Imagem de fundo do header
Creative Zen X-Fi supera o iPod Touch em muitos aspectos; confira
Home  >  Review
REVIEW

Creative Zen X-Fi supera o iPod Touch em muitos aspectos; confira

Ele tem som melhor, mais funções, headphone de melhor qualidade, mais opções de storage e custa menos que o player da Apple.

Tim Moynihan, da PC World / EUA

creativezen_150.jpg
Foto:

O Creative Zen X-Fi é, sem sombra de dúvida, um player melhor do que qualquer dos tocadores atuais da Apple. O modelo da Creative reproduz som com melhor qualidade, seu fone de ouvido é excelente, traz um conjunto de funcionalidades muito boas e sua capacidade de armazenamento pode ser aumentada por meio de um slot de cartão SD.

Sua interface também é muito fácil de usar, o que deve agradar a quem não gosta de telas sensíveis ao toque. E o melhor de tudo: sua capacidade de fazer streaming e de baixar músicas do PC sem a necessidade de usar cabos. Ah! Sem esquecer o preço: nos Estados Unidos, ele custa a metade do que a Apple cobra por um iPod Touch.

O X-Fi de 16GB está sendo vendido por 200 dólares (contra 400 dólares do Touch de mesma capacidade); por 280 dólares, pode-se levar o X-Fi de 32GB (a Apple cobra 500 dólares pela versão do player touchscreen de 32GB). E se você acha que está bom, considere a possibilidade de acrescentar outros 32GB usando um cartão SD.

creativezen_350

Diferentemente da concorrência, o player da Creative oferece conexão wireless para download de conteúdo multimídia a partir do PC e também a possibilidade de fazer streaming a partir dos servidores da Creative (há podcasts e músicas gratuitas) ou a partir de um computador qualquer ou rede aberta.

++++

Melhor som
Não está satisfeito com a qualidade do som reproduzida pelo player? Não se preocupe: o X-FI oferece um equalizador com cinco níveis de ajusta, ainda permite gravação de arquivos de áudio, sintonia de rádio FM, e tudo isso pode ser aproveitado sem a necessidade de comprar fones de ouvidos novos: o tocador da Creative vem acompanhado do fone EP-830 (separado, o acessório custa 80 dólares!).

Nos testes, o player da Creative alcançou 83dB e taxa de signal-to-noise (SNR), perdendo apenas para o Sansa Connect, da SanDisk (84dB). O X-Fi também se deu muito bem nos destes de distorção harmônica, registrando uma taxa de apenas 0,01%.

O que isso quer dizer? Combinado ao ótimo fone de ouvido, o X-Fi entrega uma bem definida, profunda e clara qualidade de áudio. O equipamento suporta os formatos AAC, MP3, WAV e WMA e também é compatível com áudio-livros. O player possui um alto-falante embutido, mas sua qualidade lembra aqueles que acompanham qualquer rádio-relógio barato.

Limitações
O equipamento da Creative só é compatível com o Windows (XP e Vista) – ele não roda no Mac OX. Além disso, a facilidade de chat online não funcionou muito bem, e sua capacidade de integração com outros dispositivos – como sistemas de áudio veiculares – e acessórios de outros fabricantes deixou a desejar. E a tela LCD também perde para a do Touch – já que o X-Fi é menor que o player da Apple.

Como em outros tocadores, criar playlists a partir do próprio gadget não é tarefa simples. Porém, no PC e usando o software Centrale (que acompanha o player), a história é outra, tão simples como arrastar e soltar as músicas desejadas na nova playlist.

+++

O X-Fi se conecta ao PC usando USB 2.0, mas fazer a carga de conteúdo por essa via pode ser demorado. Nos testes, 10GB de músicas levou mais de uma hora. A melhor e mais rápida maneira de conseguir isso é usando a conexão sem fio. Além do que a porta USB também tem a função de ser a entrada para alimentação do dispositivo (e a caixa não inclui um carregador de parede).

Ainda que suporte reprodução de vídeos, fazer isso em uma tela de 2,5 polegadas (na diagonal) e 16,7 milhões de cores não é lá grande coisa. Ainda assim, a tela proporciona imagens claras (320 por 240 pixels) e vibrantes, com o tocador sendo capaz de reproduzir arquivos DivX, MJPEG, MPEG-4, WMV e XviD – apesar de ser necessário “encodá-los” utilizando o programa Centrale.

Com relação a imagens, ele suporte arquivos nos formatos JPEGs nativo. Os formatos BMP, GIF, PNG e TIFF precisam ser convertidos com o Centrale, antes de poderem ser visualizados no tocador.

Usabilidade
Quem já usou um tocador da Creative antes vai levar um tempo para se adaptar ao novo design e interface do X-Fi. Algumas mudanças são mais perceptíveis. O grande botão de navegação que existia no VisionM foram substituídos por nove pequenos botões, organizados em grupos de três.

Tal arranjo facilitou o acesso às diversas funções do tocador. outros quatro botões dedicados a navegação (back, navegação contextual, um botão customizável e um play/pause).

Apesar das dimensões reduzidas do player (8,4 centímetros por 5,6cm por 1,3 cm) o acesso a esses botões não fica comprometido. O botão liga-desliga fica na parte de trás do tocador e pode ser travado na posição “on”. Já o slot para o cartão SD e o speaker estão localizados na lateral da unidade.

Muito do apelo do X-Fi vem de sua conectividade de rede sem fio no padrão 802.11b/g. Por meio do menu Online, pode-se conectar ao computador – qualquer computador de uma rede – que pode ser configurado para atuar como um servidor de mídia. Tal configuração permite que se faça download e streaming de faixas sem a necessidade de que tal conteúdo esteja armazenado no player.

Os recursos de rede ainda permitem usar mensagens instantâneos (Yahoo Messenger e Windows Live Messenger) no X-Fi (ressaltamos que houve dificuldade de fazer isso nos testes), mas isso não chega a tirar o brilho de equipamento como um todo.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site