Imagem de fundo do header
Acer TimelineX 4820T: fôlego para ir longe
Home  >  Review
REVIEW

Acer TimelineX 4820T: fôlego para ir longe

Equipado com processador i3, 4 GB de RAM e HD de 500 GB, notebook tem bateria com autonomia para até 8 horas de uso. Será?

Rafael Rigues, PCWorld Brasil

Foto:

Com apenas 2,5 cm de espessura e 2 Kg de peso, o Acer TimelineX 4820T (modelo 334G50Mnks) não deve ser julgado pelo tamanho: equipado com um processador Intel Core i3 de segunda geração (família Sandy Bridge) ele tem poder de processamento suficiente para todas as tarefas do dia-a-dia e fôlego para ir longe: seu principal destaque é a autonomia de bateria, que segundo o fabricante chega a 8 horas com a bateria padrão de 8 células, ou até 11 horas com uma bateria especial de 9 células.

Leia também
» O que importa na hora de comprar um PC?

Em um mundo onde um notebook com autonomia de 4 horas já chama a atenção, 8 ou 11 parece bom demais para ser verdade. Será que a máquina cumpre a promessa?

timelinex_aberto-360px.jpg

Acer Timeline X 4820T: fino e com bateria de longa duração

Hardware

Além de esguio, o TimelineX 4820T é um notebook elegante: por fora tem acabamento em alumínio escovado preto, e por dentro há uma mistura de preto (“black piano” ao redor do teclado e na borda do LCD) e grafite (no apoio de pulso e trackpad). O teclado segue o estilo ilha, com teclas planas e isoladas, tão comum hoje em dia. Acima dele ficam os alto-falantes com certificação “Dolby Home Theater”, com volume e qualidade de som bons.

timelinex_falantedolby-360px.jpg

Alto-falantes, acima do teclado, tem certificação Dolby Home Theater

O monitor de 14” tem iluminação LED e resolução de 1366 x 768 pixels (HD). A imagem é boa, mas os ângulos de visão são um tanto restritos. A inclinação ideal do monitor é de 45 graus em relação ao usuário: menos que isso e a imagem fica lavada, mais que isso ela escurece e as cores se invertem. A mesma coisa pode ser dita sobre o ângulo lateral.

O processador é um Intel Core i3 330M, um modelo dual-core de 2.13 GHz, acompanhado por 4 GB de RAM. O HD tem 500 GB, e o drive óptico é um modelo “super-multi” que grava e lê CDs e DVDs. Na frente há um leitor de cartões 5-em-1 (compatível com os vários formatos de Memory Stick, Cartões SD e xD). Um conector VGA permite ligação a monitores e projetores, e uma porta HDMI a TVs de alta-definição. Também há uma porta Ethernet para conexão a redes cabeadas.

Um detalhe sobre as portas USB 2.0 (quatro no total): elas são mal-distribuídas. Uma fica lateral esquerda mas há outras três na lateral direita, muito próximas umas das outras. Como vimos no review do CCE WIN T25L isso é ruim pois um dispositivo USB mais grandalhão, como um modem 3G ou pendrive mais “gordinho” acaba bloqueando duas portas: uma para ele mesmo e a porta ao lado. 

timelinex_portasusb-360px.jpg

Portas USB juntas demais. Quando os fabricantes irão aprender?

Com essa configuração de hardware, o TimelineX 4820T tem poder de processamento suficiente para praticamente qualquer tarefa do dia-a-dia, incluindo a reprodução de filmes em HD, e não temos o que reclamar do desempenho. A única tarefa onde ele deixará a desejar são jogos, pois o chipset de vídeo integrado ao processador (Intel HD Graphics) não foi feito para isso, e não é páreo para os exigentes games atuais.

Software

O sistema operacional é o Windows 7 Home Premium, na versão de 64-Bits. Mas o que chamou a atenção foi a quantidade de software pré-instalado pelo fabricante (chamado por alguns de “crapware”, ou simplesmente “lixo”): há tempos não víamos um computador tão “carregado”.

São dois pacotes Office (um trial de 60 dias do Microsoft Office e o Microsoft Works), dois softwares de backup (Norton Online Backup e NTI Backup Now 5), leitor de feeds RSS, ferramenta para exclusão segura de arquivos, ferramenta para criação de DVDs, o Acer GameZone com versões de demonstração de 7 jogos (todos extremamente simples e nada atraentes), anti-vírus e até o Skype, entre outros.

Com exceção de um anti-vírus (uma necessidade nos dias de hoje) e talvez uma versão completa do Microsoft Office (não é o caso) somos totalmente contra esta política. Os programas ocupam espaço em disco, atrasam a inicialização do sistema e no geral “entulham” a máquina, já que raramente são aproveitados pelos usuários.

E a remoção é dolorosa: levamos mais de duas horas desinstalando um por um e seus vestígios usando o Revo Uninstaller, já que ferramentas automáticas como o PC Decrapifier não deram conta do recado.

Bateria

Segundo a Acer, a autonomia do TimelineX 4820T, com a bateria padrão de seis células, é de 8 horas. Em um mundo onde um notebook com autonomia de 4 horas já chama a atenção, isso com certeza é um bom argumento no ponto de venda.

Sob uso normal, com o brilho da tela em 60%, Wi-Fi ligado, perfil de energia “Equilibrado” e navegando na internet com cerca de 12 abas (entre elas Web Apps como o Meebo, Seesmic, Google Reader e Google Docs) abertas e ouvindo música via streaming conseguimos 5 horas e 40 minutos de autonomia, contando cerca de 50 minutos com a máquina em “sleep” durante uma pausa para o almoço.

Já em nosso teste de reprodução de vídeo colocamos o brilho da tela em 50%, perfil de energia em “Equilibrado”, desligamos o Wi-Fi e Bluetooth e tocamos repetidamente um vídeo em Full HD armazenado no disco rígido, simulando o que um usuário faria durante uma viagem de avião, por exemplo. A máquina se desligou sozinha depois de 4 horas e 5 minutos, com 5% de bateria restantes. Nós a religamos e continuamos reproduzindo vídeo, e ela aguentou 10 minutos extras até a bateria finalmente se esgotar.

Claro que gostaríamos que a autonomia de bateria fosse mais próxima do anunciado, mas 5 horas e 40 minutos está dentro do esperado usando nossa regrinha: “para calcular a autonomia real, pegue o número informado pelo fabricante e reduza-o em 30%”. 

Veredito

Nosso único problema com o TimelineX 4820T é o preço: ele custa R$ 2.499 (preço sugerido pelo fabricante), mas mesmo sem procurar muito é possível encontrar modelos de concorrentes com a mesma configuração de hardware (processador i3, 4 GB de RAM, 500 GB de HD, vídeo integrado) por R$ 1.000 a menos. 

É verdade que todos eles são mais pesados, um pouco maiores (embora não muito) e provavelmente tem autonomia de bateria um pouco menor. Mas por outro lado, a economia é considerável. O que importa mais para você? 

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site