Imagem de fundo do header
Colocamos o MacBook Air à prova nas tarefas do dia-a-dia
Home  >  Review
REVIEW

Colocamos o MacBook Air à prova nas tarefas do dia-a-dia

Notebook mais leve e fino da Apple atende às necessidades comuns, como e-mail, internet e edição de fotos. Mas tem alguns incômodos.

Por PC World/EUA

air_150.jpg
Foto:

Air_dest150O MacBook Air, versão mais fina na linha de notebooks da Apple lançado durante a MacWorld, com processadores Intel Core 2 Duo de 1,6 GHz, 2GB de memória RAM, HD de 80GB e no valor de 6.199 reais no Brasil pode não agradar.

O laptop ultraleve (não exatamente ultra pequeno) possui uma versão do Mac OS X, teclado em tamanho real e um LCD de 13.3 polegadas.

Ele precisa de algo mais?
A única porta USB disponível no Air, assim como a micro-DVI e os conectores de fone podem decepcionar os usuários que possuem muitos periféricos. Fazendo com que cada um repense o uso de seu laptop, ou recorrer a hubs USB.

Outros destaques da PC World:
> Vídeo mostra detalhes do MacBook Air
> Como será o design do PC do futuro? Veja 15 modelos
> Conheça os 10 produtos mais feios de tecnologia
> Veja 29 produtos dos sonhos
> Saiba como comprar uma filmadora digital
> Os 25 dias que muduram tudo no mundo da tecnologia
> Vídeo: como turbinar o PC com duas placas de vídeo
> Mobiliário pra lá de estranho; veja a galeria

Quanto menor melhor?
Para algumas pessoas, notebooks menores e mais leves são interessantes. Para os que utilizam o computador em casa ou no escritório, sem a necessidade de transportá-los diariamente, ainda mais em metrô ou ônibus, um modelo como o MackBook Pro, com tela de 17 polegadas pode ser mais interessante.
++++
Air_dest150Para os que preferem a praticidade de carregar algo fino e leve, o Air pesa 1,4 quilo, tem espessura mínima de 0,4 centímetro e máxima de 1,93cm. O design do notebook parece ter elevado a forma acima da função.

Galeria:
> Confira as fotos do MackBook Air

Para os que estão considerando comprar um MackBook Air, uma dica é testar o produto em alguma loja, pois as imagens parecem não ser fieis à impressionante espessura do produto.

Impressões básicas
A unidade testada é a versão padrão, comercializada nos EUA por 1.799 dólares. Os 2GB de memória RAM não podem ser expandidos, pois as memórias são soldadas à placa mãe.

O Air se mostrou veloz para as atividades do dia-a-dia, como navegar na web, enviar e-mails, editar textos e pequenos gráficos de trabalho. A tela, com resolução de 1.280 por 800 pixels, apresenta uma imagem mais nítida e brilhante que nos outros modelos de MacBook.

Os novos LED de fundo – que não estão presentes no MackBook comum – não utilizam mercúrio e arsênico, contribuindo para a diminuição na degradação do meio ambiente.

O notebook compartilha a memória gráfica com a memória RAM, apanhando 144MB dos 2GB. Neste caso, o chip X3100 funcionará adequadamente para usos comuns. Para a edição de vídeos em alta definição, por exemplo, essa configuração não é indicada.
++++
Mas para vídeos comuns, fotos, gráficos e animações usadas no Mac OS X, o fato de a memória gráfica ser compartilhada não é um problema. O Air também suporta um monitor externo, com resolução de 1.920 por 1.200 pixels.

Segundo a Apple, a bateria deve durar cinco horas com uso de Wi-Fi e o monitor a 50% de brilho. Em testes feitos com estes padrões, escutando rádio pelo iTunes, a bateria durou quatro horas.

Outro dado importante é que a bateria não é acessível, impossibilitando trocas em viagens. Quando uma reposição for necessária, você terá de deixar seu Air em uma assistência técnica.

Air_300

Para ter uma noção real da espessura somente tendo um em mãos. As fotos enganam.

O notebook não possui drive óptico; um SuperDrive externo é oferecido para os que querem gravar e ler CDs e DVDs, o preço é de 99 dólares nos EUA. Também não existe uma porta de rede ethernet, o que obriga a aquisição de um adaptador USB-Ethernet para quem quer plugar o Air à rede convencional.

O MacBook Air lembra um carro popular, que pode ser recheado de opcionais que vão encarecendo o preço final. Entre as opções estão um processador mais rápido (1,8GHz) por 300 dólares e o disco rígido SSD de 64GB, por mais 999 dólares.
++++
Air_dest150Segundo a Apple, a maior vantagem do SDD é o fato de não possuir partes móveis, o que pode resultar em maior durabilidade e longevidade.

Algumas funções, como ler grandes porções de informação, serão mais rápidas, mas o restante não. A velocidade percebida no Air é a mesma para os dois modelos de HD.

Uma versão completa de opcionais do Air pode chegar a 3 mil dólares, mas é quase como adicionar um motor V8 em um Fusca. O modelo básico deve preencher a necessidade de 95% de seu público alvo.

Inicialização
O MacBook Air demorou 70 segundos para iniciar o sistema operacional. Acordar o notebook do modo de espera demorou dois segundos, o LED permite que o brilho da tela seja completamente alcançado no despertar. Monitores convencionais precisam de alguns minutos para aquecer e atingir o brilho máximo.

Na primeira execução, programas como Safári, Mail e iPhoto demoram alguns segundos para abrir; porém, quando são reabertos, isso ocorre quase que instantaneamente. Para checar e-mails, navegar e editar fotos o Air se mostrou muito eficiente.

Uma antiga versão do Photoshop CS levou 36 segundos para abrir completamente, o que não é ruim, levando-se em conta que é uma versão antiga que precisa ser emulada no Mac OS X pelo Rosetta.

Para aplicar o efeito de textura de vitral em uma imagem de 5,5MB, o Air levou 50 segundos. Para comparação, o mesmo efeito no MackBook Pro legou 32 segundos.

O teclado do Air apresenta LED de fundo, possibilitando a digitação em ambientes com pouca luminosidade. O espaço entre as teclas permite que a luz de fundo escape, dando um efeito que não chega a incomodar, mas pode ser notado em salas escuras.
++++
No estilo iPhone

O novo trackpad (mouse do notebook) é mais largo que o do MacBook Pro e seu funcionamento é parecido com o touch screen do iPhone. É possível com dois dedos redimensionar fotos no iPhoto. No Safári, a mesma ação irá aumentar ou diminuir o tamanho das fontes nos sites.

Para alternar entre páginas, coloque os três dedos no pad e os arraste para a esquerda para ir à página anterior e para a direita para a próxima. Não existe um software para adicionar a funcionalidade a modelos antigos; segundo a Apple,  alterações no hardware são necessárias além do software.

Um outra funcionalidade interessante é o Remote Disk, que permite que o notebook se conecte a outro computador para usar o dispositivo óptico por wireless. Basta instalar o software no outro computador para que o Air reconheça o drive. O software é compatível com Macs e PCs.

Air_300_detalhe

Porta que protege a USB parece ser muito frágil

O assistente de migração, utilitário que envia arquivos de um Mac a outro funcionou bem. Um arquivo de 155MB foi transferido em 1 minuto e 28 segundos. O Air e o outro computador possuíam placas Wi-Fi 802.11n.

Uma parte frágil do Air parece ser a porta que protege a USB. Ela não parece muito forte, além de o conector USB ser bem justo.

O Air é uma escolha sólida para os que precisam carregar o notebook de um lado para o outro, executando tarefas comuns como navegar na internet, editar fotos e vídeos (de qualidade padrão) e para entretenimento.

Outros destaques da PC World:
> Vídeo mostra detalhes do MacBook Air
> Como será o design do PC do futuro? Veja 15 modelos
> Conheça os 10 produtos mais feios de tecnologia
> Veja 29 produtos dos sonhos
> Saiba como comprar uma filmadora digital
> Os 25 dias que muduram tudo no mundo da tecnologia
> Vídeo: como turbinar o PC com duas placas de vídeo
> Mobiliário pra lá de estranho; veja a galeria

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site