Imagem de fundo do header
Quase duas vezes mais DVD
Home  >  Review
REVIEW

Quase duas vezes mais DVD

Com o lançamento de gravadores e mídias compatíveis com dual layer, a capacidade de armazenamento do DVD vai de 4,7 GB para quase 8,5 GB.

Mário Nagano

Foto:

Até meados de 2001, comprar um gravador de DVD era um negócio de risco. Naquele momento, o mercado era palco de uma acirrada briga de padrões, e o formato que perdesse a disputa poderia ter o mesmo destino das fitas de vídeo Betamax depois da vitória do padrão VHS – ou seja, o esquecimento.

Mas o desfecho da guerra dos DVDs não foi a supremacia de um padrão sobre o outro, e sim o desenvolvimento de equipamentos capazes de ler e gravar praticamente todos os tipos de disco em uso, sejam eles CDs ou DVDs. Quando poderíamos dizer que é seguro investir em um gravador de DVD, surgiram duas novas tecnologias no horizonte: as mídias DL (dual layer) e o Blue Ray, padrões que prometem capacidade de armazenamento ampliada e desempenho superior.

Entre as duas opções, o dual layer está mais próximo da realidade. O padrão iniciou carreira no início do ano passado e já começa a mostrar sua força também no mercado brasileiro. Como o nome sugere, os DVDs DL são formados por duas camadas de gravação, o que permitiu que sua capacidade de armazenamento passasse de 4,7 GB para quase 8,5 GB.

Para que um simples feixe de laser seja capaz de ler ambas as camadas (uma sobre a outra), a mais externa é semitransparente – recurso que já funciona, por sinal, em DVDs de filmes. Atualmente, as mídias de dupla camada estão disponíveis apenas no formato DVD+R. A Pioneer prometia para março o primeiro modelo de gravador compatível com o padrão DVD-R DL, o DVR-A09XL.

As mídias nesse padrão não devem tardar muito a chegar. Como é uma solução recente, não há muitas opções de equipamento para quem quer explorar as vantagens da nova tecnologia.

O PC World Test Center avaliou três gravadores de DVD multiformato compatíveis com o padrão DL. São eles o Super DVD Writer Dual Format 16x (1.490 reais), da Iomega, o DVR-A08XL (890 reais), da Pioneer, e o DRU-710A (599 reais), da Sony.

Além de mais barato, o equipamento da Sony teve bom desempenho, merecendo o título de BestBuy entre os produtos analisados. Para quem não pode abrir mão da mobilidade, no entanto, o produto externo da Iomega é a escolha mais adequada.

Para conduzir os testes, utilizamos o computador de referência equipado com processador Pentium 4 de 2,8 GHz, 512 MB de SDRAM DDR e disco rígido ATA 100 de 40 GB. Seguindo a recomendação da Pioneer, utilizamos um cabo IDE de 80 vias para a conexão do DVR-A08XL e do DRU-710A. O sistema operacional utilizado foi o Windows 2000, enquanto o programa de gravação adotado foi o Nero Burning ROM 6.0, da Ahead Software.

Para surpresa, os resultados obtidos pelos três equipamentos nos testes práticos baseados na medição do tempo necessário para a gravação de uma imagem de CD ou DVD foram praticamente os mesmos, com variações de segundos em escala de minutos. A proximidade deve-se ao fato de o Nero possuir uma função que determina a velocidade máxima de gravação que uma mídia suporta antes de realizar a operação de fato.

Esse padrão de comportamento do Nero determinou que todas as gravações em CD-RW, por exemplo, ocorressem a 10x e as de DVD-R a 4x, apesar de os gravadores serem capazes de gravar a 16x, uma vez que usamos as mesmas mídias com todos os equipamentos.

Diante desses resultados, impossível não questionar se vale investir em um gravador de 16x já que os discos normalmente gravam a 2,4x ou 4x. Se você quer preservar seu investimento, a resposta é sim. Como a oferta de mídia acompanha a evolução dos equipamentos, não é errado supor que no futuro próximo haja discos capazes de tirar proveito do máximo desempenho. Mas mesmo atualmente, muitas pessoas preferem gravar suas mídias em velocidades inferiores ao limite máximo (16x ou 24x em gravadores de 52x, por exemplo) para garantir resultados mais confiáveis.

Nos testes sintéticos com o utilitário Nero CD-DVD Speed, parte do Nero 6.0, observamos que a taxa de transferência média do DRVA08XL, da Pioneer, foi superior a de seus concorrentes. No tempo de resposta, o equipamento da Iomega saiu-se melhor. O DRU-710A, da Sony, por sua vez, foi mais rápido no carregamento e descarregamento do disco. Dois dos modelos avaliados são opções internas.

O produto da Pioneer é compatível com o padrão UDMA 66, característica que torna necessário o uso de um cabo IDE de 80 vias. O equipamento da Sony, por sua vez, usa o tradicional cabo IDE de 40 vias. Ambos os modelos vêm com painéis frontais no manjado tom bege.

Na hipótese de essa cor não combinar com o visual do seu computador, a Sony inclui no pacote um kit com painel preto. No caso da Pioneer, o consumidor tem a opção de selecionar a cor – bege, preto ou prata – no momento da compra. No passado, os fabricantes incluíam amostras de mídia para gravação na caixa dos equipamentos. Nenhum dos produtos avaliados seguiu essa tradição. Em compensação, oferecem pacotes de software mais ricos. Todos os produtos analisados vêm com pelo menos uma solução de edição de vídeos, gravação de CD/DVD, backup e gerenciamento de arquivos.

É a mídia quem manda
A prática de gravar CDs na velocidade mais alta permitida, ignorando as especificações do fabricante, pode levar a maus resultados, de acordo com Jorge Gabriel, gerente de produtos da Imation do Brasil. Segundo ele, a especificação baseia-se nas características físicas do material do qual é feito o substrato de gravação, de modo a gravar as trilhas com confiabilidade. Tecnicamente, as mídias podem ser gravadas em velocidades mais altas, mas as marcações das trilhas podem não ficar muito claras.

Para reconhecê-las, as leitoras precisam aumentar a potência de seus feixes de laser e, com o passar do tempo, podem fazer com que a mídia se aqueça mais do que o normal, alterando as características físicas de sua base de plástico. O resultado pode vir na forma de deformações ou na fragilização do material até seu estilhaçamento no interior do drive.

Uma indicação de que uma mídia está condenada é a existência de trincas, principalmente ao redor do orifício central. Para evitar esses danos, programas como o Nero verificam a qualidade do disco e ajustam a velocidade de gravação para os padrões seguros.

ModeloDVR-A08XLRU-710ASuper DVD Writer Dual Format 16x
FabricantePioneerSonyIomega
Preço (R$)8905991.490
Onde encontrarMerlin VídeoSonyControleNet
Fone(19) 3741.4488(11) 3677.1080(11) 3819.7257
Avaliação técnica final44,54

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site