iniciou ataques de negação de serviço no último final de semana, provocando instabilidades e tirando sites do ar

IDG News Service/EUA

08/07/2009 às 10h12

Foto:

Uma rede de computadores zumbis - botnet - formada por cerca de 50 mil computadores iniciou ataques contra sites dos governos norte-americano e coreano no último sábado (4/7), causando dores de cabeça para negócios que atuam nos Estados Unidos e Coreia do Sul.

Especialistas apontaram que o site da Federal Trade Comission (Comissão Federal do Comércio) dos EUA ficou offline por alguns momentos da segunda-feira (6/7) e terça-feira (7/7), ainda sem razão identificada. Além disso, o Department of Transportation  (Departamento de Transporte) também tem sofrido instabilidades.

Ataques de negação de serviço atingiram ainda o Department of the Treasury  (Tesouro) dos EUA, e a equipe trabalha para diminuir o impacto da invasão, informou uma porta-voz.

Outros alvos incluem sites de bancos na Coreia do Sul e nos EUA, o site da Casa Branca e dos departamentos de Estado e Defesa, entre outros. No caso da Coreia do Sul, páginas da Assembleia Nacional e do Ministro de Defesa Nacional foram tirados do ar.

Os ataques, embora poderosos, não são sofisticados e não devem ameaçar a segurança dos sites e dos usuários. A técnica de negação de serviço tenta sobrecarregar as páginas com solicitações inúteis e torná-las indisponíveis aos internautas.

Mesmo assim, algumas coisas tornaram o incidente pouco comum. O código do botnet por trás do ataque não usa técnicas tradicionais. No final de semana, o ataque consumia de 20 GB a 40 GB por segundo de tráfego, número dez vezes maior que em um ataque comum de negação de serviço.

Um blog coreano publicou uma lista mais detalhada dos sites que foram alvo do ataque. Na terça-feira (7/7), a maioria já parecia funcionar normalmente.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail