Imagem de fundo do header
Google Chrome Beta chegou fazendo um barulho que lembra o iPhone
Home  >  Review
REVIEW

Google Chrome Beta chegou fazendo um barulho que lembra o iPhone

O navegador do Google moutra suas garras e tem desempenho melhor do que o Internet Explorer 8, da gigante Microsoft.

Antônio Rodrigues, especial para PC WORLD

chrome_150.jpg
Foto:

chrome_150Quase tão badalado no mundo dos navegadores quanto o iPhone na telefonia móvel, o Chrome chegou em 43 línguas fazendo barulho. O Google prometeu um navegador estável, veloz e quase transparente ao usuário.

Realmente (com algumas pequenas falhas), conseguiu tudo isso. O browser tem como base o “motor” de código aberto webkit – o mesmo usado pela Apple no Safari.

Ele é o responsável pela veloz renderização das páginas e, ao que tudo indica, será usado também no Android, o sistema operacional móvel do Google.

Leia também:
> 10 truques para fazer mais com o Google Chrome
> Firefox 3 pode ser a principal vítima do Google Chrome
> Internet Explorer 8 tem a árdua tarefa de ajudar a MS a recuperar mercado

GoogleAlém disso, o processamento de JavaScript é turbinado, graças ao V8 – mecanismo que otimiza sites com pesado uso dessa linguagem, como o YouTube.

Nos testes do SunSpider, o Chrome rodou os principais scripts Java em 30% do tempo do IE.

A interface é clean (para alguns, clean até demais...). Quem está acostumado aos menus e botões dos navegadores atuais estranha a ausência de quase tudo. Para começar, os nomes das abas ficam acima da URL – o inverso do comum.

Além disso, elas podem ser destacadas do navegador e movimentadas pelo desktop, recurso útil quando é necessário ler o conteúdo de uma página para inserir dados em outra, por exemplo.

A home é criativa. Em vez da tradicional página inicial (a do provedor, por exemplo), exibe miniaturas dos nove sites mais acessados pelo usuário.

No lado direito, as caixas de pesquisas mais usadas (mesmo a de outros sites) e os favoritos recentes. Uma grande mudança foi a ausência do campo de pesquisa (geralmente do próprio Google) ao lado do campo de URL.

3a_guerra_tela02.jpg

Chrome: página principal exibe miniaturas dos últimos sites visitados

Ao invés disso, o Chrome adota a chamada Omnibox, uma barra de endereços vitaminada que mostra, assim que começa a digitação, sugestões baseadas no histórico e na pesquisa do Google. Muito prático.

Também úteis são os atalhos para aplicativos. O recurso é acessado pelo ícone de página no final da Omnibox. Com ele, é possível criar ícones no desktop, no menu iniciar e na barra de inicialização rápida do Windows para acesso imediato a serviços web como Gmail ou Orkut, sem precisar carregar o navegador.

Os pop-ups são tratados de forma diferente. Em vez de bloqueados, são abertos na parte de baixo do monitor. Se o usuário desejar vê-los, é só arrastá-los para cima. Boa idéia.

O Chrome também trouxe o modo de navegação anônima, lançado pouco antes pelo IE8. Toda a navegação nessa janela é apagada quando ela é fechada, mas esse modo não serve para ocultar o IP nem para burlar programas que bloqueiam o acesso a determinados sites – usados em empresas, por exemplo.

Um dos pontos principais é o isolamento dos processos de cada aba. Assim, se um site trava, não congela toda a seção de navegação. O lado negativo é que as abas que “caem” não são recarregadas automaticamente, como nos concorrentes.

Em termos de compatibilidade, o browser atingiu 76 pontos, de 100 possíveis, no teste do ACid3, que analisa a harmonia do browser com os padrões abertos de internet.

Além disso, o Google teve um longo tempo para testar o Chrome em zilhões de sites armazenados em seus servidores. Mesmo assim, o navegador apresentou alguns problemas em sites de bancos.

Uma crítica ao Chrome, pelo menos em sua fase beta, é a ausência de complementos (add-ons). Até o fechamento desta edição não havia como incrementar o navegador – ele sequer aceitava a barra de ferramentas do Google!

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site