Imagem de fundo do header
Conheça o MegaPro, primeiro desktop no Brasil a vir com o Core i7
Home  >  Review
REVIEW

Conheça o MegaPro, primeiro desktop no Brasil a vir com o Core i7

Em primeira mão, veja como o desktop da Megaware (3.999 reais) se comporta em testes de desempenho realizados por PC WORLD.

René Ribeiro, analista de testes da PC WORLD

megapro_150.jpg
Foto:

A Megaware foi a primeira fabricante no Brasil a vender deskops já com o novo processador Core i7 da Intel instalado. PC WORLD recebeu está máquina em primeira mão e você conhecerá agora como os processadores Nehalem se comportam na prática.

A teoria...
Até a introdução do Nehalem, codinome usado pela Intel para a nova família de processadores de alto desempenho para desktops, falar em chips nos levava a pensar em processadores com mais núcleos trabalhando em freqüências cada vez mais altas e cache enorme. Isso tudo muda com a introdução do Core i7 – nomenclatura oficial que a Intel adotou para o Nehalem – e vale explicar sua estrutura para podermos entender porque ele oferece mais desempenho que os atuais chips de quatro núcleos.

O Core i7 pode executar duas instruções por vez em cada um de seus quatro núcleos. Isso pode ser comprovado ao executar o gerenciador de tarefas do Windows. O que se vê são 8 painéis gráficos, cada qual exibindo a atividade de um processo independente.

Sai de cena, também, o conceito de FSB (front side bus), ou seja, a velocidade com a qual o processador podia se comunicar com a memória e o barramento do sistema.

O que vemos agora é que a nova geração de processadores tem controlador de memória integrado, o que torna a comunicação mais rápida com a memória. E para se comunicar com o restante da placa-mãe, a Intel utiliza o barramento chamado QPI (QuickPath Interconnect).

megapro_300.jpg
MegaPro: design clean e lateral em acrílico mostram austeridade

O resultado é que o Core i7 pode escrever e ler dados ao mesmo tempo e também tem uma freqüência de trabalho até oito vezes maior que a arquitetura anterior dos processadores Intel, além de suporte a memórias DDR3, que consomem menos energia e trabalham mais rápido que os modelos atualmente em uso (DDR2).

... e a prática
Teoricamente a tecnologia do Nehalem deve entregar um desempenho superior. Para checar isso, vamos ver o que ele é capaz de fazer na prática.

megapro_frente.jpgDo ponto de vista de design, o gabinete impressiona, tanto pelo tamanho e quanto pela tampa lateral em acrílico transparente. O MegaPro traz na parte frontal quatro USBs, uma firewire, além de entradas para microfone e fone de ouvido.

Atrás estão alocadas 8 outra portas USB, mais uma uma firewire e duas interfaces e-Sata, bem como uma porta de rede Ethernet gigabit.

Dentro, encontramos uma placa-mãe DX58SO, da Intel, que oferece quatro slots para memória padrão DDR3, dois deles ocupados com 4 GB de memória total (o sistema suporta até 16 GB).

Essa motherboard não possui vídeo on-board e o desktop vem com um GPU NVidia GeForce 9500 GT, com 1 GB de RAM. Não se trata de uma placa top de linha, mas oferece bom desempenho e tem recursos suficientes para beneficiar softwares como a suíte CS4, da Adobe, que podem editar vídeos e aplicar efeitos em imagens com maior velocidade.

Ao adotar uma placa gráfica mais barata, o preço total do conjunto cai consideravelmente, para 3.999 reais. Tal estratégia, contudo, faz com que o desempenho de aplicações mais exigentes, como o Crysis, seja apenas razoável. Nos testes, chegamos a 20 quadros por segundo (FPS). Uma jogabilidade ideal e sem pausas exige uma taxa de pelo menos 30 FPS. Isso demonstra que jogos dependem muito mais do processador gráfico do que do processamento da CPU.

O MegaPro ainda vem com um espaçoso HD Western Digital, padrão Sata II, com 500 GB, e gravador de DVDs Samsung, com capacidade de escrita em 10x. O equipamento não vem com monitor, mas é entregue com teclado, mouse, discos de recuperação, drivers, Vista Home Premium instalado e o jogo Ghost Recon e manual.

Desempenho geral
A capacidade multitarefa do MegaPro se destaca. Uma tarefa relativamente complexa – aplicar 12 filtros em uma imagem de 8 MP no Photoshop CS3, levou menos de 15 segundos para ser realizada.

Repetimos o teste, desta vez como os aplicativos do Office (Word, Excel e PowerPoint) carregados, e não foi possível registrar aumento no tempo da execução da tarefa.

megapro_lateral.jpgComo o Core i7 dá poder de fogo suficiente para exigir mais do computador, rodamos um vídeo em alta definição (1080 linhas) direto do disco rígido, com todas os aplicativos em execução e o Photoshop aplicando os filtros na imagem. Ainda assim, não foi possível registrar paradas na reprodução do vídeo, nem mesmo quando alternávamos entre tarefas. E o melhor: o trabalho do Photoshop continuou abaixo dos 15s.

O que vimos é que o conjunto oferecido pela Megaware é capaz de aproveitar todo o potencial do novo processador, combinando seu bom desempenho à velocidade da memória DDR3.

Tal combinação, embora não testada, sugere bom uso para a virtualização, emulando outros PCs dentro dela. Quem trabalha com gráficos e edição de vídeos verá nessa Máquina um desempenho acima da média.

Um senão
Apesar da placa-mãe vir com dois slots PCI-e x16 para instalar até duas placas de vídeo, sua fonte de alimentação, de apenas 350 watts, não é suficiente para suportar isso. A saída é substituir esse componente; informe-se antes com o fabricante, para evitar perder a garantia do equipamento.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site