Home > Notícias

Reino Unido e Alemanha se unem para criar tecnologia para redes 5G

Download de um filme de 800 MB poderá ser feito em apenas 1 segundo, diz o Primeiro Ministro Britânico David Cameron.

Chris Martin, PC Advisor UK

13/03/2014 às 12h42

Foto:

O Primeiro Ministro Britânico, David Cameron, anunciou que o Reino Unido planeja uma parceria com a Alemanha para desenvolver a próxima geração (5G) de banda larga móvel. O anúncio foi feito durante a feira de tecnologia CeBIT, em Hannover, na Alemanha, onde o Primeiro Ministro disse que o Reino Unido não pode “ficar de fora” no desenvolvimento da tecnologia 5G.

A iniciativa é parte dos planos de Cameron para tornar o Reino Unido o “país mais digital” no G8 (o grupo de 8 países que inclui a França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido, Estados Unidos, Canadá e Rússia). “Em uma rede 4G, o download de um filme de 800 MB leva cerca de 40 segundos. Com 5G, isso poderia ser reduzido para 1 segundo”, disse Cameron.

“Este é um prêmio pelo qual os pesquisadores de todo o mundo estão lutando, e fico feliz em anunciar uma nova colaboração entre a Universidade de Dresden, a King’s College University em Londres e a Universidade de Surrey”, disse ele.

O Primeiro Ministro também disse querer que a “Internet das Coisas” deixe de ser um slogan e passe a ser um fato, com um fundo de £73 milhões de Libras Esterlinas (cerca de R$ 287 milhões) em dinheiro público para pesquisas nessa área. 

“Estas são pesquisas que poderiam permitiri que literalmente bilhões de objetos no dia-a-dia conversem uns com os outros através da internet, usando chips de baixo custo e baixo consumo”, disse ele.

“Isto tem um enorme potencial para mudar nossas vidas. Medidores de consumo de eletricidade poderão conversar com a rede para conseguir melhores preços para você. Monitores de sinais vitais poderão ficar de olho em sua frequência cardíaca. Canos de água poderão avisar sobre uma queda súbita na pressão. E sim, até mesmo a geladeira poderá encomendar leite quando perceber que ele está acabando”.

Como parte de uma nova estratégia de espectro que irá abrir o chamado “White Space” (frequências alocadas mas não usadas, geralmente na faixa entre 50 MHZ e 700 MHZ originalmente usadas para transmissões de TV analógica) para exploração comercial mais ampla, Cameron disse que tem como objetivo dobrar os benefícios econômicos do espectro de radiofrequências para as empresas e consumidores no Reino Unido, dos atuais £50 bilhões (R$ 196,5 bilhões) para £100 bilhões (R$ 393 bilhões) em 2025.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail