Imagem de fundo do header
HD externo da LaCie incorpora biometria para segurança de dados
Home  >  Review
REVIEW

HD externo da LaCie incorpora biometria para segurança de dados

Modelo d2 Safe traz dispositivo para evitar acesso de pessoas não autorizadas aos 500 GB de informações que ele pode armazenar.

René Ribeiro, analista de testes da PC WORLD

lacie_d2_safe_150.jpg
Foto:

Os drives da LaCie se destacam por sua robustez e design. Testamos o d2 Safe Hard Drive (1.599 reais), HD externo envolvido por uma carapaça de alumínio fosco, bem montada, com design discreto, com capacidade para até 500 gigabytes, interfaces USB 2.0, duas Firewire padrão 1394b (800 Mbps) e uma Firewire padrão 1394a (400 Mbps).

O disco em si não apresenta novidades em estrutura - cujas dimensões externas são 4,4 centímetros de largura por 16,1 cm de profundidade por 18,1 cm de altura e 1,4 kg. É um disco magnético comum, padrão SATA II, a mesma tecnologia usada nos HD internos de muitos desktops. Sua capacidade também não é novidade, já que a própria Lacie oferece soluções de até 2 GB de espaço.

O que chama a atenção no d2 Safe é uma proteção extra: um sensor biométrico igual aos que acompanham alguns modelos de notebook que serve para a segurança de dados. Basta instalar o pequeno software – seu uso não é obrigatório, mas sem ele o recurso biométrico não funciona –; nos testes, levou apenas 30 segundos para finalizar. A partir disso, o software pede para cadastrar a digital de, pelo menos, dois dedos. Após confirmação, apenas a pessoa cadastrada pode ter acesso ao drive.

lacie_d2_safe_350.jpg

O sensor biométrico é interessante porque oferece uma forte segurança por meio prático e rápido. A desvantagem é que se o drive for levado a outro desktop é necessário lembrar de levar também o software que o acompanha.

Nos testes de desempenho com a interface USB, que é a mais comum encontrada em desktops e laptops, o d2 Safe atingiu a taxa média de 28,5 MBps. usando o software HD Tune e 30,2 MBps usando o HD Tach. É uma média normal quando se utiliza a USB, pois ela é o gargalo da passagem dos dados entre o disco e o PC.

Um software para automatizar o backup acompanha o produto, mas é bem simples e manual; ou seja, não dá para programar backup automático e a cada operação ele cria um diretório e copia todas as pastas que o usuário programou para ela, sem tratamento algum a arquivos repetidos.

Apesar de ocupar mais espaço, essa forma de backup oferece melhor controle sobre as datas das operações de backup pois é possível saber exatamente quais arquivos foram copiados em determinada data.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site