Imagem de fundo do header
HP Envy X2: Tablet e notebook em um só aparelho
Home  >  Review
REVIEW

HP Envy X2: Tablet e notebook em um só aparelho

Híbrido com Windows 8 se adapta à necessidade do usuário e pode ser tanto um tablet leve para acesso à internet quanto um notebook “completo” para trabalhar.

Rafael Rigues

EnvyX2_Abre-435px.jpg
Foto:

Com a chegada do Windows 8 ao mercado estão chegando também os “híbridos”, portáteis que tentam combinar as melhores características dos notebooks, como um teclado confortável e a versatilidade do Windows, com a portabilidade, ergonomia e agilidade dos tablets. 

Há várias abordagens: em alguns aparelhos a tela gira dentro da própria moldura e pode ser fechada sobre o teclado, como no Dell XPS 12. Outros se dobram feito um contorcionista, como o Lenovo IdeaPad Yoga 13. E há os “destacáveis”, como o HP Envy X2.

Eles são basicamente tablets, com todo o hardware (processador, memória, disco, bateria) atrás da tela, acoplados à uma “dock” com teclado, trackpad e portas para conexão a periféricos. A idéia é que o usuário possa escolher a “forma” mais adequada ao momento: um tablet para navegar na web e assistir vídeo, ou um notebook para trabalhar na edição de documentos, por exemplo.

envyx2_separado-360px.jpg
Os componentes do HP Envy X2

Não é exatamente uma idéia nova: já vimos algo parecido com o ASUS EeePad Transformer, um tablet que foi lançado aqui no Brasil há quase dois anos. Mas o Transformer tinha dois problemas: o teclado era um opcional vendido à parte, o que fez com que muitos usuários não aproveitassem o recurso, e o sistema operacional era o Android. Nada contra o sistema da Google, mas a primeira pergunta que me faziam ao ver um “notebook que vira tablet” era “Que legal! Dá pra rodar o Office?”.

O Envy X2 resolve estes problemas: o teclado é parte do pacote e, sim, dá pra rodar o Office e todos os programas “de PC” com os quais você já está acostumado. Mas a que preço?

Design e Hardware

O HP Envy X2 é composto por duas partes: o computador propriamente dito é um tablet com tela de 11.6”, medindo 30,3 cm de largura, 20,6 cm de altura e com peso de aproximadamente 700 gramas. A segunda parte é uma “dock” contendo teclado, trackpad, portas (USB, HDMI, saída de fones de ouvido) e uma bateria secundária, também pesando 700 gramas.

Acoplando o tablet à base você tem o que é basicamente um notebook não muito maior que um MacBook Air de 11”, porém mais grosso (1,98 a 1,63 cm de espessura quando fechado) e mais pesado (1,4 Kg). Tablet e teclado tem acabamento externo em alumínio, mas a área interna (ao redor do teclado) é de plástico.

envyx2_notebook-360px.jpg
Acoplado ao teclado, o Envy X2 é um notebook comum

Os botões de força e volume ficam na traseira do tablet, o que pode parecer um pouco estranho à primeira vista. Assim como outros tablets com o Windows 8, o HP Envy X2 foi projetado para ser usado “na horizontal” (modo paisagem), algo que fica claro considerando a posição do botão “home” (o logo do Windows, na borda inferior). mas também é possível usá-lo “na vertical” (modo retrato), já que um sensor faz a rotação automática da imagem.

É um tanto cansativo segurar o tablet com apenas uma mão, uma reclamação da qual o primeiro iPad também sofria. E a largura prejudica a digitação “com os dedões” no modo tablet, já que eles provavelmente não irão alcançar as teclas no meio do teclado virtual. O ideal é segurá-lo com uma mão e digitar com a outra, ou apoiá-lo no colo.

envyx2_tablet-360px.jpg
Separado do teclado, o Envy X2 é um tablet

Acoplar o teclado ao tablet é muito fácil, graças a duas guias metálicas que facilitam o alinhamento. O encaixe é forte o suficiente para que você possa levantar todo o conjunto pelo tablet. A dobradiça é firme e seu design eleva o teclado, deixando-o numa posição ligeiramente inclinada que torna a digitação mais confortável.

O teclado tem uma fileira de teclas de função (F1 a F12) que por padrão servem como atalhos pra controle do brilho da tela, volume, reprodução de mídia, espelhamento em monitor externo e Wi-Fi. Ele é bastante confortável, embora as setas (no canto inferior direito) sejam minúsculas. Mas notei uma tendência a “duplicar” letras, especialmente se você digita rapidamente, o que é algo irritante para quem passa o dia escrevendo (como eu). O trackpad é multitoque, compatível com os gestos do Windows 8 e tem uma superfície texturizada, que facilita o uso.

Por dentro o HP Envy X2 é baseado em um processador dual-core Intel Atom Z2760 rodando a 1.8 GHz, acompanhado por 2 GB de RAM. Uma unidade SSD de 64 GB faz as vezes de “HD” e é possível ampliar a capacidade de armazenamento com cartões microSD, inseridos em um slot na base do tablet.

A tela é capaz de registrar até cinco toques simultâneamente, e tem resolução de 1366 x 768 pixels, com boa qualidade de imagem e ângulo de visão. Além do slot para cartões microSD a base do tablet também abriga o conector para a dock/caregador e um conector para fones de ouvido e microfone. No teclado ficam duas portas USB 2.0 (uma de cada lado), porta HDMI e outro conector para fones de ouvido (na lateral esquerda) e um outro conector para o carregador e slot para cartões SD (na lateral direita). 

Software

Não há muito sobre o que falar quanto ao software do HP Envy X2: ele roda exatamente o mesmo Windows 8 (versão de 32 Bits) usado nos PCs “de mesa” e notebooks tradicionais. Isso significa que você pode rodar não só os aplicativos “modernos” feitos sob medida para a nova interface do sistema, como também todos os aplicativos “desktop” feitos para versões anteriores do Windows. Isso inclui navegadores como o Chrome e Firefox, editores de imagem como o Paint.Net e Gimp e até pacotes de escritório completos como o Microsoft Office ou o OpenOffice.

A HP não enche a máquina com programas pré-instalados: nada de versões de demonstração de joguinhos ou do Office, o que é bom, mas também nada de anti-vírus, que é uma necessidade nos dias de hoje. Notei apenas alguns utilitários para recuperação de sistema e atualização de drivers. 

Câmera

O HP Envy X2 tem duas câmeras, uma traseira de 8 MP, acompanhada por um flash, e uma frontal de 2 MP, usada para videochamadas. Apesar da resolução a câmera traseira faz fotos apenas “passáveis”, com bastante ruído, especialmente em ambientes internos. Não espere aposentar seu smartphone ou câmera doméstica. Também é possível gravar vídeos em Full HD (1920 x 1080 pixels).

envyx2_sample_paisagem-360px.jpg
Paisagem fotografada com o HP Envy X2. Clique para ampliar

O software da câmera, parte do Windows 8, é básico: você pode escolher entre a câmera traseira ou frontal, ativar um timer de 3 segundos e alternar entre os modos de fotografia ou vídeo. Nada de efeitos, modos de cena, HDR, foto panorâmica, nada disso. 

envyx2_sample_indoor-360px.jpg
Foto em ambiente interno feita com o Envy X2.
Clique para ampliar e note o ruído nas teclas e no gamepad ao fundo

Desempenho e Bateria

O processador Intel Atom usado no HP Envy X2 deu conta das tarefas do dia-a-dia, como navegação na web, edição de documentos e até mesmo a reprodução de vídeo em HD, sem maiores problemas. Mas não dá pra exigir muito: quando “forcei a barra” usando um mix de apps “modernos” (Twitter, TuneIn Radio) e desktop (Chrome, Paint.Net), com cerca de 10 abas abertas no Chrome (uma delas contendo um applet Java) notei sinais de “cansaço”, como rolagem mais lenta em páginas web. Ou seja, é uma máquina para entretenimento e produtividade leve.

Obviamente ele não é uma máquina para gamers, mas não há como negar que jogos são parte do dia-a-dia de qualquer usuário moderno. O Envy X2 deu conta dos casuais (como Rayman Jungle Run e Cut the Rope), mas começou a mostrar dificuldade nos mais sofisticados, como Hydro Thunder Hurricane, com taxa de quadros baixa e engasgos ocasionais.

envyx2_mecanismo-360px.jpg
Detalhe do mecanismo de encaixe do Envy X2.
Guias metálicas (à esquerda) ajudam no alinhamento.

Já na autonomia de bateria em uso típico ele agradou bastante. Quando acoplado ao teclado e com brilho da tela em 50% conseguimos quase nove horas navegando na web, editando documentos e ouvindo música via streaming.

Mas em nosso teste de reprodução de vídeo, feito em modo tablet (desacoplado), com o brilho da tela a 50% e aparelho no modo avião, fiquei desapontado: foram cerca de 5 horas e meia de autonomia, o que é pouco se levarmos em consideração outros tablets com telas similares no mercado.

A bateria do teclado (Bateria 2, segundo o sistema) é usada para manter a bateria do tablet (Bateria 1) sempre carregada. Após ela se esgotar (o que levou pouco mais de 3 horas em uso típico), a Bateria 1 assume o controle, mas o teclado e suas portas continuam funcionando. Ao plugar o carregador no teclado, tanto ele quando o tablet são recarregados.

A Bateria 2 tem capacidade de 3.112 mAh, cerca de 44% da capacidade de bateria do tablet (7.149 mAh). Isso significa que o teclado não pode ser usado para dar uma carga completa em um tablet “zerado”. Vale mencionar que o carregador usa um conector proprietário, similar ao antigo “Dock Connector” usado pela Apple em iPhones, iPods e iPads. Se você perder o carregador, ou esquecê-lo em casa, terá dificuldades em recarregar a máquina.

envyx2_conector-360px.jpg
O conector para recarga da bateria é proprietário

Veredito

A promessa de um aparelho que reúne o melhor dos tablets e dos notebooks é tentadora, e o HP Envy X2 no geral cumpre muito bem ela: quando acoplado ao teclado ele é indistinguível de um notebook convencional com Windows, e quando sozinho tem a agilidade e portabilidade que se espera de um tablet.

Mas como toda “primeira geração” de um novo produto ou idéia, o problema é o preço: R$ 4 mil na configuração testada, segundo a HP. Salgado, ainda mais considerando o que o hardware oferece. Por R$ 200 a mais é possível comprar um notebook MacBook Air da nova geração (já equipado com um dos novos processadores Intel Haswell), que é mais fino, mais leve, tem autonomia de bateria similar, mais espaço em disco e hardware muito mais poderoso. Embora, é verdade, não vire um tablet.

Ainda assim, o Envy X2 é um indicador da direção que a indústria deve seguir. Espere ver máquinas cada vez mais finas, leves, poderosas, versáteis e, sobretudo, baratas nas lojas. Os PCs estão mudando, e isso é muito bom.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site