Imagem de fundo do header
Pentium 4 em dose dupla
Home  >  Review
REVIEW

Pentium 4 em dose dupla

Chip dual-core da Intel funciona bem em tarefas multimídia. Veja os resultados do teste

Foto:

Dois núcleos funcionam melhor do que um? Pelo que mostrou o novo processador Intel Pentium 4 Extreme Edition 840 de 3,2 GHz nos testes feitos por PC World, a resposta pode ser sim e não. O chip com núcleo duplo funciona muito bem em aplicações multimídia e executa ao máximo os recursos multitarefa. Porém quem procura um processador para usar programas de escritório ou mesmo games não terá muito benefício ao usar o chip, que tem previsão de chegar ao mercado brasileiro somente em junho.

O Pentium 4 Extreme Edition 840 é o primeiro processador da Intel com arquitetura de núcleo duplo. Outros chips para desktops da linha Pentium D devem ser lançados ainda este ano, e funcionam apenas no chip set 945, também ainda a ser lançado.

Como o nome diz, processadores dual-core incorporam dois processadores e memória cache L2 em uma única peça de silício. Na teoria, isso quer dizer que o computador tem dois processadores. O P4EE 840 inclui a tecnologia Hyper-Threading, que cria um segundo processador "virtual" em cada núcleo.

Como os chips Athlon 64, da concorrente AMD, e outros chips da linha Intel, como o P4 EE de 3,73 GHz, o computador dual-core é compatível com sistemas de 64 bits. Cada núcleo do novo chip traz 1 MB de cache L2 e barramento frontal (FSB) de 1.066 MHz.

PC World EUA testou o chip em um computador Dell Dimension XP5 Gen5, direcionado a games. Foi utilizado um sistema de referência em pré-produção da Intel com amostras do novo processador, o novo chip set 955X Express, 1 GB de memória DDR2-667, disco rígido de 160 GB e uma placa de vídeo Sapphire Radeon 850XT.

Rodando Windows XP Professional, o sistema alcançou 95 pontos no teste feito pelo WorldBench 5. Essa pontuação coloca o chip um pouco acima do Pentium 4 550 de 3,4 GHz (91 pontos) e um pouco abaixo do total de 98 pontos obtidos pelo Athlon 64 3300+, de 2,2 GHz.

O novo sistema mostrou ótimo desempenho em determinados aplicativos no WorldBench 5, principalmente o Roxio VideoWave Movie Creator, Windows Media Encoder e os testes multitarefa. O desempenho no Windows Media Encoder foi mais impressionante, levando dois minutos para processar um vídeo - contra 7'41" do Pentium 4 de 3,4 GHz e 15 segundos mais rápido que uma máquina com Athlon 64 FX-55 (125 pontos no WorldBench 5).

A máquina foi apenas cinco segundos mais lenta que o Athlon 64 FX-55 no teste multitarefa, e completou esse teste 2,5 minutos mais rápido que o P4 de 3,4 GHz (levou 9 minutos e 50 segundos). Houve ganho de desempenho também sobre a outra máquina da Intel no teste do 3D Studio Max com DirectX, completando o teste em 4'45" (1'21" mais rápido que o P4 e 50" mais lento que o Athlon 64 FX-55).

Aplicações com múltiplos processos, como edição de vídeo e software para criar conteúdo, devem se beneficiar de imediato da tecnologia dual-core, segundo Kevin Krewell, editor-chefe da Microprocessor Report. "Games não ganham nada com dual-core", diz Krewell, "por serem baseados em um único processo". Por enquanto, claro. Títulos como Unreal Tournament devem ter seus mecanismos atualizados para aproveitar o dual-core ao máximo, explica o editor.

A AMD acabou de lançar um processador Opteron com tecnologia dual-core. Diferente dos processadores da Intel, os chips dual-core da AMD não precisam de novos chip sets ou placas-mãe diferentes para rodar - apenas uma atualização na BIOS.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail
Vai um cookie?

A PCWorld usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site