Imagem de fundo do header
Análise: Huawei Ascend G510
Home  >  Review
REVIEW

Análise: Huawei Ascend G510

Aparelho traz uma tela grande e bonita e boa autonomia de bateria, mas o desempenho deixou a desejar.

Rafael Rigues

G510_Abre-435px.jpg
Foto:

A Huawei andava sumida. Depois do lançamento do Honor, em abril de 2012, ela não trouxe mais nenhum aparelho para o mercado nacional, embora continuasse a todo o vapor no exterior com aparelhos que chamam a atenção como o Ascend P2, Ascend P6 e Ascend Mate.

Foi só em agosto deste ano que a empresa voltou ao mercado de consumo no Brasil com uma nova estratégia: a produção nacional (em uma fábrica da Compal em Jundiaí, no interior de SP) para baratear os aparelhos. E o primeiro produto desta nova fase da empresa no país é um smartphone de entrada, o Ascend G510.

Design e hardware

A frente do G510 é dominada por uma tela LCD de 4.5” e resolução de 480 x 854 pixels, que merece destaque não só pelo tamanho: ela usa a tecnologia IPS, que é garantia de melhor contraste, fidelidade de cor e ótimo ângulo de visão quando comparada às telas LCD tradicionais.

Abaixo dela ficam três botões sensíveis ao toque (voltar, home e menu), e aqui há um problema: eles se acendem em ambientes pouco iluminados, mas quando estão apagados (na maior parte do tempo) os ícones são difíceis de enxergar. Uma opção na tela de configurações para deixá-los sempre acesos, como nos aparelhos da Samsung, seria bastante útil.

Na traseira ficam a lente para a câmera de 5 MP, acompanhada por flash, e um alto-falante. A tampa traseira é texturizada, o que evita que o aparelho escorregue nas mãos e reduz o acúmulo de marcas de dedo e riscos. Sob ela você irá encontrar uma bateria de 1.700 mAh, um slot para um SIM Card (comum) e outro para um cartão microSD de até 32 GB, que pode ser usado para expandir os 4 GB de memória interna, dos quais cerca de 2 GB estão disponíveis ao usuário.

g510_traseira-580px.jpg
Huawei Ascend G510 com a tampa traseira removida

Por dentro o G510 é baseado em um processador dual-core da Qualcomm, o Snapdragon MSM8225 de 1.2 GHz, acompanhado por 512 MB de RAM. Ele é um smartphone 3G single-chip, com todos os recursos que se espera de um aparelho moderno, incluindo GPS, Bluetooth 2.1 e suporte a redes Wi-Fi nos padrões 802.11 b/g/n. 

Software

O sistema operacional do Ascend G510 é o Android 4.1, com uma interface própria que a Huawei chama de “Emotion UI”. Na prática ela mistura conceitos do Android e do iOS: como no sistema da Apple não há uma “gaveta” separada com os apps: todos os ícones ficam espalhados pelas telas iniciais e podem ser agrupados em pastas. Mas como no Android eles podem ser posicionados livremente e é possível misturar ícones e widgets em uma mesma tela, o que dá mais flexibilidade na organização. No rodapé da tela fica uma dock onde você pode colocar ícones para até cinco de seus apps favoritos, e é possível ter de uma a nove telas iniciais. 

g510_temas-580px.jpg
Temas permitem modificar a aparência da interface

A aparência da interface pode ser personalizada com o uso de temas, que modificam o papel de parede, ícones dos apps, sons e fontes. Cinco temas vem pré-instalados, e é possível misturar elementos (ícones de um e sons de outro, por exemplo) para criar um tema personalizado que seja “a sua cara”. Infelizmente não há uma opção para download de novos temas.

Há poucos aplicativos pré-instalados, o que é bom. Entre eles um gerenciador de arquivos, MP3 Player, bloco de notas e um utilitário que permite fazer backup de seus apps (e dados relacionados) em um cartão de memória.

Câmera

As fotos feitas com o Ascend G5120 durante o dia não são mais que aceitáveis, mas as feitas em ambientes pouco iluminados ou cenas noturnas mostram muito ruído. Quanto menos luz ambiente, maior o tempo de exposição, ou seja, qualquer objeto em movimento irá aparecer borrado, como no segundo exemplo abaixo feito em uma estação do Metrô de SP.

g510_sample_paisagem-580px.jpg
Foto diurna feita com o G510. Note o ruído no céu e nas bordas das nuvens. Clique para ampliar

O software da câmera é básico, com opções manuais como ajuste de ISO, balanço de branco e exposição, alguns efeitos de cor e a possibilidade de fazer fotos panorâmicas. A resolução máxima para vídeos é de 640 x 480 pixels.

g510-sample_metro-580px.jpg
Nas fotos sob pouca luz, o maior tempo de exposição faz com que os objetos em movimento fiquem borrados. Clique para ampliar

Desempenho e autonomia de bateria

O processador de 1.2 GHz do Ascend G510 conseguiu um resultado modesto de 8649 pontos no AnTuTu, nosso teste padrão em smartphones Android. Se levarmos em conta apenas este número parece o suficiente para todas as tarefas do dia-a-dia, mas há um porém: assim como o LG Optimus L4 II Tri o G510 tem apenas 512 MB de RAM, o que é só o mínimo necessário para rodar o Android 4.1.

O resultado disto é uma experiência cheia de “engasgos”, como no aparelho da LG. Aplicativos que deveriam ficar abertos em segundo plano são fechados para liberar memória, transições e animações engasgam com frequência e há pausas ocasionais de segundos ao alternar entre aplicativos ou mesmo para retornar à tela inicial. O aparelho também não é indicado quem pretende se divertir com mais do que jogos casuais, por causa da memória interna limitada: um jogo como Asphalt 7, por exemplo, ocuparia sozinho metade do espaço disponível.

g510_bateria-480px.jpg
Gráfico de descarga da bateria. As linhas retas indicam um consumo mínimo em espera

A autonomia de bateria agradou: chegamos ao fim de um dia de uso típico, quase 12 horas e meia fora da tomada, com 42% de carga restante. O segredo é visível no gráfico acima: o consumo de energia quando o aparelho está em “stand-by” (indicado pelos trechos onde a linha é quase reta), como sobre a mesa com a tela desligada, é mínimo. Mas no teste de reprodução de vídeo, feito com o brilho da tela em 50% e o aparelho no modo avião, conseguimos 4 horas e 32 minutos, o que é um resultado abaixo da média.

Veredito

A bela tela e a capacidade de personalizar a interface a seu gosto chamam a atenção, mas a pouca memória RAM acaba prejudicando o Huawei Ascend G510, que tem preço sugerido de R$ 699. Quem procura um smartphone nesta faixa de preço será melhor servido por concorrentes como o Motorola RAZR D3, que além de uma câmera melhor traz o dobro de RAM. Isso resulta em uma experiência melhor no dia-a-dia e ainda dá ao aparelho uma maior chance de suportar versões futuras do Android. 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site