Imagem de fundo do header
Canon PowerShot G12: uma excelente câmera doméstica, com recursos avançados
Home  >  Review
REVIEW

Canon PowerShot G12: uma excelente câmera doméstica, com recursos avançados

Câmera combina a facilidade de uso dos modelos mais simples da Canon com controle manual completo e modos de cena úteis e divertidos

Tim Moynihan, PC World EUA

Foto:

Graças ao fácil manuseio e hábil combinação de ótimo desempenho, hardware amigável e modos de fotografia divertidos, a Canon PowerShot G2 (cerca de R$ 1.500 no Brasil) foi considerada a melhor câmera doméstica (point-and-shoot) avançada dentre os modelos que analisamos recentemente. Ela recebeu as melhores notas em nossos testes de qualidade de imagem - e esse resultado é apenas uma pequena parte dos atrativos desta câmera.

Assim como a também exceletente Nikon Coolpix P7000, a G12 (com zoom óptico de 5x, lente de 28 a 140mm e sensor de 10 Megapixel) offerece acess rápido a controles de ISO e compensação de exposição usando controles montados no topo, um encaixe proprietário para um flash externo e um cada vez mais raro visor (viewfinder) óptico para enquadrar fotos sem usar o LCD, o que ajuda a economizar a bateria. Tudo isso em um “corpo” um tanto grandalhão, mas resistente, que pode sobreviver aos pequenos acidentes do dia-a-dia. No quesito hardware, ela se iguala à P7000 e depois a supera com um extra: uma tela LCD móvel de 2.8 polegadas, que pode ser posicionada para ajudar a enquadrar auto-retratos, fotos “acima da cabeça” ou ao nível do solo.

canon_g12-360px.jpg

Canon PowerShot G12: sensor de 10 MP e zoom óptico de 5x

A G12 teve ótimas notas nos testes subjetivos de qualidade de imagem nos laboratórios da PC World, sendo especialmente impressionante na qualidade de exposição, precisão de cor e qualidade de vídeo. A autonomia de bateria é boa: de acordo com a Camera & Imaging Products Association (CIPA), que conduz testes padronizados em todas as câmeras de grandes fabricantes, a G12 conseguiu tirar 370 fotos por carga, com o LCD ligado.

Com 4.8 centímetros de espessura, ela é meio grandinha se comparada a outros modelos na mesma categoria, mas por um bom motivo: a Canon encheu a G12 com recursos divertidos que complementam a boa qualidade de imagem. Além de um extenso conjunto de controles manuais e modos de cena típicos - como retrato, pôr do sol, paisagem, olho de peixe e pouca luz - a G12 também oferece alguns efeitos interessantes também encontrados em modelos menos sofisticados da Canon. Os modos “Color Accent” e “Miniature”, por exemplo, podem ser usados tanto em fotos quanto em vídeo. O primeiro lhe permite selecionar e isolar uma única cor, que será mantida enquanto o resto da cena fica em preto e branco. Já o segundo simula a técnica de “tilt shift”, borrando as partes de cima e de baixo da imagem e acentuando as cores, fazendo com que objetos reais pareçam miniaturas em uma maquete.

Também há um conjunto completo de controles manuais: prioridade de abertura e de obturador, e controle independente de cada um no modo Manual. E ao contrário da maioria das outras câmeras da categoria que analisamos, a G12 tem um modo de disparo múltiplo que tira três fotos em rápida sequência, cada uma com um ajuste de foco diferente (também conhecido como “Focus Bracketing”)

Há também um modo HDR (high-dynamic-range) que ajuda a acentuar os detalhes em cenas escuras e cria imagens com um visual surreal, e um modo de disparo múltiplo com ajuste de exposição, para quem prefere compor e combinar suas próprias imagens HDR.

Apesar da complexidade, a G12 é notavelmente fácil de usar, graças a um sistema de menus que é consistente com outros modelos Canon da família PowerShot. No geral, os controles manuais são operados com botões, seletores e “rodinhas” espalhadas pela câmera. Um seletor duplo no topo da câmera lhe permite escolher um modo de cena ou ajustes pré-definidos, e ajustar a sensibilidade ISO de 100 a 3200. Outro seletor dá acesso rápido a opções para compensação de exposição.

canon_g12_tras-360px.jpg

LCD móvel ajuda a enquadrar fotos em ângulos difíceis

A traseira da câmera tem botões para seleção de áreas de foco e medição de luz e um “botão asterisco” que “trava” os controles de exposição e foco automáticos. Você pode ajustar a abertura, obturador e outras opções manualmente usando uma “rodinha” montada na empunhadura da câmera ou outra na traseira da câmera, que também funciona como controle de navegação para o sistema de menus.

Se você não tiver problemas com o tamanho um pouco fora do normal, vai ver que a PowerShot G12 é uma câmera incrível em sua categoria. Seus únicos problemas em potencial são a abertura máxima de F2.8 e um lento modo de disparo sequencial que chega a no máximo 2 fotos por segundo com foco automático desligado e 0.7 fotos por segundo com ele ligado. A combinação de controles manuais, recursos divertidos, hardware útil e bem construído e excelente desempenho tornam a Canon PowerShot G12 uma câmera extraordinária.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site