Imagem de fundo do header
Dell Latitude 10: o tablet vai trabalhar
Home  >  Review
REVIEW

Dell Latitude 10: o tablet vai trabalhar

Aparelho combina a portabilidade e autonomia de bateria de um tablet com a flexibilidade e compatibilidade de um PC com Windows. Só não o veja como substituto de um notebook.

Rafael Rigues

Latitude10_Abre-435px.jpg
Foto:

O Dell Latitude 10 é um aparelho que alia a portabilidade e conveniência dos tablets com a flexibilidade e compatibilidade dos PCs. Afinal, apesar do formato para todos os efeitos ele é um PC, rodando o Windows 8 em um processador Intel.

Portanto ele é compatível tanto com os aplicativos “modernos” desenvolvidos sob medida para o sistema operacional da Microsoft como também com todos os aplicativos legados criados para versões anteriores, o que o torna atraente para empresas e profissionais que dependem de softwares desenvolvidos sob medida em suas operações no dia-a-dia.

Design e hardware

Como quase todo produto da Dell o Latitude 10 está disponível em várias configurações, e suas características podem variar de acordo com a escolhida. Analisamos um modelo voltado ao mercado corporativo, com Wi-fi, 3G, GPS, bateria removível e leitores de impressões digitais e smartcards que mede 27,4 x 17,6 x 13,4 cm e pesa cerca de 720 gramas.

A tela de 10.1” tem resolução de 1366 x 768 pixels, comum entre os tablets com Windows 8 que testamos, boa qualidade de imagem, é protegida por um painel de Gorilla Glass e capaz de reconhecer até cinco toques simultâneamente. Acima dela fica uma webcam de 2 MP para videochamadas, e abaixo um botão Home com o logo do Windows, que serve como um atalho para a Tela Iniciar.

latitude10_frente-580px.jpg
Dell Latitude 10 sobre a "Doca de Produtividade"

Na lateral direita há uma porta mini HDMI, uma porta USB e um conector para fones de ouvido. No canto superior direito fica um slot para cartões SD, e no superior esquerdo um slot para SmartCards, que combinado ao leitor de impressões digitais na traseira pode ser um recurso atraente para o mercado corporativo. Na lateral esquerda há apenas o controle de volume, e embaixo ficam o conector para a dock e uma porta micro USB.

O modelo que testamos tem uma bateria de duas células (30 Wh, 3850 mAh) que é removível, basta puxar uma trava na traseira. Debaixo da bateria fica o slot para o SIM card do modem 3G integrado, outro item opcional. A Dell vende como acessório uma bateria de quatro células (60 Wh) que deve dobrar a autonomia.

latitude10_traseira_aberta-580px.jpg
Visão traseira do Latitude 10, com a bateria removida. No destaque em amarelo está o slot para um
SIM Card, em azul o leitor de impressões digitais, e em verde o slot para o leitor de "Smart Cards"

Também na traseira fica a câmera de 8 MP para fotos, acompanhada por flash. A qualidade das imagens é baixa, e o software da câmera (padrão do Windows 8) é extremamente básico. Não há nenhum controle sobre o foco ou exposição, por exemplo, ambos são totalmente automáticos e basta tocar na tela para fazer uma foto escura e com bastante ruído. O som é outro item que desaponta, já que os alto-falantes estéreo na traseira soam abafados.

latitude10_sample_mesa-400px.jpg
Foto feita com o Dell Latitude 10. Clique para ampliar

Por dentro o Latitude 10 é baseado em um processador Intel Atom Z2760 de 1.8 GHz, acompanhado por 2 GB de RAM. É a mesma plataforma na qual são baseados aparelhos como o HP Envy X2 e o LG SlidePad. A unidade SSD de 64 GB tem 51,2 GB disponíveis ao usuário, bem mais do que em outros tablets Windows que já testamos. 

Acessórios

A Dell oferece um conjunto bastante completo de acessórios para o Latitude 10. Entre eles uma caneta para facilitar as anotações sobre a tela (R$ 117). A caneta não precisa de baterias para funcionar, tem ponta removível, uma “borracha” integrada e é sensível a múltiplos níveis de pressão, o que a torna uma boa opção para quem quer trabalhar com ilustrações. Só há um probleminha: não há nenhum lugar no tablet para guardar a caneta, o que aumenta as chances de perdê-la.

latitude10_dock_traseira-580px.jpg
Visão traseira da "Doca de Produtividade"

Também há uma dock que a Dell chama de "Doca de Produtividade" (R$ 445) com quatro portas USB (uma delas frontal), porta Ethernet, saída HDMI e de fones de ouvido. Você pode deixar a Dock na mesa do escritório, por exemplo, plugada a um monitor, teclado e mouse. Ao começar o expediente basta encaixar o tablet nela para transformá-lo em um PC comum. E quando você precisar sair para uma reunião basta desplugar o tablet e levar seu computador inteiro, e com a bateria cheia, com você.

Software

O Latitude 10 roda o Windows 8, e fora o sistema operacional há pouco software pré-instalado, entre eles uma versão de demonstração do Office 365 e alguns utilitários de backup e suporte da Dell. A ausência de um pacote de segurança é compreensível, já que se trata de um produto para o mercado corporativo, e empresas geralmente tem suas próprias soluções nesta área. 

Desempenho e autonomia de bateria

O processador Intel Atom do Latitude 10  é suficiente para as tarefas básicas do dia-a-dia: navegar na web, ler e-mails, produzir documentos no Office ou reproduzir música e vídeos. Só não vá com muita sede ao pote.

Usei o aparelho como minha estação de trabalho rodando os aplicativos típicos de meu dia-a-dia, entre eles o navegador Google Chrome com cerca de uma dúzia de abas variadas (incluindo o editor de textos do Google Docs), as versões para Windows 8 do Twitter e TuneIn Radio (para streaming de áudio), o editor de imagens Paint.Net e o cliente de e-mail Outlook 2013.

Ao longo do dia notei vários momentos em que o tablet precisou parar para tomar fôlego, incluindo esperas de até 10 segundos para poder responder a uma mensagem no Outlook (do momento em que cliquei Responder até a janela de composição surgir completa na tela). Ou seja, ele “quebra o galho” como um PC móvel, mas não substitui um notebook se você pretende produzir conteúdo.

Para testar a autonomia de bateria rodei o mesmo conjunto de aplicativos acima, com o tablet conectado a uma rede Wi-Fi, ligado a um conjunto de teclado e mouse sem fios (com um receptor USB) e o brilho da tela em 50%. Após cinco horas de uso a bateria ainda tinha 29% de carga, com uma autonomia total de quase 7 horas. Nada mal.

Veredito

O Dell Latitude 10 (R$ 2.798 na configuração testada) é uma boa opção para profissionais que estão em constante movimento e precisam de acesso aos mesmos softwares e dados que estão no PC da empresa, mas exigem máxima portabilidade e autonomia de bateria. E a ampla variedade de configurações e acessórios torna fácil encontrar um modelo que atenda às suas necessidades. Só não o veja como um substituto de um notebook: se você pretende produzir conteúdo longe do escritório, ele pode não ser para você.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site